Home   |   Expediente   |   Publicidade   |   Cadastre-se   |   Fale Conosco             

Investimentos

13 de Setembro de 2019 as 23:09:30



O MERCADO, 13.09: Ibovespa cai 0,83% a 103.501 pts. Dólar sobe a R$ 4,086



Diário do Mercado na 6ª feira, 13.09.2019
 
Ibovespa tem dia de realizações, dada a prudência com a agenda
 
Comentário.
 
O índice doméstico, em dia de “zeragem” de opções sobre ações, cujo vencimento do exercício findará na próxima segunda-feira, sofreu pressão vendedora e terminou em baixa.
 
Em verdade, não houve notícias impactantes no dia, com a cautela prevalecendo antes do final de semana no qual dados significantes da economia chinesa serão divulgados e, destacadamente, com decisões de política monetária de bancos centrais nos EUA, na Inglaterra e no Japão ao longo da semana.
 
Os mercados acionários de Nova York encerram divergentes, mas não distantes da estabilidade e ainda próximos de seus recentes recordes históricos de pontuações. Já na bolsa brasileira, a pressão vendedora predominou na parte da tarde, com os investidores optando por realizações de lucros, aproveitando a alta ocorrida durante a semana.
 
No Brasil, o dólar comercial fechou cotado a R$ 4,0860 (+0,67%). Nos juros futuros, os curtos caíram, mas os longos mostraram firmes e progressivos avanços.    
 
Ibovespa.
 
O índice abriu com pequena elevação e assim se manteve até por volta do meio dia. Pouco depois, seguiu com realizações e entrou definitivamente em campo negativo, com as vendas se acentuando na hora e meia final de negócios.
 
O Ibovespa fechou aos 103.501 pts (-0,83%), acumulando +0,55% na semana, +2,34% no mês, +17,77% no ano e +38,58% em 12 meses. O giro financeiro preliminar da Bovespa foi de R$ 14,681 bilhões, sendo R$ 13,344 bilhões no mercado à vista.
 
Capitais Externos na Bolsa
 
No dia 10 de setembro (último dado disponível), a bolsa teve entrada líquida de R$ 20,521 milhões em capital estrangeiro, com saldo negativo em -R$ 1,477 bilhão no mês. Em 2019, a saída líquida acumulada passou a -R$ 22,706 bilhões.
 
Agenda Econômica.
 
No Brasil, o IBC-Br (índice de atividade econômica do Banco Central), considerado uma “prévia” do PIB, mostrou retração de -0,16% (com ajuste sazonal) versus +0,34% em junho, bem como cresceu +1,31% ante julho de 2018.
 
O indicador apresentou alta de +0,91% no trimestre maio/junho/julho frente ao trimestre imediatamente anterior, bem como elevação de +1,54% em relação ao mesmo trimestre do ano passado.
 
Nos EUA, a prévia do Índice de Confiança do Consumidor da Universidade de Michigan subiu a 92,0 em setembro contra 89,8 anterior e acima do consenso de 90,8. As vendas a varejo cresceram +0,4% em agosto ante +0,8% em julho, mas vieram acima do consenso de +0,2%.
 
Câmbio e CDS.
 
O dólar findou cotado em alta ante ao real, em parte conduzido pelo cenário de cautela no dia vindo do mercado externo, mas com os investidores atentos a agenda movimentada da próxima semana – em especial, com dados da China no próximo domingo (15/set) e com decisões de política monetária no Brasil e nos EUA.
 
A moeda fechou em R$ 4,0860 (+0,67%), variando +0,15% na semana, -1,35% no mês, +5,45% no ano e -2,69% em 12 meses.
 
Risco País
 
O risco-país medido pelo CDS Brasil 5 anos passou a 120 pts ante 121 pts ontem.
 
Juros
 
Os juros futuros encerraram de lado nas taxas curtas, em contrapartida, a partir do médio em diante foram gradual e firmemente ascendendo, refletindo, em parte, o comportamento do dólar.
 
