Home   |   Expediente   |   Publicidade   |   Cadastre-se   |   Fale Conosco             

Investimentos

07 de Agosto de 2019 as 14:08:30



PETROBRAS - Café da Manhã com CEO - Avaliação da Apresentação



PETROBRAS
 
Café da manhã com o CEO da Petrobras
Reforçando nossa visão de Outperform 
 
A Petrobras recebeu em 05.08 analistas para um café da manhã. Além do CEO Roberto Castelo Branco, o evento contou com a presença do diretor de E&P, Carlos Oliveira (também conhecido como Capo), a CFO e diretora de RI, Andrea Almeida, a diretora de Refino e Gás Natural Anelise Quintão Lara, e a gerente executiva de RI, Carla Albano Miller.
 
A diretoria respondeu perguntas de analistas e destacou alguns aspectos dos resultados do 2T19 da companhia, divulgados na semana passada. 
 
Veja  nosso relatório do 2T19 aqui.
 
CAPEX.
 
A administração iniciou o evento respondendo a uma pergunta sobre a redução do CAPEX previsto para este ano. Castelo Branco disse que os orçamentos nessa área costumam ser superestimados, já que existe a crença de que é melhor prever um valor mais alto e surpreender o mercado do que prever um valor e aumentá-lo depois. 
 
No entanto, as previsões de CAPEX mais altas exigem uma posição de caixa mínima mais alta, uma vez que a curva do plano de negócios de 5 anos influencia diversamente o CAPEX anual. Portanto, uma normalização da curva é necessária para ajustar as expectativas. Por fim, três considerações relevantes: 
 
(i) a mudança de CAPEX não está relacionada ao processo de desalavancagem; 
(ii) as novas estimativas não consideram os valores a serem investidos nas rodadas de licitações de blocos exploratórios neste semestre; e 
(iii) para o pré-sal e gestão de portfólio, não haverá escassez de recursos.
 
E&P. 
 
O diretor Capo afirmou, ao ser questionado sobre meta de produção, que a meta atual está mais alinhada com as perspectivas para o ano, considerando a produção menor do que a esperada no 1S19, principalmente devido a 
 
(i)    paradas para manutenção; 
(ii)   vendas de ativos; e 
(iii)  o declínio na produção dos campos pós-sal. 
 
No entanto, como enfatizamos em nosso último relatório, o aumento da produção de novas plataformas no 2S19 deve compensar o primeiro semestre e gerar um crescimento de aproximadamente 8% a/a. Uma eventual surpresa poderia ser decorrente dos maiores volumes entregues nas plataformas de Búzios, cujo pico de produção atingiu 161 kboe/dia, acima da capacidade nominal de 150 kboe/dia. 
 
Além disso, o executivo mencionou que o próximo PNG deverá conter um novo projeto de recuperação do campo de Roncador em parceria com a Equinor e que os custos de elevação em plataformas como a P-74 podem chegar a US $ 4,00 por barril, o que reforça a perspectiva de rentabilidade dos campos pré-sal.
 
Desinvestimentos. 
 
A líder da área de Refino e Gás Natural, Anelise Quintão Lara, apontou algumas possibilidades em relação a novos desinvestimentos, como um pacote envolvendo as usinas termelétricas ou algumas das rotas de gás que ligam o pré sal.
 
A gestora também reforçou a relevância dos desinvestimentos em curso, como refinarias, Liquigas e campos terrestres, já que esses desinvestimentos permitirão à empresa diminuir sua alavancagem e se concentrar na área mais lucrativa da empresa, o pré-sal.
 
Em nosso último relatório, fizemos algumas observações sobre a visão de uma empresa mais leve em ativos. Podemos certamente ver os níveis mais altos de rentabilidade em momentos de petróleo estáveis/altos, como agora, com os preços do petróleo sendo sustentados pelos cortes de petróleo feitos pela Opep+. 
 
No entanto, ressaltamos que em um momento futuro de eventual maior volatilidade das commodities, as empresas petrolíferas com um portfólio mais diversificado em middlestream e outros segmentos terão vantagens competitivas adicionais com um modelo integrado, uma vez que as receitas de outros segmentos podem manter a rentabilidade quando as commodities estiverem em um ciclo de baixa.
 
Em resumo, foi um evento muito estimulante e apreciamos a abertura da administração na realização deste tipo de evento, uma vez que tal atuação coincide com as melhores práticas para melhorar a comunicação de mercado.
 
Também gostaríamos de reconhecer que as recentes mudanças no relatório de divulgação de resultados da empresa tornaram as informações mais claras e detalhadas.
 
Confira no anexo a íntegra do relatório preparado por DANIEL COBUCCI, Analista Sênior do BB Investimentos

Clique aqui para acessar o aquivo PDF

Fonte: Daniel Cobucci Analista Sênior do BB Investimentos





Indique a um amigo     Imprimir     Comentar notícia

>> Últimos comentários

NOTÍCIAS DA FRANQUEADORA E EMPRESAS DO SEGMENTO


  Outras notícias.
GUIA DE AÇÕES Conheça aqui as cotações de 19.08 Programe seu Investimento 19/08/2019
GUIA DE AÇÕES Conheça aqui as cotações de 19.08 Programe seu Investimento
 
RENDA FIXA Mercado Secundário de Debêntures - Relatório de 13.08.2019 16/08/2019
RENDA FIXA Mercado Secundário de Debêntures - Relatório de 13.08.2019
 
O MERCADO, 16.08: Ibovespa sobe 0,76% a 99.805 pts. Dólar sobe a R$ 4,003 16/08/2019
O MERCADO, 16.08: Ibovespa sobe 0,76% a 99.805 pts. Dólar sobe a R$ 4,003
 
O MERCADO, 15.08, Ibovespa abaixo dos 100 mil pts com persistência de temores 16/08/2019
O MERCADO, 15.08, Ibovespa abaixo dos 100 mil pts com persistência de temores
 
O MERCADO, 14.08: Ibovespa cai 2,94% a 100.258 pts. Dólar sobe 1,79% a R$ 4,038 14/08/2019
O MERCADO, 14.08: Ibovespa cai 2,94% a 100.258 pts. Dólar sobe 1,79% a R$ 4,038
 
O MERCADO, 3ª Feira: R$ 5 BI líquidos deixaram a B3 em agosto. E R$ 15 BI no ano 14/08/2019
O MERCADO, 3ª Feira: R$ 5 BI líquidos deixaram a B3 em agosto. E R$ 15 BI no ano
 
O MERCADO, 12.08: Ibovespa cai com a Prévia Eleitoral Argentina. Dólar sobe a R$ 3,983 12/08/2019
O MERCADO, 12.08: Ibovespa cai com a Prévia Eleitoral Argentina. Dólar sobe a R$ 3,983
 
BRF Resultados no 2º Trimestre /2019: SÓLIDOS 10/08/2019
BRF Resultados no 2º Trimestre /2019: SÓLIDOS
 
O MERCADO, 09.08: Ibovespa cai a 103.996 pts; Dólar sobe a R$ 3,940 09/08/2019
O MERCADO, 09.08: Ibovespa cai a 103.996 pts; Dólar sobe a R$ 3,940
 
O MERCADO, 08.08: Ibovespa sobe 1,3% a 104.115 pts. Dólar cai a R$ 3,927 08/08/2019
O MERCADO, 08.08: Ibovespa sobe 1,3% a 104.115 pts. Dólar cai a R$ 3,927
 
Escolha do Editor
Curtas & Palpites