Home   |   Expediente   |   Publicidade   |   Cadastre-se   |   Fale Conosco             

Política

24 de Janeiro de 2018 as 10:48:58



JULGAMENTO DE LULA - Procurador inverte o ônus da prova e afirma que defesa não apresentou elemento probatório


procurador Maurício Gerum
 
 
Sem referir-se ou apresentar a qualquer prova, Procurador inverte o ônus da prova e afirma que defesa não conseguiu apresentar elemento probatório e decreta:
"Lamentavelmente, Lula se corrompeu." 
 
 
O procurador Regional da República Maurício Gotardo Gerum, afirmou nesta 4ª feira, 24.01, no julgamento do recurso do ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva no TRJ4 Tribunal Regional Federal da 4ª Região que o ex-chefe do Executivo se corrompeu e que a defesa não conseguiu apresentar qualquer elemento probatório consistente que afastasse a acusação dos crimes de corrupção passiva e lavagem de dinheiro. 
 
“Lamentavelmente, Lula se corrompeu”,
 
resumiu.
 
Gerum também questionou a atuação do ex-presidente da empreiteira da OAS, José Aldemario Pinheiro Filho, ao mostrar a Lula o apartamento triplex no Condomínio Solaris, no Guarujá, em São Paulo.
 
“Causa estranheza que o presidente da empreiteira faça as vezes de mestre de cerimônia ou corretor de imóveis ao apresentar o imóvel a um ex-presidente e a sua família”.
 
Ele também questionou o que chamou de “cultura retrógrada”, ao comentar a relação entre o mundo empresarial e o mundo político.
 
“Essa relação entre o mundo político e empresarial se mostra como uma intimidade absolutamente artificial baseada apenas no toma lá da cá”.
 
Na sustentação, o procurador acusou o petista de ser o verdadeiro dono do triplex. E rebateu a tese da defesa de que Lula não atuava na indicação de diretores da Petrobras.
 
“Era evidente e transparece nos autos a atuação de Lula na indicação de diretores da Petrobras”,
 
afirmou. Disse também que, ao assumirem os cargos, os diretores da estatal assumiam, o que chamou de, “cláusula de corrupção”.
 
A apelação da defesa de Lula é contra a condenação a 9 anos e 6 meses de prisão no caso do triplex do Guarujá – aplicada pelo juiz Sérgio Moro, responsável pelos processos da Operação Lava Jato na primeira instância da Justiça Federal, em Curitiba (PR).


Fonte: AGENCIA BRASIL. Chamada de capa e subtítulo da Redação JF





Indique a um amigo     Imprimir    Comentar notícia

>> Últimos comentários

NOTÍCIAS DA FRANQUEADORA E EMPRESAS DO SEGMENTO


 Outras notícias.
IBOPE: Bolsonaro com 59% dos votos válidos; Haddad, 41% 15/10/2018
IBOPE: Bolsonaro com 59% dos votos válidos; Haddad, 41%
 
FACHIN arquiva inquérito de Zeca do PT e Blairo Maggi: 15/10/2018
FACHIN arquiva inquérito de Zeca do PT e Blairo Maggi: "Não há indícios das supostas condutas"
 
Partidos lançam frente de apoio a HADDAD e MANUELA D´AVILA: PCdoB PROS PSB PCB PSOL 15/10/2018
Partidos lançam frente de apoio a HADDAD e MANUELA D´AVILA: PCdoB PROS PSB PCB PSOL
 
HADDAD pretende fazer “Arco de Alianças” contra Retrocessos 15/10/2018
HADDAD pretende fazer “Arco de Alianças” contra Retrocessos
 
BOLSONARO afirma que capitães vão mandar no Brasil 15/10/2018
BOLSONARO afirma que capitães vão mandar no Brasil
 
HADDAD busca o Centro e prega Estabilidade Democrática 14/10/2018
HADDAD busca o Centro e prega Estabilidade Democrática
 
HADDAD recebe carta de apoio e apreço de integrantes do PSDB 11/10/2018
HADDAD recebe carta de apoio e apreço de integrantes do PSDB
 
PDT dá apoio crítico a HADDAD; 05 Partidos definem neutralidade; 11/10/2018
PDT dá apoio crítico a HADDAD; 05 Partidos definem neutralidade;
 
PAULO GUEDES  Economista de Bolsonaro nega volta da CPMF 09/10/2018
PAULO GUEDES Economista de Bolsonaro nega volta da CPMF
 
HADDAD 09/10/2018
HADDAD "Ataques por divergência de opinião ameaçam a democracia"
 
Escolha do Editor
Curtas & Palpites
JORNAL FRANQUIA - Todos os direitos reservados 2009