Home   |   Expediente   |   Publicidade   |   Cadastre-se   |   Fale Conosco             

Internacional

26 de Agosto de 2019 as 01:08:01



UNIFIL Brasil poderá deixar a Força de Paz da ONU no Líbano, a pedido de Israel


Fraga Liberal, brasileira, a serviço da ONU no Líbano
 
Os motivos da possível saída do Brasil do comando da força-tarefa marítima da missão de paz  da ONU no Líbano são múltiplos. Qual seria o mais provável?
 
Esta semana, a imprensa noticiou a possibilidade da saída do Brasil da Força Interina das Nações Unidas no Líbano UNIFIL, deixando assim o comando da força-tarefa da missão de paz da ONU.
 
O Brasil está no comando da força-tarefa marítima da Unifil desde 2011. O Líbano recebeu a missão de paz da ONU ainda em 1978, após a invasão do Israel do sul do país.
 
Segundo a Folha, que citou fontes familiarizadas com o assunto em Brasília, a saída do Brasil da Unifil está certa, e é só uma questão de tempo. No entanto, os motivos da saída apresentados pelos diversos veículos da imprensa não parecem claros.
 
Sputnik Brasil conversou sobre o tema com Ricardo Cabral, professor de Relações Internacionais e pesquisador da Escola de Guerra Naval, e ele refutou, quase imediatamente, a versão de que o pedido teria sido de Israel, citando uma nota da Marinha do Brasil que esclarece o caso.
 
"A questão toda se coloca a partir de uma questão bem fundamentada, que é o reconhecimento por parte do Brasil, se alinhando à Argentina e ao Paraguai, do Hezbollah como um grupo terrorista. Ao fazer isso, o Brasil deixa de ser neutro na questão e por isso perde as condições de continuar participando da Unifil",
 
explicou Ricardo Cabral.
 
Para o professor, esse seria o único motivo possível para a medida. Ele acrescentou que certamente existem questões orçamentárias envolvidas também, mas estas não seriam suficientes para colocar fim à participação brasileira na missão.
 
"Os cortes na defesa tem sido profundos",
 
destacou ele, acrescentando que o custo da participação do país na Unifil já estava sendo questionado. No entanto, se fosse do interesse político, o orçamento seria acomodado.
 
"A questão fundamental seria o Brasil relacionado ao reconhecimento [como] terrorista do Hamas e do Hezbollah",
 
concluiu.
 


Fonte: SPUTINIK NEWS





Indique a um amigo     Imprimir     Comentar notícia

>> Últimos comentários

NOTÍCIAS DA FRANQUEADORA E EMPRESAS DO SEGMENTO


  Outras notícias.
VENEZUELA Invasão Militar terá consequências fatais para a América do Sul 18/09/2019
VENEZUELA Invasão Militar terá consequências fatais para a América do Sul
 
ISRAEL Projeções mostram empate técnico eleitoral entre GANTZ e NETANUAHU 18/09/2019
ISRAEL Projeções mostram empate técnico eleitoral entre GANTZ e NETANUAHU
 
EUA ativam o TIAR, o tratado de defesa mútua, contra Venezuela 18/09/2019
EUA ativam o TIAR, o tratado de defesa mútua, contra Venezuela
 
PETRÓLEO tem forte alta mas OPEP busca acalmar mercado 17/09/2019
PETRÓLEO tem forte alta mas OPEP busca acalmar mercado
 
REBELDES HOUTHIS assumem Incêndio de Refinarias Sauditas 14/09/2019
REBELDES HOUTHIS assumem Incêndio de Refinarias Sauditas
 
ARÁBIA SAUDITA Ataques a refinarias reduzem produção em 60% 15/09/2019
ARÁBIA SAUDITA Ataques a refinarias reduzem produção em 60%
 
BASES DOS EUA e Porta-Aviões ao alcance de misseis do IRÃ 15/09/2019
BASES DOS EUA e Porta-Aviões ao alcance de misseis do IRÃ
 
TRUMP demite JOHN BOLTON, o Falcão Guerreiro: Ponto para a Humanidade 10/09/2019
TRUMP demite JOHN BOLTON, o Falcão Guerreiro: Ponto para a Humanidade
 
IRÃ chama Europeus à Responsabilidade pelo Acordo Nuclear 08/09/2019
IRÃ chama Europeus à Responsabilidade pelo Acordo Nuclear
 
BREXIT sem acordo pode custar US$ 16 bilhões ao Reino Unido 04/09/2019
BREXIT sem acordo pode custar US$ 16 bilhões ao Reino Unido
 
Escolha do Editor
Curtas & Palpites