Home   |   Expediente   |   Publicidade   |   Cadastre-se   |   Fale Conosco             

Economia e Finanças

Terça-Feira, Dia 03 de Setembro de 2019 as 23:09:25



DESEMPENHO RUIM da Economia Brasileira tem Vida Própria. Não depende da Crise Argentina



Crise argentina não é fator decisivo para desempenho ruim da economia brasileira, diz especialista
 
A piora da situação econômica da Argentina gerou apreensão em alguns setores no Brasil. Só neste ano, as exportações brasileiras que tinham como destino o mercado argentino tiveram queda de 39,7% recuando de 9,9 bilhões de dólares para 5,9 bilhões, segundo a AEB Associação de Comércio Exterior do Brasil.
 
A Argentina hoje é o nosso terceiro parceiro comercial e o primeiro da região, além da maior compradora dos produtos brasileiros manufaturados.
 
O professor de economia política internacional, Eduardo Crespo, da UFRJ Universidade Federal do Rio de Janeiro, defende que por mais que a queda de exportações gere reflexos negativos para o Brasil, ela não chega a ser um fator determinante para o desempenho ruim da economia brasileira.
 
"O comércio internacional, independentemente da Argentina não está experimentando um crescimento, pelo contrário, há uma tendência de fechamento do comércio internacional. Nesse contexto obviamente, uma queda muito grande das exportações argentinas tem um efeito negativo, mas não acho que isso seja o fator que vai explicar que o Brasil não possa crescer",
 
disse à Sputnik Brasil.
 
Eduardo Crespo afirma que o Brasil "tem problemas próprios", que não dependem da situação econômica do país vizinho.
 
"A economia brasileira é uma economia que já está estagnada já faz anos, diria que até começou antes que a Argentina a sua estagnação, o que está acontecendo é que também houve nos últimos anos ajuste fiscal, houve uma paralisação do consumo, há um nível de endividamento das famílias bastante elevado",
 
explica.
 
Próximo a um novo colapso econômico e com o dólar chegando a ficar acima de 60 pesos, o Governo de Mauricio Macri precisou recorrer ao FMI Fundo Monetário Internacional para pagar as dívidas externas argentinas.
 
Crespo disse que a situação na Argentina é de "desespero total" e que governo o governo de Maurício Macri, na prática, já terminou.
 
"O clima é de desespero total, ainda não houve eleições, mas o governo Macri está acabado e realmente uma situação muito complicada. A maior expectativa é contornar uma hiperinflação",
 
completou.
 


Fonte: SPUTINIK NEWS. Chamada de capa da Redação JF.





Indique a um amigo     Imprimir     Comentar notícia

>> Últimos comentários

NOTÍCIAS DA FRANQUEADORA E EMPRESAS DO SEGMENTO


  Outras notícias.
COPOM baixa a SELIC a 5,5% 18/09/2019
COPOM baixa a SELIC a 5,5%
 
BALANÇA COMERCIAL - Déficit na 2ª semana de Setembro: US$ 552 Milhões 17/09/2019
BALANÇA COMERCIAL - Déficit na 2ª semana de Setembro: US$ 552 Milhões
 
COPOM reune-se para redefinir a SELIC nesta 3ª e 4ª feira 17/09/2019
COPOM reune-se para redefinir a SELIC nesta 3ª e 4ª feira
 
PETROBRAS Plataforma P-68 sai do estaleiro aos campos de Berbigão e Sururu 17/09/2019
PETROBRAS Plataforma P-68 sai do estaleiro aos campos de Berbigão e Sururu
 
PETRÓLEO Preço Internacional irá incorporar Fator Risco, diz diretor da ANP 17/09/2019
PETRÓLEO Preço Internacional irá incorporar Fator Risco, diz diretor da ANP
 
FGTS Caixa creditou R$ 5 BI nas contas de 12 milhões de correntistas 16/09/2019
FGTS Caixa creditou R$ 5 BI nas contas de 12 milhões de correntistas
 
COMÉRCIO MUNDIAL desacelera e derruba comércio exterior do Brasil 16/09/2019
COMÉRCIO MUNDIAL desacelera e derruba comércio exterior do Brasil
 
BOLETIM FOCUS Mercado mantém em  0,87% a estimativa de expansão do PIB 16/09/2019
BOLETIM FOCUS Mercado mantém em 0,87% a estimativa de expansão do PIB
 
RECEITA FEDERAL libera pagamento do 4º lote de restituição do IR 2019 16/09/2019
RECEITA FEDERAL libera pagamento do 4º lote de restituição do IR 2019
 
NOVA CPMF - Secretário da Receita confirma as alícotas de 0,2% a 0,4% 10/09/2019
NOVA CPMF - Secretário da Receita confirma as alícotas de 0,2% a 0,4%
 
Escolha do Editor
Curtas & Palpites