Home   |   Expediente   |   Publicidade   |   Cadastre-se   |   Fale Conosco             

Investimentos

Terça-Feira, Dia 15 de Outubro de 2019 as 21:10:14



O MERCADO, 15.10: Ibovespa sobe puxado por NY. Dólar sobe a R$ 4.164



Diário do Mercado na 3ª feira, 15.10.2019
 
Ibovespa encerra positivo suportado por avanço em Nova York
 
Comentário.
 
O índice brasileiro performou seu quinto pregão consecutivo de ganhos, na véspera dos vencimentos do índice futuro e de opções sobre o índice.
 
Em suma, mesmo com a pressão vendedora nas duas horas finais de negócios, o Ibovespa terminou com pequena alta, favorecido pelas altas das bolsas de Nova York, que contagiaram positivamente os demais mercados bursáteis.
 
Nos EUA, no início da temporada de resultados, os balanços do setor financeiro deram impulso aos negócios. Internamente, mesmo com a queda do preço do petróleo no mercado internacional, as ações da Petrobras subiram, com a percepção dos agentes que o projeto da cessão onerosa prossegue firme.
 
No Brasil, o dólar comercial fechou cotado a R$ 4,1620 (+0,82%). Os juros futuros subiram, com exceção no curtíssimo prazo, em um dia de realizações de lucros das recentes baixas. 
 
Ibovespa.
 
O índice abriu novamente oscilante, firmando-se em alta pouco depois da abertura das bolsas em Nova York, chegando a testar os 105 mil pts. Na véspera, havia operado com descolamento positivo em relação ao S&P500, mas, hoje navegou com trajetória similar e deslocamento inferior.  Os papéis do setor de siderurgia denotaram boas performances e os da Petrobras mais contribuíram ponderadamente. 
 
O Ibovespa fechou aos 104.489 pts (+0,18%), acumulando +0,63% na semana, -0,24% no mês, +18,89% no ano e +25,35% em 12 meses. O giro financeiro preliminar da Bovespa foi de R$ 15,3 bilhões, sendo R$ 13,9 bilhões no mercado à vista.
 
Capitais Externos na Bolsa
 
No dia 11 de outubro (último dado disponível), ocorreu entrada líquida de de R$ 480,394 milhões em capital estrangeiro na Bovespa, depois de dez sessões consecutivas de retiradas, mas apurando saída líquida de -R$ 9,913 bilhões no mês. Em 2019, o saldo negativo líquido acumulado atingiu -R$ 30,716 bilhões.
 
Agenda Econômica.
 
Na China, o índice de preços ao consumidor (IPC) (A/A) passou a 3,0% em setembro ante de 2,8% em agosto. Todavia, a contribuição substancial para a subida da taxa adveio da alta de preços da carne de porco. Vale ressaltar que o núcleo do CPI situa-se em 1,5%, na décima terceira medição inferior a 2,0%. O índice de preços ao produtor (PPI) (A/A) mostrou deflação de -1,2% em setembro versus -0,08% em agosto, sendo o terceiro dado negativo consecutivo, influenciada pelo recuo dos preços do setor industrial.  Já os novos empréstimos forma de US$ 237,14 bilhões (1,69 trilhão de yuans) em setembro, sendo o maior montante nos últimos seis meses.
 
Câmbio e CDS.
 
O dólar tornou a subir diante do real. A perspectiva do diferencial menor de juros entre EUA e Brasil foi a tônica deste movimento pela segunda sessão seguida, em um claro repique das recentes quedas da divisa norte-americana no mercado doméstico.
 
A moeda encerrou cotada a R$ 4,1640 (+0,87%), acumulando +1,73% na semana, +0,22% no mês, +7,46% no ano e +11,40% em 12 meses.
 
Risco País
 
O risco-país medido pelo CDS Brasil 5 anos passou a 132 pts frente a 133 pts do dia anterior. 
 
Juros.
 
Os juros futuros, menos os de curtíssimo prazo, avançaram progressivamente em direção à ponta longa e levantaram a inclinação de sua curva de estrutura a termo.
 
O movimento esteve alinhado com a elevação do dólar, concomitante com realizações das recentes quedas das taxas. Em relação à sessão anterior, assim fecharam: DI janeiro/2020 em 4,92% de 4,91%; DI janeiro/2021 em 4,61%  de 4,57%; DI janeiro/2023 em 5,63% de 5,55%; DI janeiro/2025 em 6,32% de 6,24%; DI janeiro/2027 em 6,69% de 6,60%.
 
Agenda.
 
Brasil: IGP-10, confiança industrial CNI, IGP-M (2ª prévia);
 
EUA: Livro Bege/Fed, produção industrial, utilização da capacidade, licenças e construções de casas novas, índice antecedente;
 
China: produção industrial, vendas a varejo, PIB.
 
Confira no anexo a íntegra do relatório de análise do comportamento do mercado na 3ªfeira, 15.10.2019, elaborado por HAMILTON MOREIRA ALVES, CNPI-T, integrante do BB Investimentos.

Clique aqui para acessar o aquivo PDF

Fonte: HAMILTON MOREIRA ALVES, CNPI-T, integrante do BB Investimentos





Indique a um amigo     Imprimir     Comentar notícia

>> Últimos comentários

NOTÍCIAS DA FRANQUEADORA E EMPRESAS DO SEGMENTO


  Outras notícias.
O MERCADO, 18.11: IBOVESPA ca 0,27% a 106.269 pts. DÓLAR sobe a R$ 4,205 19/11/2019
O MERCADO, 18.11: IBOVESPA ca 0,27% a 106.269 pts. DÓLAR sobe a R$ 4,205
 
SLC AGRÍCOLA - Resultado no 3º trimestre/2019  Resultado Líquido Negativo 16/11/2019
SLC AGRÍCOLA - Resultado no 3º trimestre/2019 Resultado Líquido Negativo
 
JBS - Resultado no 3º Trimestre /2019:  Fortes Resultados 16/11/2019
JBS - Resultado no 3º Trimestre /2019: Fortes Resultados
 
MVR - Resultado no 3º trimestre /2019: Mudança de Direção 13/11/2019
MVR - Resultado no 3º trimestre /2019: Mudança de Direção
 
GUIA DE AÇÕES Conheça aqui as cotações de 13.11 Avalie se convém Investir 13/11/2019
GUIA DE AÇÕES Conheça aqui as cotações de 13.11 Avalie se convém Investir
 
O MERCADO, 13.11: Ibovespa cai com ruídos entre EUA e China. Dólar sobe R$ 4,185 13/11/2019
O MERCADO, 13.11: Ibovespa cai com ruídos entre EUA e China. Dólar sobe R$ 4,185
 
EMBRAER - Resultado no 3º trimestre de 2019: NEUTRO 13/11/2019
EMBRAER - Resultado no 3º trimestre de 2019: NEUTRO
 
O MERCADO, 12.11: Ibovespa cai 1,49% a 106.751 pts. Dólar sobe a R$ 4,116 13/11/2019
O MERCADO, 12.11: Ibovespa cai 1,49% a 106.751 pts. Dólar sobe a R$ 4,116
 
O MERCADO, 11.11: Ibovespa sobe 0,69% a 108.367 pts. Dólar cai a R$ 4,142 12/11/2019
O MERCADO, 11.11: Ibovespa sobe 0,69% a 108.367 pts. Dólar cai a R$ 4,142
 
SANTANDER BRASIL  Resultados no 3º trimestre/2019: NEGATIVOS 09/11/2019
SANTANDER BRASIL Resultados no 3º trimestre/2019: NEGATIVOS
 
Escolha do Editor
Curtas & Palpites