Home   |   Expediente   |   Publicidade   |   Cadastre-se   |   Fale Conosco             

Economia e Finanças

Quarta-Feira, Dia 07 de Novembro de 2018 as 06:11:21



O MERCADO 3ª feira: Na Bolsa, realizações e Queda de Blue Chips. Dólar sobe a R$ 3,759



Diário de Mercado na 3ª feira, 06.11.2018
 
Ibovespa tem dia de realizações com quedas de blue chips
 
Comentário.
 
Após sequência de quatro altas consecutivas, sendo as duas últimas de dois recordes históricos sucessivos, foi um típico pregão de natural realização. Além do balanço da Petrobras 3T18, que desagradou o mercado, a Vale e o setor de bancos pesaram sobre o índice – ou seja, os papéis de maior liquidez. 
 
Externamente, o foco esteve voltado,  nesta 3ª feira, 06.11, para a eleição parlamentar dos EUA, sendo o acontecimento da semana mais aguardado e observado pelos investidores, no qual, previsões locais dão conta que o partido republicano do presidente Donald Trump deverá perder a maioria na Câmara dos Representantes, mas, que deverá permanecer majoritário no senado.
 
No Brasil, ainda prosseguem negociações para uma tentativa de votação de uma parcela da reforma da previdência, mas que parte dos agentes considera menos exequível, dado o prazo curto até o final do ano. Neste panorama, o dólar comercial (R$ 3,7290) subiu, sendo também acompanhado de uma progressiva elevação dos contratos de juros futuros da ponta mais curta para a mais longa.
 
Ibovespa.
 
O índice principiou declinante, com as ações da Petrobras em firmes quedas, visto que o balanço 3T18 da empresa não agradou o mercado. Mesmo tendo mostrado alguma reação, o Ibovespa seguiu operando em campo negativo, refletindo o momento de cautela do cenário interno e internacional.
 
Na parte da tarde, permaneceu a oscilação do índice ao redor dos 89 mil pts, mas findou decaindo nos 35 minutos finais, encerrando em 88.668 pts (-1,04%), acumulando +0,28% na semana, +1,42% no mês, +16,06% no ano e +19,32% em 12 meses. O giro financeiro preliminar da Bovespa foi de R$ 14,506 bilhões, sendo 13,968 bilhões no mercado à vista. 
 
Agenda Econômica.
 
No Brasil, a Ata da última reunião do Copom (31.10.2018), divulgada nesta 3ª feira pela manhã, apresentou uma “diminuição de incertezas no âmbito doméstico”, contribuindo, segundo o Banco Central, para uma redução da assimetria no balanço de riscos. Pela quinta vez consecutiva a Selic foi mantida estável na sua menor taxa histórica, de 6,50%.
 
Segundo o documento, a inflação acumulada em 12 meses deve atingir seu pico por volta do segundo trimestre de 2019, arrefecendo a partir daí e seguindo em direção a meta do próximo ano, em 4,25%.
 
Quanto ao cenário externo, o COPOM verifica diminuição  no apetite ao risco com relação aos emergentes, com preços dos ativos de risco mais voláteis em algumas economias avançadas.
 
Outra pauta externa foi a China, tratando dos eventuais impactos e riscos em decorrência da guerra comercial e como poderão influenciar o crescimento global.
 
Câmbio e CDS.
 
Com cenário externo de cautela e as expectativas a respeito de novas declarações em relação à reforma da previdência, o dólar comercial (interbancário) encerrou a sessão em alta, findando R$ 3,7590 (+0,91%), acumulando +0,83% no mês, +1,68% na semana, +13,39% no ano e +15,41% em 12 meses.
 
 
Risco País
 
O risco medido pelo CDS Brasil de 5 anos permaneceu estável em 196, em relação à véspera.
 
Juros.
 
Os juros futuros encerraram a sessão regular em alta, em progressiva ascensão para os contratos de longo prazo e moderada na ponta curta. O DI para janeiro de 2020 subiu de 7,13% para 7,15%. O DI para janeiro de 2023 fechou em 9,27% ante 9,21% de ontem. Já o DI para 2025 encerrou em 9,82% de 9,74% da última sessão.
 
Para a semana.
 
Destaques, no Brasil, para a ata do Copom na terça (06.11), inflação pelo IPCA e IGP-DI na 4ª feira, 07.11,  bem como para os dados de produção e vendas de veículos pela Anfavea no mesmo dia.
 
Já no exterior, ganham relevo a balança comercial chinesa (07.11), produção industrial alemã e francesa e, fechando a semana, a confiança do consumidor norte-americano pela Universidade de Michigan.     
  
Confira no anexo a íntegra do relatório de análise do comportamento do mercado na 3ªfeira, 06.11.2018, elaborado por HAMILTON MOREIRA ALVES, CNPI-T, e RICARDO VIEITES, CNPI, ambos integrantes do BB Investimentos.
 

Clique aqui para acessar o aquivo PDF

Fonte: HAMILTON MOREIRA ALVES, CNPI-T, e RICARDO VIEITES, CNPI, ambos integrantes do BB Investimentos.





Indique a um amigo     Imprimir     Comentar notícia

>> Últimos comentários

NOTÍCIAS DA FRANQUEADORA E EMPRESAS DO SEGMENTO


  Outras notícias.
BNDES tem Nova Linha de Crédito para Micro e Pequena Empresa 22/03/2019
BNDES tem Nova Linha de Crédito para Micro e Pequena Empresa
 
POR AMOR-2 Guedes quer abrir unilateralmente a economia brasileira aos EUA 20/03/2019
POR AMOR-2 Guedes quer abrir unilateralmente a economia brasileira aos EUA
 
TRIBUTOS Arrecadação alcança R$ 115 BI, recorde desde o Plano Real 21/03/2019
TRIBUTOS Arrecadação alcança R$ 115 BI, recorde desde o Plano Real
 
COPOM - SELIC permanece em 6,5%, sob novo presidente do BC 20/03/2019
COPOM - SELIC permanece em 6,5%, sob novo presidente do BC
 
ANFAVEA teme que empresas prefiram investir no MÉXICO 20/03/2019
ANFAVEA teme que empresas prefiram investir no MÉXICO
 
IGP-M - Inflação do aluguel é de 8,05% em 12 meses 20/03/2019
IGP-M - Inflação do aluguel é de 8,05% em 12 meses
 
COPOM - O Dilema do BC na definição da SELIC nessa 4ª feira 18/03/2019
COPOM - O Dilema do BC na definição da SELIC nessa 4ª feira
 
SIDERURGIA E MINERAÇÃO Relatório Setorial de Desempenho - Fev/2019 16/03/2019
SIDERURGIA E MINERAÇÃO Relatório Setorial de Desempenho - Fev/2019
 
PRISIONEIRAS LACTANTES Projeto de Lei do Senado substitui Prisão Preventiva por Prisão Domiciliar 16/03/2019
PRISIONEIRAS LACTANTES Projeto de Lei do Senado substitui Prisão Preventiva por Prisão Domiciliar
 
FGV RIO promove seminário A Nova Economia Liberal 16/03/2019
FGV RIO promove seminário A Nova Economia Liberal
 
Escolha do Editor
Curtas & Palpites