Home   |   Expediente   |   Publicidade   |   Cadastre-se   |   Fale Conosco             

Investimentos

03 de Agosto de 2019 as 02:08:06



O MERCADO, 02.08 Ibovespa sobe 0,54% a 102.673 pts. Dólar sobe a R$ 3,891



Diário do Mercado na 6ª feira, 02.08.2019
 
Ibovespa, em dia baixa volatilidade, descola-se das baixas externas
 
Comentário. 
 
O índice doméstico teve um pregão mais morno. A Petrobras garantiu o fechamento positivo, com os agentes considerando favorável a divulgação de seu balanço do segundo semestre de 2019 e as perspectivas futuras da empresa.
 
Assim, o Ibovespa conseguiu descolar-se positivamente dos negativos índices de Nova York, com robusto volume financeiro, ainda mais em uma sexta-feira com notícias adversas do exterior.
 
Agora, a China divulgou que poderão haver represálias se o presidente dos EUA, Donald Trump, mantiver a nova imposição de tarifas à importação de produtos chineses (um argumento usado é que o país oriental desvaloriza sua moeda), a partir de 1º de setembro próximo.
 
Além disto, o chefe do governo norte-americano declarou que tarifas sobre importações de automóveis da União Europeia nunca estão descartadas. As bolsas na Europa sofreram fortes reveses no dia. Também, por outros motivos não comerciais, os Estados Unidos que impor sanções sobre a Rússia. Em suma, a percepção dos agentes é que a guerra comercial tornou a se acirrar e que pode estar se alastrando. 
 
No Brasil, o dólar comercial fechou cotado a R$ 3,8910 (+1,14%). Os juros futuros tiveram um dia de ajustes de posicionamentos, com alguns vencimentos intermediários subindo. 
 
Ibovespa.
 
O índice iniciou ascendente, mas pouco depois começou a oscilar ao redor da estabilidade, mas do meio da tarde em diante, firmou-se com em campo positivo. A Petrobras foi o destaque positivo do dia.
 
O Ibovespa encerrou aos 102.673 pts (+0,54%), acumulando -0,14% na semana, +0,85% no mês, +16,82% no ano e +28,93% em 12 meses. O giro financeiro preliminar da Bovespa foi de R$ 17,3 bilhões, sendo R$ 16,6 bilhões no mercado à vista.
 
Capitais Externos na Bolsa
 
No dia 31 de julho (último dado disponível), a retirada líquida de capital estrangeiro foi de R$ 715,268 milhões na Bolsa, registrando saída líquida total de R$ 6,533 bilhões em julho. Em 2019, o saldo acumulado está negativo em R$ 10,434 bilhões.
 
Agenda Econômica.
 
Nos EUA, o payroll apurou criação de 164 mil novas vagas de emprego  em julho, frente aos 224 mil do mês de junho. O número veio em linha com o consenso, de geração de 165 mil postos. Já a taxa de desemprego manteve-se em 3,7% em julho. 
 
Câmbio e CDS.
 
A divisa norte-americana findou cotada em alta frente ao real, ecoando a piora do cenário externo, em meio as desavenças comerciais entre China e os EUA.
 
O dólar comercial (interbancário) fechou cotado a R$ 3,8910 (+1,14%), acumulando variações de +3,15% na semana, de +1,89% em agosto, + 0,41% % no ano e +3,54% em 12 meses. O risco-país medido pelo CDS Brasil passou para 132 pts, de 130 pts ontem.
 
Juros.
 
Os juros futuros findaram estáveis na ponta curta, com elevação nos vencimentos intermediários e, a partir daí cederam, com a ponta longa em pequena baixa. O movimento foi decorrente mais de ajustes de posicionamentos do que da alta do dólar no dia.
 
Em relação à sessão anterior, assim findaram: DI janeiro/2021 em 5,42% de 5,40%; DI janeiro/2023 em 6,37% de 6,35%; DI janeiro/2025 estável 6,91% de 6,90%; DI janeiro/2027 estável em 7,21%.
 
Para a próxima semana.
 
Brasil: PMI serviços e composto, Vendas de veículos Fenabrave, Ata COPOM, Dados da Anfavea (Vendas, produção e exportação de veículos), Vendas a varejo, IGP-DI, IPCA e Volume do setor de serviços.;
 
EUA: PMI serviços e composto, Novos pedidos de seguro-desemprego;
 
Alemanha: PMI serviços e composto, Produção industrial e Balança comercial;
 
França: PMI serviços e composto;
 
Reino Unido: PMI serviços e composto, PIB e Produção industrial;
 
Zona do Euro: PMI serviços e composto;
 
Japão: PIB;
 
China: Balança comercial, IPC e IPP. 
 
Confira no anexo a íntegra do relatório de análise do comportamento do mercado na 6ª feira, 02.08.2019, elaborado por HAMILTON MOREIRA ALVES, CNPI-T, integrante do BB Investimentos                 

Clique aqui para acessar o aquivo PDF

Fonte: HAMILTON MOREIRA ALVES, CNPI-T, integrante do BB Investimentos

 
Indique a um amigo     Imprimir     Comentar notícia

>> Últimos comentários

NOTÍCIAS DA FRANQUEADORA E EMPRESAS DO SEGMENTO


  Outras notícias.
VAREJO & SHOPPINGS Perspectivas de Desempenho no 3º Trimestre/2019 17/10/2019
VAREJO & SHOPPINGS Perspectivas de Desempenho no 3º Trimestre/2019
 
O MERCADO, 16.10: Ibovespa avança na expectativa de Selic mais baixa. Dólar a R$ 4,153 16/10/2019
O MERCADO, 16.10: Ibovespa avança na expectativa de Selic mais baixa. Dólar a R$ 4,153
 
O MERCADO, 17.10: Realização de Lucros na B3. Dólar a R$ 4,169 17/10/2019
O MERCADO, 17.10: Realização de Lucros na B3. Dólar a R$ 4,169
 
GUIA DE AÇÕES Conheça aqui as cotações de 17.10 Avalie se convém Investir 17/10/2019
GUIA DE AÇÕES Conheça aqui as cotações de 17.10 Avalie se convém Investir
 
RENDA FIXA  DEBÊNTURES - Mercado Secundário em 14.10.2019 15/10/2019
RENDA FIXA DEBÊNTURES - Mercado Secundário em 14.10.2019
 
O MERCADO, 15.10: Ibovespa sobe puxado por NY. Dólar sobe a R$ 4.164 15/10/2019
O MERCADO, 15.10: Ibovespa sobe puxado por NY. Dólar sobe a R$ 4.164
 
O MERCADO, 14.10: Ibovespa fecha em alta, mas liquidez reduzida. Dólar sobe a R$ 4,128 14/10/2019
O MERCADO, 14.10: Ibovespa fecha em alta, mas liquidez reduzida. Dólar sobe a R$ 4,128
 
O MERCADO, 11.10: Ibovespa sobe 1,98% a 103.831 pts. Dólar cai a R$ 4,093 12/10/2019
O MERCADO, 11.10: Ibovespa sobe 1,98% a 103.831 pts. Dólar cai a R$ 4,093
 
VALE Tour de Analistas e Investidores - Novo Preço-Alvo 2020e da Ação 12/10/2019
VALE Tour de Analistas e Investidores - Novo Preço-Alvo 2020e da Ação
 
RENDA FIXA Mercado Secundário de Debêntures: CRA e CRI 05/10/2019
RENDA FIXA Mercado Secundário de Debêntures: CRA e CRI
 
Escolha do Editor
Curtas & Palpites