Home   |   Expediente   |   Publicidade   |   Cadastre-se   |   Fale Conosco             

Internacional

Quarta-Feira, Dia 27 de Setembro de 2017 as 02:09:25



MERKEL Vitoriosa nas eleições de domingo, tenta coligação com Liberais e Verdes



Merkel tentará coligação com liberais e partido ecologista para governar
 
 
Eleita para um quarto mandato nas eleições de domingo, 24.09, na Alemanha, a chanceler Angela Merkel precisará negociar com os liberais do Partido Democrático Liberal (FDP), que teve 10,6% dos votos e o partido ecologista Os Verdes (Die Grünen), 8,9% dos votos, para tentar formar uma coligação que lhe permita governar com uma certa tranquilidade.
 
Isto porque a chanceler alemã recebeu 33% dos votos, menos do que esperava e bem menos do que os 41,5% conquistados há quatro anos. Em segundo lugar, com 20,5%, ficou o Partido Social-Democrata (SPD), de Martin Schulz, que também concorreu ao cargo de chanceler e já declarou que será oposição.
 
Mas a grande surpresa foram os 12,6% dos votos recebidos pelo AfD - Alternativa para a Alemanha, o primeiro partido de ultra direita a entrar no Bundestag, o Parlamento alemão, desde o fim da Segunda Guerra. O AfD, que também será oposição, passa a estar representado em todas as comissões parlamentares, incluindo a de serviços secretos, e passa a receber financiamento público.
 
Partido de ideologia anti-imigração e anti-islâmico, o AfD defende o controle rigoroso das fronteiras, a deportação imediata dos imigrantes que tiveram pedido de asilo negado e a proibição do uso da burca (vestimenta islâmica) no país. Descontente com a política de portas abertas aos refugiados de Merkel, o partido conquistou muitos eleitores ao defender princípios nacionalistas.
 
Neste contexto, com a oposição dos sociais democratas e do AfD, restará a Merkel formar a coligação que já está sendo apelidada de “Jamaica”, devido as cores dos partidos que a integram (preto: CDU, amarelo: FDP e verde: Os Verdes) e que formam as mesmas cores da bandeira jamaicana.
 
 
Diferenças ideológicas
 
Apesar de a Alemanha ser um país habituado a coligações, uma composição deste tipo nunca aconteceu. Além disso, caso seja feita a coligação, será necessário muito entendimento para equilibrar as diferenças ideológicas de cada partido.
 
Segundo a empresa pública de comunicação Deutsche Welle (DW), Angela Merkel afirmou hoje (25) que a forte votação na extrema-direita não vai influenciar sua política externa, europeia ou de refugiados.
 
"Os partidos que são capazes de formar coligações uns com os outros vão procurar soluções, porque há diferenças, naturalmente. Mas a AfD não vai ter influência",
 
disse.
 
 
Protestos:  Fora Nazistas
 
Após a confirmação dos quase 13% de votos para o direitista AfD, centenas de alemães saíram às ruas em protesto em Berlim, Frankfurt, Colônia, Hamburgo, Munique e outras cidades alemãs.
 
Uma grande multidão, a maioria jovens, protestou aos gritos de "fora nazistas", na frente do espaço alugado pelos eleitores do AfD no centro de Berlim para festejar os resultados das eleições.
 
Numa outra frente, o presidente da Confederação Alemã das Câmaras de Indústria e Comércio, Eric Schweitzer, usou argumentos econômicos contra a xenofobia no país e alertou sobre os custos que a proibição de estrangeiros pode trazer aos alemães.


Fonte: AGENCIA BRASIL





Indique a um amigo     Imprimir    Comentar notícia

>> Últimos comentários

NOTÍCIAS DA FRANQUEADORA E EMPRESAS DO SEGMENTO


 Outras notícias.
CHILE escolhe novo presidente neste domingo 17/12/2017
CHILE escolhe novo presidente neste domingo
 
MERCOSUL-UNIÃO EUROPEIA - Acordo fica agora para 2018 15/12/2017
MERCOSUL-UNIÃO EUROPEIA - Acordo fica agora para 2018
 
INTERNET - Agência dos EUA caba com neutralidade de rede 15/12/2017
INTERNET - Agência dos EUA caba com neutralidade de rede
 
VENEZUELA - Maduro tem vitória eleitoral 14/12/2017
VENEZUELA - Maduro tem vitória eleitoral
 
FED aumenta juros nos EUA para 1,25% a 1,5% 14/12/2017
FED aumenta juros nos EUA para 1,25% a 1,5%
 
EXPORTAÇÕES - Rússia proíbe importação de carne brasileira 11/12/2017
EXPORTAÇÕES - Rússia proíbe importação de carne brasileira
 
EDITORIAL Tumultos por todo Mundo Árabe, Trump se mexe para conter Impeachment 11/12/2017
EDITORIAL Tumultos por todo Mundo Árabe, Trump se mexe para conter Impeachment
 
TRUMP, 10/12/2017
TRUMP, "Velho Senil", acusa Pyongyang, pelo posicionamento sobre Jerusalem
 
VENEZUELA - Eleições neste domingo fortalecerão Maduro 10/12/2017
VENEZUELA - Eleições neste domingo fortalecerão Maduro
 
ONU - Conselho de Segurança desaprova decisão de Trump sobre Jerusalém 09/12/2017
ONU - Conselho de Segurança desaprova decisão de Trump sobre Jerusalém
 
JORNAL FRANQUIA - Todos os direitos reservados 2009