Home   |   Expediente   |   Publicidade   |   Cadastre-se   |   Fale Conosco             

Investimentos

08 de Novembro de 2018 as 02:11:23



PETROBRAS - Resultados no 3º trimestre2018: Números Sólidos



PETROBRAS  -  Resultados no 3º trimestre de 2018
 
Números sólidos, apesar dos vários impactos do acidente e dos one-offs da Replan
 
A Petrobras divulgou em 06.11 resultados em linha com a nossa expectativa, marcada por um forte desempenho no segmento de E & P (menor produção, porém com preços mais elevados) e fracos em Refino (impactos do acidente Replan).
 
Apesar da venda de uma participação de 25% do campo de Roncador, a produção consolidada enfrentou um declínio não tão forte devido ao início de três novas plataformas:
 
(i)   FPSO Cidade Campos dos Goytacazes no campo da Tartaruga Verde; 
(ii)  P-74 no campo de Búzios; e
(iii) P-69 no campo de Lula.
 
Com base nessas novas plataformas e outras adições de futuros de curto prazo, esperamos uma recuperação mais sólida a partir do 1S19. O fluxo de caixa livre apresentou neste trimestre um decréscimo de R$ 8,1 bilhões, ante R$ 16,4 bilhões no 2T18, afetado por maiores despesas e impactos operacionais descritos abaixo.
 
A dívida líquida / EBITDA diminuiu de 3,7x no final de 2017 para 3,0x, beneficiada pelos desinvestimentos realizados e pelo fluxo de caixa livre positivo ao longo dos últimos trimestres.
 
Destaques operacionais.
 
Em E & P, a produção de petróleo bruto e LGN diminuiu 5,1% no trimestre, principalmente em função das paradas para manutenção e da venda de uma participação de 25% no Campo de Roncador. Esse declínio já era esperado, mas acreditamos que a empresa aumentará sua produção a partir de 2019.
 
Na Refinação, a menor produção afetou as exportações, que declinaram 70% trimesre/trimestre, para 72 mdp. O acidente de refinaria da Replan prejudicou a carga processada, que atingiu 1.693 mdp, -3,4% trimesre/trimestre. A paralisação da plataforma de Mexilhão levou a uma menor disponibilidade de gás nacional, consequentemente exigindo maiores importações de gás natural boliviano e GNL para suprir a maior demanda dos segmentos termelétrico e não-termoelétrico.
 
O segmento de distribuição apresentou maiores volumes e forte desempenho na maioria de seus segmentos (vide o relatório completo da BR Distribuidora, publicado hoje).
 
Destaques Financeiros.
 
Em E&P, apesar da menor produção, o lucro bruto aumentou 14% trimesre/trimestre, decorrente tanto da desvalorização do Real quanto do aumento do preço do Brent. O custo de elevação subiu 6% trimesre/trimestre, também afetado pela menor produção, juntamente com maiores gastos com intervenções em poços.
 
Na Refinação, os impactos do acidente da Replan e o maior SG & A (+ 59% q / q) contribuíram para uma queda de 37% na receita operacional. O segmento de Gas & Power apresentou EBITDA negativo de R $ 674 milhões, ante um resultado positivo de R $ 1,3 bilhão no 2T18, afetado por maiores despesas de importação de GNL, além das maiores perdas de crédito esperadas com o setor elétrico (R $ 923 milhões). milhão).
 
Na visão consolidada, várias desvalorizações impactaram outras despesas operacionais, que atingiram R $ 7,7 bilhões (+ 19% no trimestre e + 65% no ano). A partir disso, destacamos:
 
(i) a restituição positiva dos valores da Operação "Lava Jato", no valor de 1,7 bilhão;
(ii) impairment de ativos em R$ -1,7 bi;
(iii) despesas com o Plano de Carreiras e Remuneração (PCR) da Petrobras, em R$ -1,1 bilhão;
(iv) liquidações para encerrar as investigações com autoridades dos EUA, em R$ -3,5 bilhões.
 
Em relação ao último, conforme declaramos em nossa Nota de Pesquisa de 27/09/2018, a perda já era esperada e precificada. Consideramos o negócio como positivo para a Petrobras, apesar do prejuízo financeiro acima mencionado no P & L, uma vez que encerra as possibilidades futuras de outras perdas financeiras relacionadas a esse assunto nos EUA.
 
