Home   |   Expediente   |   Publicidade   |   Cadastre-se   |   Fale Conosco             

Investimentos

09 de Junho de 2017 as 12:06:21



INVESTIMENTOS O Mercado na 5ª feira



Diário do Mercado na 5ª feira, 08.06.2017
 
Agentes recuaram diante de provável postergação da decisão do TSE sobre chapa Dilma-Temer para sábado, 10.06.2017
 
 
Resumo.
 
O possível adiamento da finalização do julgamento da chapa Dilma-Temer, que poderá continuar até sábado próximo levou a um comportamento vendedor.
 
De outra mão, circularam comentários no mercado que o resultado poderá não resolver o imbróglio político doméstico, visto que ainda é aguardada uma denúncia para breve da PGR (Procuradoria Geral da República) no caso da delação da JBS. Também, houve boatos que partidos que compõem a base estariam na iminência de deixar o governo.
 
Neste panorama, pelo sim, pelo não, os agentes preferiram se desfazer de alguns posicionamentos. Em verdade, toda essa movimentação serviu como “pano de fundo” para que o índice doméstico retorna-se para ficar praticamente sem variação acumulada no mês (+0,07%), enquanto aguardam-se novos fatos.
 
A tendência atual dos investidores, é “viver um dia de cada vez”. Internamente, na manhã da sexta-feira será divulgado o principal indicador, o IPCA, que deve acrescentar mais elementos para a tomada de decisão sobre a taxa Selic pelo Bacen, em 26 de julho próximo, bem como, o dado será analisado para tomada de posicionamentos pelo mercado.
 
Externamente, nos EUA, o caso envolvendo o presidente Donald Trump e a demissão do ex-diretor do FBI, James Comey, continuou a ganhar mais contornos, após a audiência do policial federal no congresso norte-americano nesta 5ª feira, 08.06.2017. 
 
 
Ibovespa.
 
O índice doméstico abriu decaindo, chegando a bater por volta de 62.400 pts, para se recuperar gradualmente após o meio dia, destacadamente reagindo com a “zeragem” de vendas na hora final de negócios.
 
O Ibovespa terminou aos 62.755 pts (-0,66%), com giro financeiro preliminar de R$ 6,324 bilhões na Bovespa, sendo R$ 6,159 bi no mercado à vista. 
 
 
Agenda Econômica.
 
Na Alemanha, a produção industrial variou +0,8% em abril, ante -0,1% em março, acima do +0,5% previsto pelo mercado. Já em relação a abril de 2016, o indicador oscilou +2,9% (+2,2% março-17/março-16), superior ao +2,1% esperado.
 
Na zona do euro, o dado final do PIB 1T17 indicou crescimento de 0,6% trimestre/trimestre, acima do 0,5% da prévia anterior – que também era o consenso, bem como variou +1,9% ano/ano, frente ao dado preliminar de +1,7% - que era o esperado pelos analistas.
 
De outra mão, o BCE (Banco Central Europeu) manteve inalterada suas taxas de juros e teve um tom moderado na citação após sua decisão, com o mercado considerando que ainda está bem distante qualquer pensamento de aperto monetário.  
 
 
Câmbio e CDS. O dólar comercial (interbancário) abriu em alta e assim operou até o meio da tarde, acompanhando as preocupações domésticas. A partir dai, como o mercado interno esteve mais tranquilo, foi perdendo força influenciado pelo mercado externo e encerrou com pequena baixa.
 
A divisa fechou cotada a R$ 3,2630 (-0,34%).
 
Risco Brasil - O CDS brasileiro de 5 anos situa-se neste momento em 240 pts, ante 239 pts da véspera.
 
 
Juros.
 
Os agentes, após o vai e vem ao longo da semana no mercado de juros futuros (DIs), preferiram não ampliar posições, aguardando a sexta-feira. Os DIs apresentaram levíssimas altas, elevando ligeiramente como um todo a curva da estrutura a termo da taxa de juros. 
 
