Home   |   Expediente   |   Publicidade   |   Cadastre-se   |   Fale Conosco             

Sociedade

30 de Maio de 2015 as 00:00:00



TERCEIRIZAÇÃO - Centrais Sindicais mobilizam-se contra projeto de Lei 4.330



Ato no centro do Rio une sindicalistas e estudantes contra o PL da terceirização
 
Um ato convocado pelas centrais sindicais na Cinelândia, no centro do Rio, na noite desta 6a feira, 29.05, reuniu trabalhadores e estudantes em um protestou contra o Projeto de Lei 4.330/2004, que regulamenta as terceirizações no mercado de trabalho.
 
A proposta foi aprovada pela Câmara dos Deputados no dia 22 de abril e agora tramita como Projeto de Lei da Câmara (PLC) 30/2015 no Senado.
 
A presidenta do Sindicato dos Bancários do Rio de Janeiro, Adriana Nalesso, criticou o projeto da terceirização que não é bom para nenhuma categoria de trabalhador.
 
“Nós queremos que os terceirizados tenham ampliação dos direitos e não perda. Não queremos inverter a lógica. Hoje nós sabemos que o terceirizado ganha menos, trabalha mais e sofre mais acidentes de trabalho. Nós queremos respeito aos trabalhadores terceirizados. Não queremos a ampliação para a atividade-fim, porque hoje a atividade terceirizada é precarizada”.
 
Vice-coordenador geral do DCE Diretório Central de Estudantes da UERJ Universidade do Estado do Rio de Janeiro, Jairo Alves, lembra que os terceirizados que trabalham na instituição sofrem com atrasos de salário desde o ano passado.
 
“Desde dezembro a gente vem sofrendo com atraso de salário de terceirizados, alguns ficam até três meses sem receber, parece que na semana passada acertaram os salários, mas a gente não tem dúvida de que no próximo mês vai atrasar”.
 
Por volta de 18h30, uma passeata de estudantes e profissionais da educação, vinda da Candelária pela Avenida Rio Branco, se juntou ao ato dos sindicalistas. A professora Regina Albuquerque, explica que os educadores aproveitaram a convocação das centrais sindicais para lembrar as perseguições políticas sofridas pela categoria desde 2014.
 
“Foi um desdobramento da greve de 2013 na rede municipal, que teve uma grande adesão. Em 2014 os governos estadual e municipal começaram a promover perseguições políticas aos educadores. Na rede municipal, em 2014 a gente fez um mês de greve, e a gente vai completar esse mês o 12º mês de desconto salaria. Tem educadores que receberam o contracheque zerado e mesmo assim a gente sofre reincidentes descontos na folha de pagamento”.


Fonte: Agência Brasil





Indique a um amigo     Imprimir    Comentar notícia

>> Últimos comentários

NOTÍCIAS DA FRANQUEADORA E EMPRESAS DO SEGMENTO


 Outras notícias.
INVESTIMENTOS O Mercado na 6ª feira Bolsa cai 1,30% a 84.334 pts Dólar sobe a R$3,4227 13/04/2018
INVESTIMENTOS O Mercado na 6ª feira Bolsa cai 1,30% a 84.334 pts Dólar sobe a R$3,4227
 
MAPA DA DESIGUALDADE - Morador de área rica de Sampa vive 23,7 anos mais que o de periferia 24/10/2017
MAPA DA DESIGUALDADE - Morador de área rica de Sampa vive 23,7 anos mais que o de periferia
 
IPEA - Vulnerabilidade social no Brasil cai 27% em 10 anos 01/09/2015
IPEA - Vulnerabilidade social no Brasil cai 27% em 10 anos
 
31/05/2015
LEI ANTIFUMO provocou mudanças de hábito e comportamento
 
TERCEIRIZAÇÃO - Centrais Sindicais mobilizam-se contra projeto de Lei 4.330 30/05/2015
TERCEIRIZAÇÃO - Centrais Sindicais mobilizam-se contra projeto de Lei 4.330
 
21/05/2015
POLÍCIA CARIOCA apreende adolescente suspeito da morte do ciclista da Lagoa
 
EDUCAÇÃO - Negros já são 28,9% dos alunos da pós-graduação 13/05/2015
EDUCAÇÃO - Negros já são 28,9% dos alunos da pós-graduação
 
Escolha do Editor
Curtas & Palpites
JORNAL FRANQUIA - Todos os direitos reservados 2009