Home   |   Expediente   |   Publicidade   |   Cadastre-se   |   Fale Conosco             

Investimentos

02 de Março de 2019 as 03:03:54



AMBEV - Resultado Negativo no 4º Trimestre/2018



AMBEV -  Resultado no 4º trimestre/2018
 
Resultado negativo pelo segundo trimestre consecutivo
 
A Ambev divulgou em 28.02 os resultados do 4T18, antes do mercado. O segundo trimestre consecutivo com resultados negativos claramente decepcionou o mercado, que reagiu negativamente e ABEV3 caiu ~ 8% desde ontem. Menores volumes no Brasil (-4% a/a) e LAS (-5% a/a) continuaram impactando o desempenho consolidado. 
 
No entanto, o aumento bem sucedido de preços implementado durante o 2S18 estimulou a receita líquida/hl em 10% a/a, impulsionando a receita que cresceu 6% a/a e totalizou R$ 16 bi (13% acima de nossas estimativas e 8% acima consenso).
 
O aumento de 1,5% a/a no CPV/hl levou a margem EBITDA para 46,7% contra 48,6% no 4T17. O lucro líquido, por sua vez, totalizou R$ 3,4 bi, um aumento de 7,7% a/a, beneficiado pela menor taxa efetiva de imposto.  Vale lembrar que o imposto de renda e a contribuição social foram impactados por um item não recorrente relacionado ao Programa de Regularização Tributária Federal do Brasil em 2017.
 
Brasil.
 
De acordo com a empresa, o volume de cerveja no Brasil superou a performance da indústria, mas ainda caiu 2% a/a no 4T18. Os números da unidade continuaram refletindo o aumento de preços implementado (+ 3% a/a), compensando os menores volumes e induzindo a receita para R$ 7,5 bi (+ 1% a/a).
 
Por outro lado, os custos mais elevados, principalmente devido aos preços do alumínio e da cevada, afetaram negativamente o EBITDA, que diminuiu 1% a/a, para R$ 3,8 bi, e levou a uma margem de 50,4% de 51,2% no 4T17.
 
Seguindo o mesmo caminho negativo, a NAB Brasil reportou receita de R$ 1,2 bi, uma queda de 9% a/a, principalmente devido a uma redução de 10% a/a nos volumes. Além disso, os custos mais elevados também tiveram um impacto adverso na margem que caiu substancialmente para 31,9%, de 52,7% no mesmo período do ano passado.
 
Unidades internacionais.
 
O desempenho de CAC continuou sua tendência ascendente. A receita atingiu R$ 1,7 bi devido ao aumento no volume (+ 6% a/a) e preço (+ 1,5% a/a, organicamente). No entanto, o forte crescimento de volume no Panamá gerou um custo adicional, que compensou parcialmente o desempenho positivo no top line.
 
Como resultado, o EBITDA cresceu 27% a/a, enquanto a margem atingiu 41,5%, de 40,5% no 4T17. LAS continuou apresentando fraco desempenho em termos de volume, que decresceu 5% a/a, resultante principalmente da maior inflação na região, que vem pressionando tanto a confiança do consumidor quanto o poder de compra, retraindo o consumo de cerveja na Argentina.
 
No entanto, como resultado da estratégia de preços da empresa na região, os preços médios cresceram 30% a/a (organicamente) e compensaram os menores volumes vendidos.
 
Portanto, percebemos um incremento de 17% a/a no EBITDA, enquanto a margem atingiu 51,4%, um aumento de 100 bps a/a. Canadá, por sua vez, ainda enfrenta um cenário desafiador. Volumes menores (-4% a/a) e custos mais altos relacionados ao alumínio limitaram ganhos adicionais na região. Assim, a margem EBITDA apresentou uma leve queda de 50 pontos-base, atingindo 34,5%.
 
Target Price
 
Mantemos nosso TP YE19 para ABEV3 em R$ 20,0/ação, porém rebaixando o rating para Market Perform. A Ambev apresentou resultado negativo pelo segundo trimestre consecutivo.
 
Por esse motivo, rebaixamos o rating para Market Perform, levando em conta também
 
(i) a falta de perspectivas de crescimento para o consumo de bebidas neste ano, dado o ambiente macroeconômico difícil na Argentina e uma recuperação moderada da economia brasileira, juntamente com
 
(ii)  maiores custos esperados devido à valorização do dólar ao longo de 2018, o que deverá impactar negativamente as margens à frente.
 
 
Confira no anexo a íntegra do relatório de análise do desempenho da AMBEV no 4º trimestre/2018, elaborado por LUCIANA CARVALHO, analista senior do BB Investimentos

Clique aqui para acessar o aquivo PDF

Fonte: LUCIANA CARVALHO, analista senior do BB Investimentos





Indique a um amigo     Imprimir     Comentar notícia

>> Últimos comentários

NOTÍCIAS DA FRANQUEADORA E EMPRESAS DO SEGMENTO


  Outras notícias.
GUIA DE AÇÕES  Conheça aqui as cotações de 24.05. Programe seu Investimento 25/05/2019
GUIA DE AÇÕES Conheça aqui as cotações de 24.05. Programe seu Investimento
 
O MERCADO, 6ª Feira: Ibovespa cai a 93.627 pts; Dólar cai a R$ 4,015 24/05/2019
O MERCADO, 6ª Feira: Ibovespa cai a 93.627 pts; Dólar cai a R$ 4,015
 
NATURA & CO.  Nota de Pesquisa A Aquisição da AVON 23/05/2019
NATURA & CO. Nota de Pesquisa A Aquisição da AVON
 
O MERCADO, 5ª feira: Ibovespa cai a 93.910 pts. Dólar sobe a R$ 4,0470 23/05/2019
O MERCADO, 5ª feira: Ibovespa cai a 93.910 pts. Dólar sobe a R$ 4,0470
 
MAGAZINE LUIZA - Atualização das Estimativas de Preço Futuro das Ações 23/05/2019
MAGAZINE LUIZA - Atualização das Estimativas de Preço Futuro das Ações
 
O MERCADO, 4ª Feira: Ibovespa cai a 94.360 pts. Dólar cai a R$ 4,040 22/05/2019
O MERCADO, 4ª Feira: Ibovespa cai a 94.360 pts. Dólar cai a R$ 4,040
 
GUIA DE AÇÕES  Conheça aqui as cotações de 22.05. Programe seu Investimento 22/05/2019
GUIA DE AÇÕES Conheça aqui as cotações de 22.05. Programe seu Investimento
 
O MERCADO, 3ª Feira: Ibovespa sobe a 94.484 pts (+2,76%). Dólar caiu R$ 4,0470 (-1,36%) 21/05/2019
O MERCADO, 3ª Feira: Ibovespa sobe a 94.484 pts (+2,76%). Dólar caiu R$ 4,0470 (-1,36%)
 
VALE - Revisão de Preços das Ações pós-Brumadinho 21/05/2019
VALE - Revisão de Preços das Ações pós-Brumadinho
 
RENDA FIXA  Análise do Mercado em 20.05.2019, pelo BB Investimentos 21/05/2019
RENDA FIXA Análise do Mercado em 20.05.2019, pelo BB Investimentos
 
Escolha do Editor
Curtas & Palpites