Home   |   Expediente   |   Publicidade   |   Cadastre-se   |   Fale Conosco             

Investimentos

24 de Agosto de 2018 as 20:08:15



O MERCADO na 6ª feira: FED traz Alívio Pontual aos Ativos Globais



Diário de Mercado na 6ª feira, 24.08.2018
 
Discurso do presidente do Fed traz alívio pontual aos ativos globais
 
Comentário.
 
A sessão que encerrou a semana foi de predominante alívio nos ativos da maioria das praças globais.
 
No evento mais relevante do dia, o presidente do Fed Jerome Powell, proferiu discurso considerado brando no tradicional simpósio econômico em Jackson Hole. Destacadamente, salientou a existência de incertezas quanto à trajetória inflacionária rumo à meta de 2% nos EUA, e sinalizou a adoção de medidas para corrigir um possível afastamento relevante, tanto para cima quanto para baixo deste movimento.
 
Com isso, o dólar perdeu força ante a maioria das divisas mundo afora, e as bolsas de Nova York aceleraram a alta.
 
No Brasil, diante de noticiário fraco, a bolsa importou o sinal positivo vindo dos EUA e avançou, enquanto o dólar e juros recuaram, refletindo o tom de maior propensão ao risco dos agentes trazido pela maior leveza do clima dos negócios no exterior.  
 
Ibovespa.
 
Apesar da alta firme logo na abertura, direcionada por conta do discurso do presidente do Fed, à tarde o ímpeto arrefeceu por conta de questões geopolíticas envolvendo EUA e Coreia do Norte. Apesar de se distanciar da máxima, o índice fechou no positivo, com performance favorecida principalmente pela dobradinha Petro/Vale, também pelo setor bancário.
 
O índice fechou aos 76.262 pts (+0,83%), acumulando 0,31% na semana, -3,73% no mês, -0,18% no ano e 7,21% em 2018. O giro financeiro preliminar da Bovespa foi de R$ 8,47 bilhões, sendo R$ 8,22 bilhões no mercado à vista.
 
Capitais Externos na Bolsa
 
No dia 22 (último dado disponível) houve ingresso líquido de R$ 290,593 milhões em capital estrangeiro na Bovespa, somando saldo positivo de R$ 2,733 bilhões em agosto, mas acumulando saldo negativo de R$ 3,429 bilhões no ano.  
 
 
Agenda Econômica.
 
No Brasil, a confiança do consumidor (FGV) retraiu a 83,8 pontos no mês de agosto, frente a 84,2 em julho, na série com ajuste sazonal. O dado, que é um composto dos subíndices situação atual (71,4 pontos, -2,7 ante julho) e expectativas (93,0 pontos, +1,1 da leitura de julho) permanece bastante aquém do índice considerado neutro (100 pontos), refletindo o desalento do consumidor com a situação atual da economia, que se recupera em ritmo vagaroso, e é vista como cada vez mais dependente do resultado das eleições. 
 
Na Alemanha, principal economia da Zona do Euro, o PIB do 2T veio estritamente em linha com as projeções, em 0,5% no comparativo trimestral, e 2,0% no acumulado dos 4 últimos trimestres a termos anualizados. 
 
Câmbio e CDS.
 
O dólar comercial (interbancário) recuou ante não apenas moedas emergentes, mas também frente pares de economias desenvolvidas, puxado pela fala mais branda de Jerome Powell em seu discurso em Jackson Hole.
 
A divisa encerrou cotada a R$ 4,1035 (-0,24%). Agora, passou a acumular 4,69% na semana, 9,30% no mês, 24,02% no ano e 30,48% em12 meses.
 
Risco País
 
O risco medido pelo CDS Brasil de 5 anos subiu a 286 pts versus 279 pts da véspera.
 
Juros.
 
A curva da estrutura a termo dos juros futuros acompanhou a trajetória do dólar – incluindo uma pontual virada no meio da tarde, posteriormente apagada – e recuou em sua predominância.
 