No entanto, ainda ressaltamos que ações semelhantes estão sendo atualmente emitidas em outros países, como Brasil, Argentina e Holanda, embora em estágios preliminares e com valores significativamente menores.
 
 
Opinião do analista.
 
O desempenho mais fraco do negócio de Refino foi parcialmente compensado pelo E & P, uma vez que o EBITDA consolidado atingiu R $ 29,9 bilhões, -1% q / q, uma pequena queda em um trimestre com tantas adversidades.
 
Em nossa opinião, considerando os grandes montantes de um acima mencionados, juntamente com o acidente na Replan, o resultado deste trimestre é sólido, porque sinaliza um caminho de recuperação operacional na produção e que benefícios futuros do caso de parada já foram coletados.
 
Revisamos nossas estimativas e mantemos o rating Market Perform da PETR4, com o novo preço alvo de R$ 27,00 por ação (antes de R $ 23,50) para 2019YE. Veja as páginas seguintes para mais detalhes.
 
 
 
Confira no anexo a íntegra do relatório de análise do desempenho da PETROBRAS no 3º trimestre/2018, elaborado por DANIEL COBUCCI, CNPI, Analista Senior do BB Investimentos
 

Clique aqui para acessar o aquivo PDF

Fonte: DANIEL COBUCCI, CNPI, analista senior do BB Investimentos. TRADUÇÃO: Redação JF





Indique a um amigo     Imprimir     Comentar notícia

>> Últimos comentários

NOTÍCIAS DA FRANQUEADORA E EMPRESAS DO SEGMENTO


  Outras notícias.
O MERCADO 2ª Feira: Ibovespa cai 0,69%. Dólar sobe a R$ 3,764 (+0,7%) 19/11/2018
O MERCADO 2ª Feira: Ibovespa cai 0,69%. Dólar sobe a R$ 3,764 (+0,7%)
 
JBS  Resultados no 3º Trimestre/ 2018: Forte Geração de Caixa 17/11/2018
JBS Resultados no 3º Trimestre/ 2018: Forte Geração de Caixa
 
BANCO CENTRAL Sai ex-Diretor do ITAÚ, entra Diretor do Banco SANTANDER 17/11/2018
BANCO CENTRAL Sai ex-Diretor do ITAÚ, entra Diretor do Banco SANTANDER
 
MAHLE METAL LEVE Resultados no 3º trimestre/2018: Vendas Fortes 17/11/2018
MAHLE METAL LEVE Resultados no 3º trimestre/2018: Vendas Fortes
 
M DIAS BRANCO  Resultados do 3T18 e Atualização de Preços futuros das Ações 17/11/2018
M DIAS BRANCO Resultados do 3T18 e Atualização de Preços futuros das Ações
 
O MERCADO 6ª feira Ibovespa sobe 2,96% Dólar cai a R$ 3,738 17/11/2018
O MERCADO 6ª feira Ibovespa sobe 2,96% Dólar cai a R$ 3,738
 
O MERCADO 4ª feira: Ibovespa sobe 1,25% Dólar cai a R$ 3,783 14/11/2018
O MERCADO 4ª feira: Ibovespa sobe 1,25% Dólar cai a R$ 3,783
 
O MERCADO 2ª Feira: Ibovespa cai 0,14% a 85.524,7 pts. Dólar sobe a R$ 3,759 13/11/2018
O MERCADO 2ª Feira: Ibovespa cai 0,14% a 85.524,7 pts. Dólar sobe a R$ 3,759
 
O MERCADO 6ª feira: Ibovespa estável; Dólar cai R$ 3, 738 10/11/2018
O MERCADO 6ª feira: Ibovespa estável; Dólar cai R$ 3, 738
 
BRF - Resultado no 3º Trimestre/2018: Recuperação no Trimestre 10/11/2018
BRF - Resultado no 3º Trimestre/2018: Recuperação no Trimestre
 
Escolha do Editor
Curtas & Palpites
JORNAL FRANQUIA - Todos os direitos reservados 2009