Home   |   Expediente   |   Publicidade   |   Cadastre-se   |   Fale Conosco             

Economia

28 de Setembro de 2017 as 17:09:35



BNDES Prossegue o processo de diminuição do BNDES em favor de bancos privados



BNDES devolve R$ 33 bilhões ao Tesouro Nacional
 
Receituário e Ideário neoclássico da Casa das Garças  --  instituto que reúne a fina flor da ortodoxia estúpida entre os economistas do País, vinculado à PUC-RJ  --  é seguido ao pé da letra pela quadrilha que domina o Estado Brasileiro: diminuição do tamanho do BNDES até o limite mínimo em favor dos interesses de bancos como ITAÚ, BRADESCO, SANTANDER, os grandes beneficiários do golpe de estado de 2016. O passo seguinte será a venda do BANCO DO BRASIL ao setor privado internacional e a privatização da CAIXA por meio do lançamento de suas ações em bolsa de valores; tudo isso em detrimento da indústria e do comércio que recorrem aos bancos públicos, diante os elevados níveis dos juros cobrados pelos bancos privados. O objetivo é desarmar totalmente o Estado Brasileiro frente às investidas do mercado que tudo quer e tudo pode: parcelas cada vez maiores da Renda Nacional entregues aos bancos e aos rentistas. 
 
 
 
O BNDES Banco Nacional de Desenvolvimento Econômico e Social comunicou, nesta 5ª feira, 28.09, ter depositado R$ 33 bilhões como resgate antecipado de dívidas da instituição com o governo federal.
 
O total previsto a ser resgatado este ano é de R$ 50 bilhões, segundo anunciou, no último dia 21, o diretor da Área Financeira e Internacional do banco, Carlos Thadeu de Freitas.
 
A operação foi efetivada com depósito de R$ 18 bilhões em moeda corrente e R$ 15 bilhões em títulos públicos federais. Os termos da liquidação antecipada foram acertados com os ministérios da Fazenda e do Planejamento, “e após profunda análise das viabilidades e dos impactos financeiros inerentes”, informou o banco.
 
Em nota, o BNDES esclareceu que a decisão colegiada da diretoria levou em conta três fatores que incluem “contribuir com os esforços para conter a dívida bruta da União; assegurar a capacidade do BNDES de atender à demanda por crédito necessária ao desenvolvimento do país; e manter o alinhamento com as determinações do Tribunal de Contas da União (TCU)”.
 
A operação foi aprovada pelo Conselho de Administração do BNDES, que reafirmou que o alinhamento da instituição com o TCU “é absoluto”.
 
De acordo com Carlos Thadeu de Freitas, a próxima parcela a ser devolvida ao Tesouro Nacional, no valor de R$ 17 bilhões, deverá ser depositada em outubro.


Fonte: Chamada de Capa e subtítulo da Redação do JF, sobre matéria da Agência Brasil





Indique a um amigo     Imprimir    Comentar notícia

>> Últimos comentários

NOTÍCIAS DA FRANQUEADORA E EMPRESAS DO SEGMENTO


 Outras notícias.
DÓLAR na maior cotação em 5 meses após adiamento da reforma da Previdência 15/12/2017
DÓLAR na maior cotação em 5 meses após adiamento da reforma da Previdência
 
Orçamento/2018 aprovado com previsão de gastos de R$ 3,57 Trilhões 14/12/2017
Orçamento/2018 aprovado com previsão de gastos de R$ 3,57 Trilhões
 
PETROLEO - Governo prorroga até 2040 regime aduaneiro especial para o setor 18/08/2017
PETROLEO - Governo prorroga até 2040 regime aduaneiro especial para o setor
 
Câmara mantém isenções a petrolíferas até 2040 14/12/2017
Câmara mantém isenções a petrolíferas até 2040
 
FGTS - Empresas devedoras já podem parcelar débitos 14/12/2017
FGTS - Empresas devedoras já podem parcelar débitos
 
PLANOS ECONÔMICOS - Conheça o Acordo que irá compensar as perdas da Poupança 14/12/2017
PLANOS ECONÔMICOS - Conheça o Acordo que irá compensar as perdas da Poupança
 
COMÉRCIO - Varejo  tem queda de 0,9% em outubro 13/12/2017
COMÉRCIO - Varejo tem queda de 0,9% em outubro
 
ATA DO COPOM  Ligeiramente desconfortável 13/12/2017
ATA DO COPOM Ligeiramente desconfortável
 
INFLAÇÃO e Juros mais baixos em 2017, afirmam economistas 11/12/2017
INFLAÇÃO e Juros mais baixos em 2017, afirmam economistas
 
UE e Mercosul encerram rodada de negociação 10/12/2017
UE e Mercosul encerram rodada de negociação
 
JORNAL FRANQUIA - Todos os direitos reservados 2009