O movimento do dia foi considerado uma correção das recentes escaladas dos prêmios, tornando evidente que as preocupações domésticas com o cenário eleitoral e externas com questões como guerra comercial e tensão geopolítica inibem posicionamentos mais agressivos por parte dos investidores.
  
Para a semana de 27 a 31 de agosto.
 
No Brasil, agenda agitada, com taxa de desemprego, inflação pelo IGP-M, investimento estrangeiro direto, dívida federal total, resultado primário, e o grande destaque da semana: o PIB relativo ao 2T18.
 
No exterior, PIB também nos EUA e França, sendo no primeiro ainda divulgados dados de renda e gastos pessoais e o PCE. 
 
 
Confira no anexo a íntegra do relatório de análise do comportamento do mercado na 6ª feira 24.08.2018, elaborado por RAFAEL REIS, CNPI-P,  e RICARDO VIEITES, CNPI, ambos integrantes do BB Investimentos

Clique aqui para acessar o aquivo PDF

Fonte: RAFAEL REIS, CNPI-P, e RICARDO VIEITES, CNPI, ambos integrantes do BB Investimentos





Indique a um amigo     Imprimir     Comentar notícia

>> Últimos comentários

NOTÍCIAS DA FRANQUEADORA E EMPRESAS DO SEGMENTO


  Outras notícias.
GUIA DE AÇÕES  Conheça aqui as cotações de 15.02 Programe seu Investimento 16/02/2019
GUIA DE AÇÕES Conheça aqui as cotações de 15.02 Programe seu Investimento
 
USIMINAS  Resultado  no 4º Trimestre de 2018: Negativo. Margens Prejudicadas 16/02/2019
USIMINAS Resultado no 4º Trimestre de 2018: Negativo. Margens Prejudicadas
 
O MERCADO, 6ªfeira: Ibovespa cai 0,5% a 97.525 pts. Dólar cai a R$ 3,705. 15/02/2019
O MERCADO, 6ªfeira: Ibovespa cai 0,5% a 97.525 pts. Dólar cai a R$ 3,705.
 
O MERCADO, 5ª feira: Ibovespa sobe 2,27% a 98.015pts. Dólar cai a R$ 3,719. 15/02/2019
O MERCADO, 5ª feira: Ibovespa sobe 2,27% a 98.015pts. Dólar cai a R$ 3,719.
 
BOLSA opera em alta e dólar vale R$ 3,76 14/02/2019
BOLSA opera em alta e dólar vale R$ 3,76
 
O MERCADO, 4ª feira: Ibovespa cai a 95.842pts (-0,34%); Dólar sobe 1,05% a R$3,753 14/02/2019
O MERCADO, 4ª feira: Ibovespa cai a 95.842pts (-0,34%); Dólar sobe 1,05% a R$3,753
 
GUIA DE AÇÕES  Conheça aqui as cotações de 12.02 Programe seu Investimento 13/02/2019
GUIA DE AÇÕES Conheça aqui as cotações de 12.02 Programe seu Investimento
 
O MERCADO na 3ª feira: Ibovespa sobe 1,86% e Dóalr cai a R$ 3,714 12/02/2019
O MERCADO na 3ª feira: Ibovespa sobe 1,86% e Dóalr cai a R$ 3,714
 
O MERCADO na 2ª feira: Bolsa cai a 94.412 pts (-0,98%). Dólar sobe a R$ 3,765 11/02/2019
O MERCADO na 2ª feira: Bolsa cai a 94.412 pts (-0,98%). Dólar sobe a R$ 3,765
 
O MERCADO na 6ª feira: Ibovespa sobe 0,99%. Dólar sobe a R$ 3,728 08/02/2019
O MERCADO na 6ª feira: Ibovespa sobe 0,99%. Dólar sobe a R$ 3,728
 
Escolha do Editor
Curtas & Palpites
JORNAL FRANQUIA - Todos os direitos reservados 2009