Home   |   Expediente   |   Publicidade   |   Cadastre-se   |   Fale Conosco             

Investimentos

22 de Fevereiro de 2019 as 18:02:38



ULTRAPAR Resultados no 4º trimestre/2018 A espera de recuperação



ULTRAPAR  -  Resultados no 4º trimestre/2018
 
Ainda esperando a recuperação
 
A Ultrapar divulgou mais um trimestre de números fracos, apresentando uma recuperação lenta na Ipiranga e na Extrafarma, e uma piora no desempenho da Ultragaz e na Ultracargo.
 
Na Ipiranga, o EBITDA/m3 apresentou uma modesta melhora, influenciado pelo menor SG&A. 
 
A Oxiteno teve um impacto não recorrente de R$ 186 milhões referentes a créditos tributários, o que também afetou a receita financeira com outros R$ 153 milhões. A empresa propôs um desdobramento de ações: de acordo com os executivos, o preço atual está acima da média e da mediana de outras ações, tanto locais quanto de ADR, e o desdobramento de 1:2 pode melhorar a liquidez.
 
Ipiranga. 
 
A Ipiranga divulgou números fracos, apesar da recuperação t/t no EBITDA/m3. O volume total vendido aumentou 4% a/a, embora as vendas de gasolina permaneçam em patamar baixo (-10% a/a). Portanto, o crescimento apresentado nas vendas do ciclo Otto é novamente suportado pelas vendas de etanol, que geralmente apresentam margens menores para a empresa.
 
Em 2018, as vendas de gasolina caíram 14%, enquanto as de etanol aumentaram 45% ante 2017. Além disso, a empresa obteve ganhos com as importações de combustíveis no 4T17, e isso não ocorreu no 4T18. 
 
O desempenho financeiro da Ipiranga em 2018 foi marcado por um forte declínio no lucro operacional (-41% a/a) e EBITDA (-33% a/a), afetado pelo aumento de custos (+17% a/a) e SG&A (+7 %), porém destacamos a queda de 5% t/t no SG & A no 4T18.
 
Oxiteno
 
Neste trimestre, apesar dos menores volumes (-6% a/a), a companhia registrou receitas robustas, impulsionadas pela desvalorização de 17% do real ante o dolar americano, apesar do menor volume de vendas e pior mix de vendas (maior venda de commodities). O SG&A aumentou 8%, principalmente devido a 
 
(i)    maiores despesas com folha de pagamento; 
(ii)  custos mais elevados com a entrada em operação da nova planta nos EUA. 
 
A empresa teve fortes impactos em seu EBITDA devido ao recebimento de créditos fiscais no valor de R$ 186 milhões no trimestre. Se este efeito fosse excluído, o EBITDA do 4T18 seria de R$ 94 milhões, um aumento de 22% a/a.
 
Ultragaz, Ultracargo e Ultrafarma. 
 
A Ultragaz registrou menores volumes (-1%) e margem EBITDA (-170 bps) a/a, o que, aliado ao pior mix, explica a queda de 8% no EBITDA (excluindo o não recorrente de R$ 84 milhões do 4T17) . 
 
A Ultracargo apresentou EBITDA t/t mais fraco (-9%), influenciado pelo maior SG&A (+ 10% t/t) e menor armazenagem média nos terminais (-1%), principalmente devido à redução na movimentação de combustíveis e etanol em Suape. 
 
Quanto à Extrafarma, a empresa voltou a apresentar SSS (vendas nas mesmas lojas) negativo, em -5,5%, enquanto os aumentos de custos continuam superando o aumento nas receitas. No trimestre, o EBITDA atingiu R$ -15,5 milhões, totalizando R$ -46,8 milhões em 2018. 
 
Os principais motivos para tais desempenhos, segundo a empresa, são: 
 
(i)   os efeitos da substituição do sistema de varejo; 
(ii)  a maior pressão do ambiente competitivo; e 
(iii) o maior número de lojas novas e em maturação.
 
Opinião do analista.
 
