Home   |   Expediente   |   Publicidade   |   Cadastre-se   |   Fale Conosco             

Política

31 de Março de 2018 as 03:03:22



BARROSO Liberdade de presos na Operação Skala será avaliada após depoimentos


Ministro Barroso em debate no STF, em 21.03.2018
 
O ministro do STF Supremo Tribunal Federal Luís Roberto Barroso decidiu nesta 6ª feira Santa, 30.03, que os pedidos de revogação de prisão feitos pelos presos na Operação Skala, da Polícia Federal, serão julgados somente após os delegados e procuradores responsáveis pelo caso encerrarem os depoimentos dos acusados, que estão em andamento na superintendência da PF em São Paulo. A análise ainda dependerá do parecer da PGR Procuradoria-Geral da República.
 
Na mesma decisão, Barroso entendeu que o conteúdo do processo vai continuar em segredo de Justiça até que as todas as diligências que foram determinadas por ele sejam cumpridas. Dessa forma, os advogados dos investigados terão acesso aos pedidos de prisão e busca e apreensão feitos pela PGR e pela PF somente após o fim das diligências.
 
As medidas foram determinadas pelo ministro Barroso, relator da investigação sobre o Decreto dos Portos (Decreto 9.048/2017), assinado pelo presidente Michel Temer em maio do ano passado, e que apura o suposto favorecimento a empresas do ramo portuário.
 
Foram presas temporariamente 13 pessoas ao todo, lista que inclui o ex-assessor do presidente Michel Temer, José Yunes; o ex-ministro da Agricultura e ex-presidente da estatal Companhia Docas do Estado de São Paulo (Codesp) Wagner Rossi; o presidente do Grupo Rodrimar, Antônio Celso Grecco; a empresária Celina Torrealba, uma das proprietárias do Grupo Libra, que também atua no ramo portuário; e o coronel João Batista Lima, amigo do presidente Michel Temer.
 
O presidente Michel Temer, o ex-deputado federal Rodrigo Rocha Loures e os donos da Rodrimar também são investigados no processo. Em janeiro, ao responder por escrito aos questionamentos dos delegados responsáveis pelo caso, a defesa do presidente Temer declarou que ele nunca foi procurado por empresários do setor portuário para tratar da edição do decreto. Sobre o ex-deputado Rocha Loures, um dos investigados no inquérito, Temer disse que nunca o autorizou a fazer tratativas em seu nome.
 
"Peço vênia para realçar a impertinência de tal questão, por colocar em dúvida a minha honorabilidade e dignidade pessoal",
 
escreveu.


Fonte: AGENCIA BRASIL. Imagem de arquivo.





Indique a um amigo     Imprimir    Comentar notícia

>> Últimos comentários

NOTÍCIAS DA FRANQUEADORA E EMPRESAS DO SEGMENTO


 Outras notícias.
23/04/2018
RAQUEL DODGE quer veto de Temer ao Projeto Lei que reduz poder dos MPs e do TCU
 
23/04/2018
POBREZA - Fundação ABRINQ divulga índices alarmantes nesta 3ª feira
 
PT reafirma candidatura de LULA à presidente da República 23/04/2018
PT reafirma candidatura de LULA à presidente da República
 
Recurso de Lula será julgado pela Segunda Turma do STF 23/04/2018
Recurso de Lula será julgado pela Segunda Turma do STF
 
MARIELLE FRANCO Em maio a reconstituição da cena do crime de 14.03 21/04/2018
MARIELLE FRANCO Em maio a reconstituição da cena do crime de 14.03
 
ANP apoia a venda das refinarias da Petrobras  20/04/2018
ANP apoia a venda das refinarias da Petrobras
 
MARCONI PIRILO perde foro privilegiado, Processo vai para a 1ª Instância 20/04/2018
MARCONI PIRILO perde foro privilegiado, Processo vai para a 1ª Instância
 
PARENTE quer vender 60% das Refinarias da PETROBRAS 19/04/2018
PARENTE quer vender 60% das Refinarias da PETROBRAS
 
PETROBRAS quer vender Refinarias e realiza Seminário para debate do modelo de venda 19/04/2018
PETROBRAS quer vender Refinarias e realiza Seminário para debate do modelo de venda
 
PROCESSO PENAL Projeto do Novo Código prevê 'Juiz de Garantias' 19/04/2018
PROCESSO PENAL Projeto do Novo Código prevê 'Juiz de Garantias'
 
JORNAL FRANQUIA - Todos os direitos reservados 2009