Home   |   Expediente   |   Publicidade   |   Cadastre-se   |   Fale Conosco             

Investimentos

04 de Dezembro de 2018 as 00:12:21



O MERCADO na 2ª feira: Trégua na Guerra Comercial favorece Novo Recorde do Ibovespa



DIário do Mercado na 2ª feira, 03.12.2018
 
Trégua em guerra comercial favorece novo recorde do Ibovespa 
 
Comentário.
 
Os mercados acionários pelo mundo registraram forte alta pela manhã em resposta ao acordo entre EUA e China que impõe uma trégua temporária à guerra comercial.
 
O reflexo, por aqui, traduziu-se em pontuação recorde intradiária do Ibovespa nos minutos iniciais do pregão, superando os 91 mil pts (+1,94%). A euforia se dissipou durante a sessão, não obstante, o Ibovespa encerrou com modesta alta de 0,35%, registrando novo recorde histórico de fechamento, aos 89.820 pts.
 
Já o dólar fechou cotado a R$ 3,8400 (-0,47%), acompanhando movimento global de enfraquecimento da divisa na presente sessão.
 
No mercado de juros, houve recuo nas taxas de curto prazo e estabilidade nos contratos de médio e longo prazos.  
 
Ibovespa.
 
O principal índice doméstico abriu o primeiro pregão de dezembro com forte alta e bateu a máxima do dia ainda nos primeiros minutos, aos 91.242 pts – pontuação recorde intradiária, avançando quase 2%.
 
Deixando de acompanhar certa euforia internacional ante trégua na guerra comercial entre EUA e China, o Ibovespa renunciou a maior parte dos ganhos e encerrou com alta modesta. Vale e Petrobras lideraram os ganhos, ao passo que o setor de bancos recuou.
 
O Ibovespa encerrou aos 89.820 pts (+0,35%), acumulando alta de 17,56% no ano e de 24,29% em 12 meses. O giro financeiro preliminar da Bovespa foi de R$ 17,9 bilhões, sendo R$ 17,4 bilhões no mercado à vista.
 
Capitais Externos na Bolsa
 
No dia 29 (último dado disponível), houve entrada líquida de capital estrangeiro em R$ 658 milhões da bolsa, reduzindo o saldo negativo de novembro para R$ 3,099 bilhões. Em 2018, o saldo de capital estrangeiro é deficitário em R$ 9,008 bilhões.
 
Agenda Econômica.
 
No Brasil, dados do IPC-S apresentaram uma queda de 0,17% no encerramento do mês de novembro. No ano, o índice acumula uma alta de 4,02% e de 4,24% em 12 meses.
 
Entre as classes que compõe o índice, Transportes obteve o maior decréscimo passando de -0,01% para -0,57%, fortemente impactado pelo preço da gasolina que retraiu de -1,33% para -2,90%.
 
Já o PMI da indústria brasileira atingiu o maior nível em 8 meses, segundo dados da Markit, passando de 51,1 em outubro para 52,7 em novembro. 
 
Nos EUA, o PMI da indústria passou de 55,4 em outubro para 55,3 em novembro, apresentando ligeiro recuo. Contrapondo os dados do ISM, que mostrou que a economia norte americana manteve o avanço pelo 115° mês, o índice foi de 59,3 em novembro, ante 57,7 no mês de outubro.             
 
Câmbio e CDS.
 
Após decretarem uma trégua na guerra comercial entre EUA e China, a divisa norte americana voltou a se comportar reagindo positivamente nos mercados latino americanos e também brasileiro.
 
O dólar comercial (interbancário) findou cotado em R$ 3,8400 (-0,47%), ainda acumulando alta de 15,84% no ano e de 18,01% em 12 meses.
 
Risco País
 
O risco medido pelo CDS Brasil de 5 anos caiu a 207 pts ante 221 pts da véspera.
 
Juros.
 
Os juros futuros de longo e médio prazos encerraram a sessão regular estáveis, já os de curto prazo terminaram a sessão em baixa moderada. O DI para janeiro de 2020 caiu de 6,99% para 6,94% hoje. O DI para janeiro de 2023 estável em 9,07%. O DI para janeiro de 2025 fechou em 9,58% ante 9,57%. 
 
Para a semana.
 
No Brasil: Produção industrial de outubro, IGP-DI de novembro e IPCA de novembro.
Nos EUA, Payroll e ADP de novembro, Livro Bege, PMIs da manufatura e serviços.
Na Zona do Euro PIB, PMIs da manufatura e serviços e produção industrial.
Finalmente na China, PMIs da manufatura e serviços (Caixin) e no
Japão PMI da manufatura. 
  
 
Confira no anexo a íntegra do relatório de análise do comportamento do mercado na 3ª feira, 02.12.2018, elaborado por RAFAEL REIS, CNPI-P, e RICARDO VIEITES, CNPI, ambos integrantes do BB Investimentos.

Clique aqui para acessar o aquivo PDF

Fonte: BB INVESTIMENTOS





Indique a um amigo     Imprimir     Comentar notícia

>> Últimos comentários

NOTÍCIAS DA FRANQUEADORA E EMPRESAS DO SEGMENTO


  Outras notícias.
GUIA DE AÇÕES  Conheça aqui as cotações de 11.12 Programe seu Investimento 11/12/2018
GUIA DE AÇÕES Conheça aqui as cotações de 11.12 Programe seu Investimento
 
O MERCADO 3ª feira: Ibovespa sobre 0,59%, Dólar cai a R$ 3,913 11/12/2018
O MERCADO 3ª feira: Ibovespa sobre 0,59%, Dólar cai a R$ 3,913
 
O MERCADO, 6ª feira: Temor de Recessão fez Ibovespa sucumbir às Quedas das Bolsas em NY 08/12/2018
O MERCADO, 6ª feira: Temor de Recessão fez Ibovespa sucumbir às Quedas das Bolsas em NY
 
O MERCADO 5ª feira: Ibovespa fecha em 88.846 pts (-0,22%). Dólar sobe a R$ 3,880 06/12/2018
O MERCADO 5ª feira: Ibovespa fecha em 88.846 pts (-0,22%). Dólar sobe a R$ 3,880
 
PAPEL E CELULOSE - Análise do Desempenho das Empresas do Setor na Bolsa e Prognósticos 06/12/2018
PAPEL E CELULOSE - Análise do Desempenho das Empresas do Setor na Bolsa e Prognósticos
 
O MERCADO 4ª feira: Ibovespa sobe mesmo com baixa na Europa e NY 06/12/2018
O MERCADO 4ª feira: Ibovespa sobe mesmo com baixa na Europa e NY
 
O MERCADO na 3ª feira: Baixa Global por Temores de Recessão nos EUA 05/12/2018
O MERCADO na 3ª feira: Baixa Global por Temores de Recessão nos EUA
 
ULTRAPAR Resultado no 3º Trimestre/2018: Neutro. Alguma Recuperação a Caminho 04/12/2018
ULTRAPAR Resultado no 3º Trimestre/2018: Neutro. Alguma Recuperação a Caminho
 
TAESA Resultado no 3ºTrimestre /2018 Queda da Receita Líquida, Alavancagem Estável 04/12/2018
TAESA Resultado no 3ºTrimestre /2018 Queda da Receita Líquida, Alavancagem Estável
 
CNS   Resultado no 3º trimestre / 2018: Positivo 04/12/2018
CNS Resultado no 3º trimestre / 2018: Positivo
 
Escolha do Editor
Curtas & Palpites
JORNAL FRANQUIA - Todos os direitos reservados 2009