Home   |   Expediente   |   Publicidade   |   Cadastre-se   |   Fale Conosco             

Internacional

09 de Fevereiro de 2019 as 02:02:09



FACEBOOK Alemanha restringe coleta de dados de usuários



Alemanha restringe coleta de dados de usuários do Facebook no país
 
A autoridade alemã para a promoção da concorrência (Bundeskartellamt) anunciou uma decisão que deverá ter impacto na forma como o Facebook (FB) coleta dados de usuários no país. Informações obtidas em outros aplicativos do grupo (como Instagram e Whatsapp), bem como de parceiros (como aplicações nas quais o usuário entra com sua conta no FB), só poderão ser coletadas e centralizadas pelo Facebook se houver consentimento do usuário.
 
Essa coleta em outras aplicações que não apenas o Facebook é uma precondição para o uso do próprio FB, prevista nas normas internas da plataforma, os chamados “termos e condições”. Assim, para instalar o aplicativo no celular ou para ter uma conta, o usuário acaba dando consentimento no “atacado” para que a empresa possa acessar todos esses registros.
 
Foi isso o que a autoridade alemã questionou. A decisão determina que, em cada um desses outros aplicativos, haja novos pedidos de autorização ao usuário. Ou seja, ao usar o Instagram, deverá aparecer uma solicitação de consentimento para que os dados coletados daquela pessoa no aplicativo possam ser usados para as atividades no Facebook.
 
Os registros obtidos por outros aplicativos, como o WhatsApp, terão de ficar restritos ao processamento no âmbito do próprio programa, sem repasse ao Facebook. Isso valerá também para aplicações de terceiros com os quais a empresa tenha acordos comerciais ou parcerias.
 
“A combinação de fontes de dados contribuiu substantivamente para o fato de o Facebook ter conseguido construir uma base de dados única para cada usuário e, assim, ter ganhado poder de mercado. No futuro, consumidores podem evitar que o Facebook colete e use seus dados de forma irrestrita”,
 
afirmou o presidente da autoridade, Andreas Mundt.
 
O Facebook divulgou nota em que discorda da decisão e informa que irá recorrer “para que as pessoas da Alemanha continuem a beneficiar-se plenamente de todos os seus serviços”.
 
Na avaliação da empresa, a autoridade alemã aplica de forma errada a legislação nacional sobre concorrência e define regras diferentes voltadas para uma empresa.
 
“O Bundeskartellamt subestima a concorrência acirrada que enfrentamos na Alemanha, interpreta incorretamente nossa conformidade com o Regulamento Geral de Proteção de Dados (RGPD) e subestima os mecanismos que a legislação europeia fornece para garantir padrões consistentes de proteção de dados em toda a União Europeia”,
 
acrescenta o comunicado da companhia.


Fonte: AGENCIA BRASIL





Indique a um amigo     Imprimir     Comentar notícia

>> Últimos comentários

NOTÍCIAS DA FRANQUEADORA E EMPRESAS DO SEGMENTO


  Outras notícias.
22/08/2019
"MENTIRAS de BOLSONARO não mudam os fatos", declara prefeito de NY, Bill de Blasio
 
GROELÂNDIA - 22/08/2019
GROELÂNDIA - "Nojenta" a declaração da Premiê da Dinamarca, diz TRUMP
 
CRISE ARGENTINA Macri retira impostos sobre alimentos da Cesta Básica 16/08/2019
CRISE ARGENTINA Macri retira impostos sobre alimentos da Cesta Básica
 
COREIA DO NORTE dispara mais mísseis, agora de curto alcance 16/08/2019
COREIA DO NORTE dispara mais mísseis, agora de curto alcance
 
HONG KONG Manifestantes voltam a protestar 18/08/2019
HONG KONG Manifestantes voltam a protestar
 
PETROLEIRO IRANIANO liberado deixa Gibraltar, afronta ao Depto de Justiça Imperial 19/08/2019
PETROLEIRO IRANIANO liberado deixa Gibraltar, afronta ao Depto de Justiça Imperial
 
Depto de Justiça dos EUA emite mandato de apreensão de petroleiro do Irã em Gibraltar 18/08/2019
Depto de Justiça dos EUA emite mandato de apreensão de petroleiro do Irã em Gibraltar
 
TRUMP quer que a China 17/08/2019
TRUMP quer que a China "resolva o problema de forma humana".
 
ELEIÇÕES - ARGENTINA vai às urnas em eleições gerais primárias 11/08/2019
ELEIÇÕES - ARGENTINA vai às urnas em eleições gerais primárias
 
CHINA importa petróleo do IRÃ apesar de sanções dos EUA 08/08/2019
CHINA importa petróleo do IRÃ apesar de sanções dos EUA
 
Escolha do Editor
Curtas & Palpites