Home   |   Expediente   |   Publicidade   |   Cadastre-se   |   Fale Conosco             

Política

27 de Setembro de 2019 as 12:09:37



TSE decide sobre Disparos no WhatsApp.na Eleição de Bolsonaro


ministro Jorge Mussi, do TSE
Ação pedia para investigar impulsionamento em massa de mensagens
 
O ministro Jorge Mussi, corregedor-geral do TSE Tribunal Superior Eleitoral negou diligências, na 5ª feira, 26.09, para investigar um suposto impulsionamento ilegal em massa de mensagens pelo aplicativo WhatsApp, em favor da candidatura de Jair Bolsonaro à presidência da República. 
 
A ação contra o presidente Bolsonaro havia sido formalizada  pelo Partido dos Trabalhadores (PT), por abuso de poder econômico, com base em uma série de reportagens publicadas pelo jornal Folha de S. Paulo sobre o assunto no ano passado.
 
A decisão ainda passará por julgamento do plenário do TSE.
 
Em outubro de 2018, em meio à campanha eleitoral, a Folha de S. Paulo publicou uma reportagem denunciando que empresários teriam comprado pacotes de impulsionamento em massa de mensagens pelo WhatsApp para favorecer a campanha de Bolsonaro e prejudicar o principal adversário, o então candidato petista Fernando Haddad.
 
A prática, segundo a reportagem, poderia caracterizar doação de campanha por empresas, o que é vedado pela legislação eleitoral.
 
Na petição feita ao TSE, a coligação do PT pedia a quebra dos sigilos bancários, telefônicos e telemáticos dos sócios das empresas denunciadas na reportagem, entre elas a AM4, que prestou serviços à campanha para a chapa do então candidato à presidente Jair Bolsonaro e seu vice Hamilton Mourão.
 
Os pedidos foram todos negados pelo ministro Jorge Mussi, que ressaltou não haver provas sobre o envolvimento das pessoas e da empresa citadas na ação. 
 
"As provas materiais (...) esclarecem os fatos e apontam para a não participação da AM4 em qualquer esquema de disparos em massa pelo WhatsApp. Por outro lado, houve a aprovação das contas dos candidatos investigados (PC 0601225-70.2018.6.00.0000, relator Ministro Luís Roberto Barroso, sessão em 4.12.2018, já transitada em julgado)",
 
diz um trecho da decisão. Ainda segundo o ministro do TSE, sem indícios de irregularidades, as diligências de quebra de sigilos poderiam configurar uma violação de prerrogativas constitucionais das pessoas envolvidas na denúncia.
 
"Se não há sequer indícios da contratação de disparos pela AM4, não têm sentido as diligências requeridas em relação à empresa oficial da campanha, bem como em relação às demais empresas citadas pela representante. Incorreria a Justiça Eleitoral, sem dúvida, no constrangimento ilegal das prerrogativas constitucionais dos cidadãos e das empresas envolvidas na reportagem se concedesse as requisições",
 
acrescenta.


Fonte: AGENCIA BRASIL. Copidescagem e Chamada de capa da Redação JF





Indique a um amigo     Imprimir     Comentar notícia

>> Últimos comentários

NOTÍCIAS DA FRANQUEADORA E EMPRESAS DO SEGMENTO


  Outras notícias.
CARLOS LESSA  Faleceu o grande economista brasileiro, no Rio de Janeiro 05/06/2020
CARLOS LESSA Faleceu o grande economista brasileiro, no Rio de Janeiro
 
VAREJO Resultados no 1º Trimestre/2020: Primeiros Impactos da Covid-19 02/06/2020
VAREJO Resultados no 1º Trimestre/2020: Primeiros Impactos da Covid-19
 
MORO tem negado seu Pedido para Atuar como Advogado 02/06/2020
MORO tem negado seu Pedido para Atuar como Advogado
 
FAKENEWS Maia buscará acordo com Alcolumbre em PL sobre FakeNews 02/06/2020
FAKENEWS Maia buscará acordo com Alcolumbre em PL sobre FakeNews
 
PGR envia ao Supremo parecer a favor de prorrogação de inquérito 02/06/2020
PGR envia ao Supremo parecer a favor de prorrogação de inquérito
 
WEINTRAUB silencia  em depoimento à Polícia Federal 30/05/2020
WEINTRAUB silencia em depoimento à Polícia Federal
 
Ministério da Saúde prorroga campanha de vacinação contra gripe 30/05/2020
Ministério da Saúde prorroga campanha de vacinação contra gripe
 
CÂMARA Comissão do Coronavírus debate Tabelamento de Preços de Medicamentos 29/05/2020
CÂMARA Comissão do Coronavírus debate Tabelamento de Preços de Medicamentos
 
AUGUSTO ARAS é lembrado por Bolsonaro para 3ª Vaga no STF 29/05/2020
AUGUSTO ARAS é lembrado por Bolsonaro para 3ª Vaga no STF
 
ATAQUES AO STF - Deputados criticam declarações de Bolsonaro 29/05/2020
ATAQUES AO STF - Deputados criticam declarações de Bolsonaro
 
Escolha do Editor
Curtas & Palpites