 
Para a semana.
 
No Brasil, aguarda-se o final do julgamento da chapa Dilma-Temer, agendado para findar até o próximo sábado. Indicadores domésticos teremos: IGP-M 1ª prévia junho e o destaque – IPCA de maio.
 
Nos EUA, Estoques no atacado.
 
Na China, Investimento estrangeiro direto, IPC, IPP e dados do setor de crédito.
 
Na Europa, dados de produção industrial da França e do Reino Unido – que também terá eleição parlamentar.
 
 
Confira no anexo a íntegr do relatório de análise do comportamento do mercado na 5ª feira, 08.06.2017, elaborado por HAMILTON MOREIRA ALVES, CNPI-T, e RAFAEL FREDA REIS, CNPI-P, ambos da equipe do BB Investimentos

Clique aqui para acessar o aquivo PDF

Fonte: HAMILTON MOREIRA ALVES, CNPI-T, e RAFAEL FREDA REIS, CNPI-P, ambos da equipe do BB Investimentos





Indique a um amigo     Imprimir    Comentar notícia

>> Últimos comentários

NOTÍCIAS DA FRANQUEADORA E EMPRESAS DO SEGMENTO


 Outras notícias.
INVESTIMENTOS - O Mercado na 5ª feira: Golpe de Trump eleva aversão ao risco 18/08/2017
INVESTIMENTOS - O Mercado na 5ª feira: Golpe de Trump eleva aversão ao risco
 
INVESTIMENTOS - O Mercado na 3ª feira: Alivio da tensão geopolítica e expectativa sobre Meta Fiscal 16/08/2017
INVESTIMENTOS - O Mercado na 3ª feira: Alivio da tensão geopolítica e expectativa sobre Meta Fiscal
 
INVESTIMENTOS - ALUPAR - Resultado no 2º Trimestre/2017 16/08/2017
INVESTIMENTOS - ALUPAR - Resultado no 2º Trimestre/2017
 
INVESTIMENTOS - Renda Fixa   Análise Semanal do Mercado - 14.08.2017 15/08/2017
INVESTIMENTOS - Renda Fixa Análise Semanal do Mercado - 14.08.2017
 
INVESTIMENTOS - O Mercado na 2ª feira: Bolsa sobe 1,37%, Dólar sobe a R$ 3,1862 15/08/2017
INVESTIMENTOS - O Mercado na 2ª feira: Bolsa sobe 1,37%, Dólar sobe a R$ 3,1862
 
INVESTIMENTOS - M DIAS BRANCO - Resultado no 2º trimestre/2017  Positivo, mas não tão bom quanto esperado 12/08/2017
INVESTIMENTOS - M DIAS BRANCO - Resultado no 2º trimestre/2017 Positivo, mas não tão bom quanto esperado
 
INVESTIMENTOS B2W DIGITAL no 2º trimestre/2017 Estratégia Comercial impacta Resultado 12/08/2017
INVESTIMENTOS B2W DIGITAL no 2º trimestre/2017 Estratégia Comercial impacta Resultado
 
INVESTIMENTOS - LOJAS AMERICANAS - Resultado no 2º trimestre/2017 12/08/2017
INVESTIMENTOS - LOJAS AMERICANAS - Resultado no 2º trimestre/2017
 
INVESTIMENTOS - BANCO DO BRASIL - Lucro Ajustado de R$ 5,2 BI no 1º semestre/2017 11/08/2017
INVESTIMENTOS - BANCO DO BRASIL - Lucro Ajustado de R$ 5,2 BI no 1º semestre/2017
 
INVESTIMENTOS PETROBRAS Resultados no 2º trimestre: Desalavancagem continua 11/08/2017
INVESTIMENTOS PETROBRAS Resultados no 2º trimestre: Desalavancagem continua
 
JORNAL FRANQUIA - Todos os direitos reservados 2009