Home   |   Expediente   |   Publicidade   |   Cadastre-se   |   Fale Conosco             

Investimentos

25 de Abril de 2019 as 22:04:30



O MERCADO, 5ª Feira: Ibovespa sobe a 96.552 pts (+1,59%). Dólar cai a R$ 3,955



Diário do Mercado na 5ª feira, 25.04.2019
 
Ibovespa fecha na máxima do dia com evolução do otimismo interno  
 
Comentário.
 
O Ibovespa, que havia cedido na véspera com a elevação da aversão ao risco global, apesar de notícias internas consideradas mais favoráveis pelo mercado, reverteu positivamente agora e encerrou na máxima do dia com firme volume financeiro.
 
Em suma, livre do efeito externo adverso, os agentes digeriram e ponderaram positivamente a evolução da reforma da previdência, inclusive com a tempestiva instalação no dia da Comissão Especial na Câmara dos Deputados.
 
Ademais, já houve indicações para sua presidência e relatoria ainda pela manhã. Enfim, os investidores deverão seguir monitorando de perto a evolução dos trabalhos para a aprovação da reforma da previdência na comissão, cujas notícias sobre seu andamento deverão ser cruciais para ditar a volatilidade dos mercados domésticos – obviamente, sem deixar de lado as inerentes apreensões advindas dos mercados internacionais. Já as bolsas de Nova York fecharam divergentes, mas sem notícias mais relevantes no dia, não influenciando o mercado brasileiro.
 
No Brasil, o dólar comercial fechou cotado a R$ 3,9550 (-0,78%), após ter testado R$ 4,00 logo cedo pela manhã. Os juros futuros findaram em sua maioria com pequenas elevações, se descolando do comportamento do dólar, motivados pelo IPCA-15 (inflação ao consumidor), que acelerou em abril e veio acima do consenso esperado pelos analistas.
 
Ibovespa
 
O índice principiou deslizante, mas, após a primeira hora de negócios, começou a reverter, com os investidores indo às compras. Assim, antes do meio dia, entrou em alta, com a tendência ascendente se acentuando na hora e meia final.
 
O Ibovespa fechou aos 96.552 pts (+1,59%), acumulando + 2,09% na semana, +1,19% no mês, +9,86% no ano e +13,53% em 12 meses. O preliminar giro da Bovespa foi de R$ 15,008 bilhões, sendo R$ 14,779 bilhões no mercado à vista.
 
Capitais Externos na Bolsa
 
No dia 22 de abril (último dado disponível), o saque líquido de capital estrangeiro foi de R$ 10,812 milhões na Bovespa, com a saída líquida somando R$ 1,242 bilhão em abril. Em 2019, o saldo positivo acumula agora R$ 9,420 milhões.
 
Câmbio e CDS
 
A moeda norte-americana chegou a principiar em alta, dando continuidade ao movimento da véspera. Contudo, logo perdeu força e decaiu para encerrar em baixa, motivada por notícias domésticas consideras mais favoráveis sobre o andamento da reforma da previdência.
 
O dólar comercial (interbancário) fechou cotado a R$ 3,9550 (-0,78%), acumulando 0,64% na semana, +1,00% no mês, +2,06% no ano e +13,45% em 12 meses.
 
Risco País
 
O risco-país medido pelo CDS Brasil passou a 177 pts de 176 pts na véspera. 
 
Juros.
 
Os juros futuros operaram sempre em campo positivo no dia e findaram em alta. O comportamento, descolado do dólar, foi motivado pela inflação mensurada pelo IPCA-15 – considerada prévia do IPCA fechado do mês, que acelerou e veio acima do consenso.
 
Em relação à véspera, assim finalizaram: o DI janeiro/2020 encerrou no mesmo patamar de ontem em 6,46%; o DI janeiro/2021 em 7,08% de 7,04%; o DI janeiro/2023 em 8,23% de 8,22%; o DI janeiro/2025 em 8,77% de 8,76%; e o DI janeiro/2027 em 9,07% de 8,97%.
 
