Home   |   Expediente   |   Publicidade   |   Cadastre-se   |   Fale Conosco             

Economia

27 de Novembro de 2017 as 18:11:19



REFORMA TRABALHISTA - Além da Maldade, Complicações Fiscais Previdênciarias



 
A reforma trabalhista, efetuada pela Lei nº 13.467 de 2017, trouxe a possibilidade de o segurado empregado receber valor mensal inferior ao salário mínimo, como no caso de trabalho intermitente. Esse tipo de trabalho permite o pagamento por horas ou dia de trabalho.
 
A auditora fiscal da Receita Cármem da Silva Araújo disse que o Fisco está em contato com o INSS Instituto Nacional do Seguro Social para definir qual será a melhor maneira de fazer o recolhimento.
 
Segundo Cármem, o governo deve informar quais serão os procedimentos para o trabalhador fazer o recolhimento, antes do dia 20 de dezembro deste ano. Nessa data, será feito o próximo recolhimento da contribuição previdenciária.
 
De acordo com a auditora, estão sendo discutidas com o INSS questões técnicas como a criação de um código de recolhimento e se o pagamento será por Documento de Arrecadação de Receitas Federais (DARF) ou pela GPS Guia da Previdência Social. 
 
Cármem disse que é importante fazer o recolhimento mesmo que seja sobre um valor pequeno para que seja computado o tempo de contribuição para receber os benefícios previdenciários.
 
“Se não recolher, o mês não será contado para fins de benefício previdenciário. Só há reconhecimento do mês quando a base de cálculo corresponde um salário mínimo”,
 
afirmou.
 
 
Contribuição Previdenciária Complementar
 
A Receita Federal ainda vai informar, até o próximo mês, como será o recolhimento da contribuição previdenciária complementar pelo trabalhador que receber menos de R$ 937 em um mês, valor do salário mínimo. O trabalhador terá que recolher a alíquota de 8% de contribuição previdenciária sobre a diferença entre o que recebeu e o salário mínimo.
 
Se o trabalhador receber, por exemplo, R$ 900, no total de serviços prestados em um mês, fará o recolhimento de 8% sobre R$ 37. 
 
Nesta 2ª feira, 27.11, a Receita divulgou o Ato Declaratório Interpretativo (ADI) RFB nº 6 para definir a alíquota de 8%, a menor paga atualmente pelos empregados, e a data de pagamento pelos trabalhadores – dia 20 do mês seguinte ao da prestação do serviço.


Fonte: Agência Brasil, reporter Kelen Oliveira. Copidescagem e Chamada de Capa da Redação





Indique a um amigo     Imprimir    Comentar notícia

>> Últimos comentários

NOTÍCIAS DA FRANQUEADORA E EMPRESAS DO SEGMENTO


 Outras notícias.
PLANOS ECONÔMICOS - Soluções sobre como obter Ressarcimento de suas Perdas 18/12/2017
PLANOS ECONÔMICOS - Soluções sobre como obter Ressarcimento de suas Perdas
 
DÓLAR na maior cotação em 5 meses após adiamento da reforma da Previdência 15/12/2017
DÓLAR na maior cotação em 5 meses após adiamento da reforma da Previdência
 
Orçamento/2018 aprovado com previsão de gastos de R$ 3,57 Trilhões 14/12/2017
Orçamento/2018 aprovado com previsão de gastos de R$ 3,57 Trilhões
 
PETROLEO - Governo prorroga até 2040 regime aduaneiro especial para o setor 18/08/2017
PETROLEO - Governo prorroga até 2040 regime aduaneiro especial para o setor
 
Câmara mantém isenções a petrolíferas até 2040 14/12/2017
Câmara mantém isenções a petrolíferas até 2040
 
FGTS - Empresas devedoras já podem parcelar débitos 14/12/2017
FGTS - Empresas devedoras já podem parcelar débitos
 
PLANOS ECONÔMICOS Conheça o Acordo que irá compensar as perdas da Poupança 14/12/2017
PLANOS ECONÔMICOS Conheça o Acordo que irá compensar as perdas da Poupança
 
COMÉRCIO - Varejo  tem queda de 0,9% em outubro 13/12/2017
COMÉRCIO - Varejo tem queda de 0,9% em outubro
 
ATA DO COPOM  Ligeiramente desconfortável 13/12/2017
ATA DO COPOM Ligeiramente desconfortável
 
INFLAÇÃO e Juros mais baixos em 2017, afirmam economistas 11/12/2017
INFLAÇÃO e Juros mais baixos em 2017, afirmam economistas
 
JORNAL FRANQUIA - Todos os direitos reservados 2009