Home   |   Expediente   |   Publicidade   |   Cadastre-se   |   Fale Conosco             

Investimentos

18 de Outubro de 2019 as 21:10:18



O MERCADO, 18.10: Ibovespa em pequena baixa, segue bolsas no exterior. Dólar cai a R$ 4,118



Diário do Mercado na 6ª feira, 18.10.2019
 
Ibovespa tem mais um dia de pequena baixa com exterior negativo
 
Comentário.
 
O índice brasileiro, na ausência de notícias domésticas mais relevantes, terminou acompanhando a tendência dos índices acionários de Nova York, mesmo internamente com os investidores mantendo a expectativa de maior magnitude de cortes de juros pelo Banco Central ainda este ano.
 
Em suma, externamente, os agentes, após a divulgação na madrugada de dados do PIB da China – não tão bem recebidos, associado a números não tão favoráveis nesta semana da economia norte-americana, reacenderam temores de desaceleração global futura e induziram realizações nas bolsas de Wall Street,  que terminaram por contaminar negativamente os demais mercados bursáteis pelo mundo.
 
No Brasil, o dólar comercial fechou cotado a R$ 4,1180 (-1,22%). Os juros futuros curtos até parte dos intermediários cederam e subiram a partir daí - todos com levíssimas variações.
 
Ibovespa.
 
O índice chegou a oscilar em alta até pouco antes da primeira hora da tarde. A partir daí, seguiu a tendência do índice S&P500, colando sua trajetória nele nas duas horas e meia finais.
 
Destaque ponderado positivo para a ação do Banco do Brasil  (BBAS3: R$ 46,06; +2,56%), que havia precificado seu follow-on (oferta secundária de ações) em R$ 44,05 na véspera, cujo montante atingiu cerca de R$ 5,8 bilhões, sendo a terceira maior alta individual no dia, suplantada apenas pelos papéis da Eletrobras. As demais ações de bancos, a Vale e a Petrobras pesaram sobre o índice. O Ibovespa fechou aos 104.728 pts (-0,27%), acumulando +0,86% na semana, -0,02% no mês, +19,16% no ano e +22,90% em 12 meses. 
 
O giro financeiro preliminar da Bovespa foi de R$ 16,3 bilhões, sendo R$ 14,9 bilhões no mercado à vista. No dia 16 de outubro (último dado disponível), a retirada líquida de capital estrangeiro foi de -R$ 375,544 milhões na Bovespa, computando saída líquida de -R$ 10,673 bilhões no mês. Em 2019, o saldo negativo líquido acumulado atingiu -R$ 31,477 bilhões.
 
Agenda Econômica.
 
No Brasil, a segunda prévia do IGP-M mostrou variação de +0,85% versus -0,28% na segunda prévia de setembro.
 
Os seus subíndices assim oscilaram: IPA-M em +1,29% (-0,52% na segunda prévia de setembro); IPC-M em -0,05% (-0,05% na segunda prévia de setembro); e o INCC-M em 0,10% (+0,67% na segunda prévia de setembro). No IPA-M: IPA-agrícola em +0,90% (1,41% na segunda prévia de setembro), acumulando +6,52% no ano e +2,45% em 12 meses; e IPA-industrial em +1,42% (-1,14% na segunda prévia de setembro), acumulando +5,80% no ano e +3,68% em 12 meses. O indicador geral passou a acumular +4,98% no ano e +3,33% em 12 meses.
 
Nos EUA, o índice antecedente recuou -0,1% em setembro (0,0% em agosto).
 
Câmbio e CDS.
 
O real teve a maior valorização frente ao dólar entre trinta e quatro moedas no mercado internacional. A perspectiva de entrada de recursos com a cessão onerosa e as privatizações induziu este comportamento no dia.
 
A divisa fechou a R$ 4,1180 (-1,22%), acumulando +0,61% na semana, -0,89% no mês, +6,27% no ano e +10,49% em 12 meses.
 