Em relação à sessão anterior, fecharam: DI janeiro/2020 estável em 5,27%; DI janeiro/2021 em 5,38% de 5,34%; DI janeiro/2023 em 6,49% de 6,39%; DI janeiro/2025 em 7,07% de 6,95%; DI janeiro/2027 em 7,37% de 7,25%.
 
Agenda.
 
Brasil: IGP-10, Coleta de impostos, CAGED, IGP-M 2ª prévia, COPOM - decisão da Taxa Selic e Confiança industrial CNI;
 
EUA: Produção industrial, Utilização da capacidade, FOMC - decisão da taxa de juros, vendas e licenças de casas novas, vendas de casas usadas e índice antecedente;
 
Reino Unido: produção industrial e Taxa do Banco da Inglaterra (BoE);
 
Zona do Euro: Confiança do Consumidor;
 
Japão: Banco do Japão (BOJ) - Taxa de Juros;
 
China: Produção industrial e Vendas a varejo.
 
Confira no anexo a íntegra do relatório de análise do comportamento do mercado na 6ª feira, 13.09.2019, elaborado por HAMILTON MOREIRA ALVES, CNPI-T, integrante do BB Investimentos

Clique aqui para acessar o aquivo PDF

Fonte: HAMILTON MOREIRA ALVES, CNPI-T, integrante do BB Investimentos





Indique a um amigo     Imprimir     Comentar notícia

>> Últimos comentários

NOTÍCIAS DA FRANQUEADORA E EMPRESAS DO SEGMENTO


  Outras notícias.
O MERCADO, 18.10: Ibovespa em pequena baixa, segue bolsas no exterior. Dólar cai a R$ 4,118 18/10/2019
O MERCADO, 18.10: Ibovespa em pequena baixa, segue bolsas no exterior. Dólar cai a R$ 4,118
 
VAREJO & SHOPPINGS Perspectivas de Desempenho no 3º Trimestre/2019 17/10/2019
VAREJO & SHOPPINGS Perspectivas de Desempenho no 3º Trimestre/2019
 
O MERCADO, 16.10: Ibovespa avança na expectativa de Selic mais baixa. Dólar a R$ 4,153 16/10/2019
O MERCADO, 16.10: Ibovespa avança na expectativa de Selic mais baixa. Dólar a R$ 4,153
 
O MERCADO, 17.10: Realização de Lucros na B3. Dólar a R$ 4,169 17/10/2019
O MERCADO, 17.10: Realização de Lucros na B3. Dólar a R$ 4,169
 
GUIA DE AÇÕES Conheça aqui as cotações de 17.10 Avalie se convém Investir 17/10/2019
GUIA DE AÇÕES Conheça aqui as cotações de 17.10 Avalie se convém Investir
 
RENDA FIXA  DEBÊNTURES - Mercado Secundário em 14.10.2019 15/10/2019
RENDA FIXA DEBÊNTURES - Mercado Secundário em 14.10.2019
 
O MERCADO, 15.10: Ibovespa sobe puxado por NY. Dólar sobe a R$ 4.164 15/10/2019
O MERCADO, 15.10: Ibovespa sobe puxado por NY. Dólar sobe a R$ 4.164
 
O MERCADO, 14.10: Ibovespa fecha em alta, mas liquidez reduzida. Dólar sobe a R$ 4,128 14/10/2019
O MERCADO, 14.10: Ibovespa fecha em alta, mas liquidez reduzida. Dólar sobe a R$ 4,128
 
O MERCADO, 11.10: Ibovespa sobe 1,98% a 103.831 pts. Dólar cai a R$ 4,093 12/10/2019
O MERCADO, 11.10: Ibovespa sobe 1,98% a 103.831 pts. Dólar cai a R$ 4,093
 
VALE Tour de Analistas e Investidores - Novo Preço-Alvo 2020e da Ação 12/10/2019
VALE Tour de Analistas e Investidores - Novo Preço-Alvo 2020e da Ação
 
Escolha do Editor
Curtas & Palpites