Home   |   Expediente   |   Publicidade   |   Cadastre-se   |   Fale Conosco             

Internacional

18 de Setembro de 2019 as 00:09:16



EUA ativam o TIAR, o tratado de defesa mútua, contra Venezuela


Mike Pompeu, Secretário de Estado dos EUA
TIAR também é conhecido como Tratado do Rio e prevê que uma agressão a um Estado-parte será respondida de maneira coletiva pelos demais. O Brasil também é signatário.
 
Os EUA e seus aliados invocaram o  TIAR Tratado Interamericano de Assistência Recíproca contra a Venezuela nesta 3ª feira, 17.09.
 
"A suspensão das negociações patrocinadas pela Noruega entre o governo interino da Venezuela e o antigo regime de Maduro reflete a recusa do regime em negociar de boa fé. Mais uma vez, o regime vê as negociações como uma tática para ganhar tempo e subverteu os esforços de boa fé para encontrar uma solução política pacífica",
 
afirmou o Departamento de Estado dos EUA em comunicado. 
 
O texto da diplomacia estadunidense também reafirma que reconhece o autodeclarado presidente interino Juan Guaidó como governante legítimo da Venezuela e diz que as sanções impostas por Washington contra Caracas não serão retiradas até que o presidente Nicolás Maduro deixe o cargo. 
 
O Departamento de Estado dos EUA, [do secretário Mike Pompeu], afirma que "continua a apoiar" Guaidó, a Assembleia Nacional e o "povo venezuelano que continua a buscar a restauração da democracia em seu país".
 
"Para isso, os EUA e nossos parceiros invocaram o TIAR/Tratado do Rio, que facilita ações coletivas adicionais para enfrentar a ameaça representada pelo antigo regime de Nicolás Maduro ao povo venezuelano e à região.
 
"Esperamos reunir-nos com parceiros regionais para discutir as opções econômicas e políticas multilaterais que podemos empregar contra a ameaça à segurança da região que Maduro representa",
 
diz o comunicado dos EUA. 
 
Assinado em em 1947 no Rio de Janeiro, o TIAR também é conhecido como Tratado do Rio e prevê que uma agressão a um Estado-parte será respondida de maneira coletiva pelos demais.
 
Em 2012, o então presidente Hugo Chávez retirou a Venezuela do TIAR. A Assembleia Nacional, contudo, aprovou em julho deste a ano a volta de Caracas ao tratado.
 
Também nesta 3ª feira, os EUA aplicaram uma nova rodada de sanções contra a Venezuela. Desta vez, os alvos foram 3 pessoas e 16 empresas.
 
 
 
NOTA JF:
 
A despeito do Tratado do Rio ter sido assinado por Argentina e EUA em 1947, na Guerra das Malvinas os EUA ofereceram apoio à Inglaterra e não à Argentina. Os EUA não participaram diretamente do conflito por oposição explícita do governo brasileiro do general Figueiredo.
 
Atualmente o quadro que envolve a Venezuela é inteiramente outro. Embora explicitado pelo vice-presidente da República do Brasil, general Hamilton Mourão, que o País não apoia intervenção militar na Venezuela, nem irá permitir que outros países ataquem-na a partir do território brasileiro, poderá torná-lo voto vencido o elevado nível de servilismo ao governo norte-americano pelo presidente da República do Brasil, pelo ministro das Relações Exteriores e pelo presidente da Comissão de Relações Exteriores da Câmara ... ainda que a penúria orçamentária esteja levando o País a:
 
(a) a recolher para manutenção 3 de seus 5 submarinos dos anos 80 e 90 e disponibilização à venda de 2 deles ao Peru, ou troca por um navio de desembarque anfíbio de produção peruana da Classe LPD Pisco, sem desembolso de dinheiro; 
(b) a suspender a modernização dos caças 12 Skyhawk da Marinha e dos 43 caças-bombardeiros AMX A-1 da FAB; 
(c) a postergar a construção e entrega dos 36 caças suecos Grepen NG à FAB;
(d) a adiar o projeto de construção de 4 fragatas para a Marinha no estaleiro do Rio de Janeiro; 
(e) postergar a solução da total ausência de sistema aéreo de defesa de médio e longo alcance a partir do sistema Astros-2020; 
(f)) postergar para 2030 a conclusão do sistema de propulsão nuclear e a construção e entrega do próprio submarino nuclear brasileiro; bem como retardar o processo de construção no Brasil dos 4 submarinos Scorpene diesel-elétricos, do contrato original de 5 de que o primeiro, o Riachuelo, já se encontra em fase de testes até o final deste ano;
 
além de outros projetos militares estratégicos.
 
Seria uma gigantesca irresponsabilidade entrar em conflíto bélico com qualquer país.


Fonte: SPUTINIK NEWS





Indique a um amigo     Imprimir     Comentar notícia

>> Últimos comentários

NOTÍCIAS DA FRANQUEADORA E EMPRESAS DO SEGMENTO


  Outras notícias.
CHILE Santiago amanhece sob Estado de Emergência após protestos 19/10/2019
CHILE Santiago amanhece sob Estado de Emergência após protestos
 
BREXIT Derrota na Câmara leva governo britânico a pedir adiamento à UE 20/10/2019
BREXIT Derrota na Câmara leva governo britânico a pedir adiamento à UE
 
BORIS JOHNSON pede adiamento do BREXIT para 2020 19/10/2019
BORIS JOHNSON pede adiamento do BREXIT para 2020
 
BREXIT Parlamento Britânico adia Decisão sobre Novo Acordo 19/10/2019
BREXIT Parlamento Britânico adia Decisão sobre Novo Acordo
 
ARGENTINA Favorito nas eleições fala sobre Malvinas e preocupa UK 16/10/2019
ARGENTINA Favorito nas eleições fala sobre Malvinas e preocupa UK
 
REINO UNIDO suspende venda de armas à TURQUIA 16/10/2019
REINO UNIDO suspende venda de armas à TURQUIA
 
SÍRIA - Avanço de Tropas Sírias: 70 mortos e 250 mil deixam suas casas 16/10/2019
SÍRIA - Avanço de Tropas Sírias: 70 mortos e 250 mil deixam suas casas
 
EQUADOR  Vitória Popular: Lenin Moreno Revoga Decreto inspirado pelo FMI 13/10/2019
EQUADOR Vitória Popular: Lenin Moreno Revoga Decreto inspirado pelo FMI
 
IRMÂ DULCE Dez mil brasileiros da canonização em Roma 13/10/2019
IRMÂ DULCE Dez mil brasileiros da canonização em Roma
 
RÚSSIA reduz à metade a participação do Dólar nas Reservas Internacionais 12/10/2019
RÚSSIA reduz à metade a participação do Dólar nas Reservas Internacionais
 
Escolha do Editor
Curtas & Palpites