Risco País
 
O risco-país medido pelo CDS Brasil 5 anos baixou a 129 pts de 131 na véspera.
 
Juros.
 
Os juros futuros, em dia de ajustes de posições, cederam ligeiramente até parte intermediária de sua curva e algumas leves altas a partir daí.
 
Em relação à sessão anterior, assim fecharam: DI janeiro/2020 em 4,85% de 4,86; DI janeiro/2021 em 4,45%  de 4,47%; DI janeiro/2023 em 5,43%; DI janeiro/2025 em 6,12% de 6,10%; DI janeiro/2027 em 6,48%.
 
Agenda.
 
Brasil: Balança comercial, IPCA-15,  Confiança do Consumidor, Dados do setor externo, Dados de crédito;
 
EUA: Vendas de casas usadas, Pedidos de bens duráveis, PMI Manufatura, Índice confiança consumidor Univ. Michigan;
 
Alemanha e França: PMI Manufatura;
 
Zona do euro: PMI Manufatura e BCE (taxa de juros);
 
Japão: PMI Manufatura.
 
Confira no anexo a íntegra do relatório a respeito do comportamento do mercado na 6ª feira, 18.10.2019, elaborado por HAMILTON MOREIRA ALVES, CNPI-T, integrante do BB Investimentos

Clique aqui para acessar o aquivo PDF

Fonte: HAMILTON MOREIRA ALVES, CNPI-T, integrante do BB Investimentos





Indique a um amigo     Imprimir     Comentar notícia

>> Últimos comentários

NOTÍCIAS DA FRANQUEADORA E EMPRESAS DO SEGMENTO


  Outras notícias.
O MERCADO, 18.11: IBOVESPA ca 0,27% a 106.269 pts. DÓLAR sobe a R$ 4,205 19/11/2019
O MERCADO, 18.11: IBOVESPA ca 0,27% a 106.269 pts. DÓLAR sobe a R$ 4,205
 
SLC AGRÍCOLA - Resultado no 3º trimestre/2019  Resultado Líquido Negativo 16/11/2019
SLC AGRÍCOLA - Resultado no 3º trimestre/2019 Resultado Líquido Negativo
 
JBS - Resultado no 3º Trimestre /2019:  Fortes Resultados 16/11/2019
JBS - Resultado no 3º Trimestre /2019: Fortes Resultados
 
MVR - Resultado no 3º trimestre /2019: Mudança de Direção 13/11/2019
MVR - Resultado no 3º trimestre /2019: Mudança de Direção
 
GUIA DE AÇÕES Conheça aqui as cotações de 13.11 Avalie se convém Investir 13/11/2019
GUIA DE AÇÕES Conheça aqui as cotações de 13.11 Avalie se convém Investir
 
O MERCADO, 13.11: Ibovespa cai com ruídos entre EUA e China. Dólar sobe R$ 4,185 13/11/2019
O MERCADO, 13.11: Ibovespa cai com ruídos entre EUA e China. Dólar sobe R$ 4,185
 
EMBRAER - Resultado no 3º trimestre de 2019: NEUTRO 13/11/2019
EMBRAER - Resultado no 3º trimestre de 2019: NEUTRO
 
O MERCADO, 12.11: Ibovespa cai 1,49% a 106.751 pts. Dólar sobe a R$ 4,116 13/11/2019
O MERCADO, 12.11: Ibovespa cai 1,49% a 106.751 pts. Dólar sobe a R$ 4,116
 
O MERCADO, 11.11: Ibovespa sobe 0,69% a 108.367 pts. Dólar cai a R$ 4,142 12/11/2019
O MERCADO, 11.11: Ibovespa sobe 0,69% a 108.367 pts. Dólar cai a R$ 4,142
 
SANTANDER BRASIL  Resultados no 3º trimestre/2019: NEGATIVOS 09/11/2019
SANTANDER BRASIL Resultados no 3º trimestre/2019: NEGATIVOS
 
Escolha do Editor
Curtas & Palpites