O EBITDA no 4T18 atingiu R$ 993 milhões, +17% t/t e -7% a/a. No entanto, o efeito não recorrente dos créditos tributários da Oxiteno (R$ 186 milhões) corresponde a 19% deste resultado. 
 
Além disso, se observarmos o ajuste adicional feito pelo crédito tributário, que foi de R$ 153 milhões afetando a receita financeira, vemos que os resultados deste trimestre foram fortemente beneficiados por eventos não recorrentes. Conforme descrito em cada segmento acima, a Ultrapar está demorando mais do que o esperado para se recuperar, e o momento atual tem dado pouca visibilidade de como as margens se comportarão a partir de 2019. 
 
Outperform e Target Price a R$ 63,50
 
Assim, considerando estes dados e também que o declínio do EBITDA ao longo de 2018 trouxe os múltiplos da empresa para o que consideramos um território caro (ver gráfico no anexo), reduzimos nosso rating para Market Perform (antes em Outperform), mantendo nosso preço alvo para 2019 em R$ 63,50.
 
Confira no anexo a íntegra do relatório de análise de desempenho da ULTRAPAR no 4º trimestre/2018, preparado por DANIEL COBUCCI, analista senior do BB Investimentos

Clique aqui para acessar o aquivo PDF

Fonte: DANIEL COBUCCI, analista senior do BB Investimentos





Indique a um amigo     Imprimir     Comentar notícia

>> Últimos comentários

NOTÍCIAS DA FRANQUEADORA E EMPRESAS DO SEGMENTO


  Outras notícias.
USIMINAS  Resultado  no 1º Trimestre/2019: Negativo. Margens Deteriorando 18/04/2019
USIMINAS Resultado no 1º Trimestre/2019: Negativo. Margens Deteriorando
 
O MERCADO, 5ª feira: Ibovespa sobe aos 94.578 pts (+1,39%). Dólar a R$ 3,930 (-0,13%) 18/04/2019
O MERCADO, 5ª feira: Ibovespa sobe aos 94.578 pts (+1,39%). Dólar a R$ 3,930 (-0,13%)
 
GUIA DE AÇÕES  Conheça aqui as cotações de 18.04 Programe seu Investimento 18/04/2019
GUIA DE AÇÕES Conheça aqui as cotações de 18.04 Programe seu Investimento
 
GUIA DE AÇÕES  Conheça aqui as cotações de 17.04 Programe seu Investimento 17/04/2019
GUIA DE AÇÕES Conheça aqui as cotações de 17.04 Programe seu Investimento
 
O MERCADO, 4ª feira: Ibovespa cai a 93.284 pts (-1,11%). Dólar sobe a R$ 3,9350 (+0,87%) 17/04/2019
O MERCADO, 4ª feira: Ibovespa cai a 93.284 pts (-1,11%). Dólar sobe a R$ 3,9350 (+0,87%)
 
O MERCADO, 3ª feira: Ibovespa sobe a 94.333 pts (+1,34%). Dólar sobe a R$ 3,901 17/04/2019
O MERCADO, 3ª feira: Ibovespa sobe a 94.333 pts (+1,34%). Dólar sobe a R$ 3,901
 
SIDERURGIA  Desempenho Setorial no 1º trimestre/2019: Demanda mais fraca 17/04/2019
SIDERURGIA Desempenho Setorial no 1º trimestre/2019: Demanda mais fraca
 
PETRÓLEO & GÁS - Relatório Setorial - Março-Abril/2019 - pelo BB-BI 15/04/2019
PETRÓLEO & GÁS - Relatório Setorial - Março-Abril/2019 - pelo BB-BI
 
PAPEL E CELULOSE - Relatório Setorial do 1º trimestre/2019 15/04/2019
PAPEL E CELULOSE - Relatório Setorial do 1º trimestre/2019
 
O MERCADO, 2ª feira: Ibovespa sobe a 93.082 pts (+0,22%). Dólar cai a R$ 3,868 15/04/2019
O MERCADO, 2ª feira: Ibovespa sobe a 93.082 pts (+0,22%). Dólar cai a R$ 3,868
 
Escolha do Editor
Curtas & Palpites