Agenda Econômica.
 
O IPCA-15 – visto como dado preliminar do IPCA fechado do mês, variou +0,72% em abril versus +0,54% em março e +0,21% em abril de 2018. Em suma, três grupos foram responsáveis por 85% por cento da oscilação positiva no índice geral do mês: transportes, em +1,31% (impacto de 0,24 p.p.) ante +0,59% em março; alimentação e bebidas, em +0,92% (impacto de 0,23 p.p.) contra +1,28% em março; e saúde e cuidados pessoais, em +1,13% (impacto de +0,14 p.p.) frente a +0,38% em março. O indicador passou a acumular +1,91% no ano e +4,71% em 12 meses. 
 
Para a sexta-feira
 
Brasil: dados do setor de crédito.
 
EUA: PIB; Consumo pessoal; Índ. Conf. Univ. Michigan.
 
China: Lucros industriais. 
 
Confira no anexo a íntegra do relatório de análise do comportamento do mercado na 5ª feira, 25.04.2019, elaborado por HAMILTON ALVES, CNPI-T, do BB Investimentos       

Clique aqui para acessar o aquivo PDF

Fonte: HAMILTON ALVES, CNPI-T, do BB Investimentos





Indique a um amigo     Imprimir     Comentar notícia

>> Últimos comentários

NOTÍCIAS DA FRANQUEADORA E EMPRESAS DO SEGMENTO


  Outras notícias.
GUIA DE AÇÕES Conheça aqui as cotações de 21.08 Programe seu Investimento 21/08/2019
GUIA DE AÇÕES Conheça aqui as cotações de 21.08 Programe seu Investimento
 
O MERCADO, 21.08: Ibovespa volta superar 100.000 pts, Dólar cai a R$ 4,030 21/08/2019
O MERCADO, 21.08: Ibovespa volta superar 100.000 pts, Dólar cai a R$ 4,030
 
VAREJO - Desempenho do Setor no 1º Semestre/2019: Positivo 21/08/2019
VAREJO - Desempenho do Setor no 1º Semestre/2019: Positivo
 
O MERCADO, 20.08: Ibovespa em trajetória errática. Dólar cai a R$ 4,051 20/08/2019
O MERCADO, 20.08: Ibovespa em trajetória errática. Dólar cai a R$ 4,051
 
GUIA DE AÇÕES Conheça aqui as cotações de 19.08 Programe seu Investimento 19/08/2019
GUIA DE AÇÕES Conheça aqui as cotações de 19.08 Programe seu Investimento
 
RENDA FIXA Mercado Secundário de Debêntures - Relatório de 13.08.2019 16/08/2019
RENDA FIXA Mercado Secundário de Debêntures - Relatório de 13.08.2019
 
O MERCADO, 16.08: Ibovespa sobe 0,76% a 99.805 pts. Dólar sobe a R$ 4,003 16/08/2019
O MERCADO, 16.08: Ibovespa sobe 0,76% a 99.805 pts. Dólar sobe a R$ 4,003
 
O MERCADO, 15.08, Ibovespa abaixo dos 100 mil pts com persistência de temores 16/08/2019
O MERCADO, 15.08, Ibovespa abaixo dos 100 mil pts com persistência de temores
 
O MERCADO, 14.08: Ibovespa cai 2,94% a 100.258 pts. Dólar sobe 1,79% a R$ 4,038 14/08/2019
O MERCADO, 14.08: Ibovespa cai 2,94% a 100.258 pts. Dólar sobe 1,79% a R$ 4,038
 
O MERCADO, 3ª Feira: R$ 5 BI líquidos deixaram a B3 em agosto. E R$ 15 BI no ano 14/08/2019
O MERCADO, 3ª Feira: R$ 5 BI líquidos deixaram a B3 em agosto. E R$ 15 BI no ano
 
Escolha do Editor
Curtas & Palpites