Home   |   Expediente   |   Publicidade   |   Cadastre-se   |   Fale Conosco             

Economia

Sexta-Feira, Dia 09 de Novembro de 2018 as 02:11:43



TESOURO NACIONAL "Deixar Previdência para 2019 não é fim do mundo", afirma Secretário



Secretário do Tesouro: deixar Previdência para 2019 não é fim do mundo
 
Mansueto Almeida discutiu ajuste fiscal com equipe de Bolsonaro
 
 
O secretário do Tesouro Nacional, Mansueto Almeida, afirmou que se o governo Michel Temer não conseguir aprovar a reforma da Previdência este ano, não haverá nenhum impacto negativo para o mercado financeiro. Mas, segundo ele, o governo de Jair Bolsonaro deverá avançar nessa pauta em 2019.
 
“Se [o governo Temer] aprovar algo infralegal esse ano, ótimo, é uma sinalização. Mas se não aprovar não é o fim do mundo. O que o mercado espera é a aprovação da reforma da Previdência no próximo ano. É necessária uma reforma da Previdência no país e o governo novo tem tempo de aprovar”,
 
disse Mansueto.
 
O economista passou o dia no Centro Cultural Banco do Brasil com a equipe de transição do governo eleito de Jair Bolsonaro. Mansueto tratou do ajuste fiscal com a equipe de transição e apresentou números do governo Temer.
 
“Devemos terminar o ano com déficit primário bem melhor que a meta, em torno de R$ 120 bilhões. Fui mostrar a dinâmica da despesa”.
 
Ao deixar o local, Mansueto teceu elogios à equipe e disse que estão comprometidos em alterar as regras da Previdência.
 
“Eu acho que o governo novo está muito comprometido em aprovar a reforma da Previdência. Tenho muitos amigos aí, funcionários públicos muito competentes, uma equipe muito comprometida com o ajuste fiscal, que quer fazer avaliação de gasto público, que quer fazer o ajuste fiscal cortando a despesa, não com [elevação da] carga tributária”,
 
disse o secretário do Tesouro.
 
Há possibilidade de o governo Temer tentar alterar regras previdenciárias ainda este ano por meio de projetos infraconstitucionais, conforme informou ontem o governador eleito do Rio de Janeiro, Wilson Witzel. Mas o tempo para que os aliados do atual governo é curto.
 
Mas o tempo para que os aliados do atual governo avancem no tema é curto. Na teoria, restam seis semanas para aprovação. Mas, na prática, são menos dias, porque tradicionalmente as sextas-feiras no Congresso são esvaziadas. E, para encurtar mais, na próxima semana há um feriado na 5ª feira, 15.11.


Fonte: AGENCIA BRASIL





Indique a um amigo     Imprimir     Comentar notícia

>> Últimos comentários

NOTÍCIAS DA FRANQUEADORA E EMPRESAS DO SEGMENTO


  Outras notícias.
Distrito Federal registra desigualdade maior que restante do País 17/11/2018
Distrito Federal registra desigualdade maior que restante do País
 
Petrobras inicia operação de plataforma FPSO no pré-sal da Bacia de Santos 11/11/2018
Petrobras inicia operação de plataforma FPSO no pré-sal da Bacia de Santos
 
CAMBIO - Dólar fecha em alta, cotado a R$ 3,83 13/11/2018
CAMBIO - Dólar fecha em alta, cotado a R$ 3,83
 
COPOM Ata aponta Selic estável por período prolongado 13/11/2018
COPOM Ata aponta Selic estável por período prolongado
 
RECEITA abre nesta 6ª feira consulta ao sexto lote do IRPF 09/11/2018
RECEITA abre nesta 6ª feira consulta ao sexto lote do IRPF
 
BB lucra R$ 3,4 Bilhões no 3ª trimestre/2018 09/11/2018
BB lucra R$ 3,4 Bilhões no 3ª trimestre/2018
 
TESOURO NACIONAL 09/11/2018
TESOURO NACIONAL "Deixar Previdência para 2019 não é fim do mundo", afirma Secretário
 
BOLETOS VENCIDOS de todos os tipos serão pagos em qualquer Banco 09/11/2018
BOLETOS VENCIDOS de todos os tipos serão pagos em qualquer Banco
 
CADERNETA DE POUPANÇA Saques superam Depósitos em R$ 2,5 BI em outubro 08/11/2018
CADERNETA DE POUPANÇA Saques superam Depósitos em R$ 2,5 BI em outubro
 
DÍVIDA de Estados e Municípios com a União chega a R$ 908 BI 07/11/2018
DÍVIDA de Estados e Municípios com a União chega a R$ 908 BI
 
Escolha do Editor
Curtas & Palpites
JORNAL FRANQUIA - Todos os direitos reservados 2009