Home   |   Expediente   |   Publicidade   |   Cadastre-se   |   Fale Conosco             

Investimentos

26 de Maio de 2018 as 10:05:41



INVESTIMENTOS O Mercado na 6ª feira Bolsa cai 1,53% a 78897 pts Dólar sobe a R$3,6727 0,69%



Diário de Mercado na 6ª feira, 25.05.2018
 
Com extensão da greve dos caminhoneiros Ibovespa tem semana negativa
 
Resumo.
 
No quinto dia da greve dos caminhoneiros no Brasil, onde a trégua ventilada na noite de 5ª feira não se instalou efetivamente, o mercado teve mais um dia de nervosismo, e o Ibovespa tornou a declinar.
 
Sem notícias positivas vindas do exterior, os mercados de câmbio e juros também absorveram o sentimento de cautela diante da situação incrementalmente danosa aos mais diversos setores da economia doméstica, e os investidores optaram pelo desarme de posições em especial diante das incertezas oriundas do imbróglio ao final de semana que se inicia.
 
Até o fechamento desta edição se manifestavam tão somente esforços pontuais do governo em torno de abastecimentos em locais estratégicos como refinarias, para garantir a distribuição de combustíveis, sem, no entanto sinais de um encerramento da questão de forma mais ampla. 
 
Ibovespa.
 
A grande vedete da semana, a Petrobras, até chegou a operar no positivo, mas influenciada pela queda abrupta do petróleo no mercado externo, mais uma vez voltou a ceder.
 
Mas o recuo desta foi modesto em comparação com outros setores, em especial  siderúrgico e de mineração, com o primeiro penalizado pelo clima envolto em ansiedades quanto aos prováveis impactos da greve dos caminhoneiros, e o segundo influenciado por queda do minério de ferro na China.
 
O índice encerrou aos 78.897 pts (-1,53%), acumulando -5,04% na semana e -8,38% no mês, mas altas de 3,27% no ano e de 24,79% em 12 meses. O volume preliminar da Bovespa foi de R$ 12,33 bilhões, sendo R$ 11,94 bilhões no mercado à vista.
 
Capitais Externos na Bolsa
 
Na 4ª feira, 23.05, último dado disponível, houve retirada líquida de capital estrangeiro em R$ 379,881 milhões da bolsa, elevando o saldo negativo de maio para R$ 3,918 bilhões e baixando o saldo positivo do ano para R$ 502,896 milhões.
 
Agenda Econômica.
 
No Brasil, os custos de construção (INCC-M) se elevaram em 0,30% em maio ante 0,28% na leitura de abril, vindo abaixo do consenso, em 0,40%. Na decomposição do indicador, o subitem Materiais, Equipamentos e Serviços passaram de 0,40% para 0,49%, enquanto o subitem Mão de Obra foi no sentido oposto: desacelerou de 0,18% para 0,15% no período. 
 
Nos EUA, os pedidos de bens duráveis recuaram 1,7% em abril, ligeiramente aquém das expectativas dos analistas (consenso: -1,3%). Ainda por lá, a leitura final do índice de confiança da Universidade de Michigan relativa a maio recuou a 98,0 pontos, sendo que era esperada a manutenção da leitura de abril, em 98,8 pontos.  
 
Câmbio e CDS.
 
Embalada pela piora contundente no clima dos negócios em âmbito doméstico, a moeda norte-americana se elevou ante o real na sexta-feira, mas ainda assim apresentou recuo na semana.
 
A divisa fechou cotada a R$ 3,6727 (+0,69%), variando -1,87% na semana e acumulando 4,74% no mês, 11,00% no ano e 11,64% em 12 meses.
 
Risco País
 
O risco medido pelo CDS Brasil 5 anos subiu a 193 pts, ante 191 pts da véspera.
 
Juros.
 
Os juros futuros encerraram com elevações em todos os vértices, destacadamente, na ponta mais longa de sua estrutura a termo. A turbulência no cenário doméstico, contaminado pela greve dos caminhoneiros e o impasse ainda sobre sua dissipação, levou a um novo aumento da aversão ao risco interno, que se refletiu sobre os juros.
 
Para a próxima semana.
 
No Brasil, destaque para dados do PIB, taxa de desemprego, resultado nominal do setor público, arrecadação de impostos, confiança do consumidor CNI e PMI Manufatura.
 
Já nos EUA, ênfase absoluta para a divulgação do PCE e seu núcleo (inflação ao consumidor), assim como a segunda prévia do PIB do 1T18, e dados do mercado de trabalho com o payroll.  
 
 
Confira no anexo a íntegra do relatório de análise do comportamento do mercado na 6ª feira, 26.05.2018, elaborado por RICARDO VIEITES, CNPI, e RAFAEL FREDA REIS, CNPI-P, ambos do BB Investimentos

Clique aqui para acessar o aquivo PDF

Fonte: RICARDO VIEITES, CNPI, e RAFAEL FREDA REIS, CNPI-P, ambos do BB Investimentos





Indique a um amigo     Imprimir     Comentar notícia

>> Últimos comentários

NOTÍCIAS DA FRANQUEADORA E EMPRESAS DO SEGMENTO


  Outras notícias.
O MERCADO na 3ª feira: Ibovespa sobe 2,83%. Dólar cai a R$ 3,722 17/10/2018
O MERCADO na 3ª feira: Ibovespa sobe 2,83%. Dólar cai a R$ 3,722
 
GUIA DE AÇÕES  Conheça aqui as cotações de 15.10 Programe seu Investimento 15/10/2018
GUIA DE AÇÕES Conheça aqui as cotações de 15.10 Programe seu Investimento
 
O MERCADO 2ª feira: Ibovespa sobe 0,53%. Dólar cai a R$ 3,738 15/10/2018
O MERCADO 2ª feira: Ibovespa sobe 0,53%. Dólar cai a R$ 3,738
 
LOJAS  RENNER  Investor Day 2018 e Revisão de Preço 13/10/2018
LOJAS RENNER Investor Day 2018 e Revisão de Preço
 
GUIA DE AÇÕES  Conheça aqui as cotações de 11.10. Programe seu Investimento 12/10/2018
GUIA DE AÇÕES Conheça aqui as cotações de 11.10. Programe seu Investimento
 
O MERCADO na 5ª feira: Ibovespa cai 0,95%. Dólar sobe a R$ 3,776 12/10/2018
O MERCADO na 5ª feira: Ibovespa cai 0,95%. Dólar sobe a R$ 3,776
 
O MERCADO 4ª feira: Mau humor externo faz Ibovespa cair 2,8% e Dólar subir a R$ 3,763 10/10/2018
O MERCADO 4ª feira: Mau humor externo faz Ibovespa cair 2,8% e Dólar subir a R$ 3,763
 
GUIA DE AÇÕES  Conheça aqui as cotações de 09.10. Programe seu Investimento 10/10/2018
GUIA DE AÇÕES Conheça aqui as cotações de 09.10. Programe seu Investimento
 
GUIA DE AÇÕES  Conheça aqui as cotações de 08.10. Programe seu Investimento 08/10/2018
GUIA DE AÇÕES Conheça aqui as cotações de 08.10. Programe seu Investimento
 
O MERCADO 6ª feira, Ibovespa cai 0,76%. Dólar cai a R$ 3,856 06/10/2018
O MERCADO 6ª feira, Ibovespa cai 0,76%. Dólar cai a R$ 3,856
 
Escolha do Editor
Curtas & Palpites
JORNAL FRANQUIA - Todos os direitos reservados 2009