Home   |   Expediente   |   Publicidade   |   Cadastre-se   |   Fale Conosco             

Investimentos

22 de Outubro de 2019 as 21:10:07



SETOR DE TRANSPORTES - Estimativa de Resultados no 3º trimestre/2019



SETOR DE TRANSPORTES - Resultados no 3º trimestre/2019
 
Trimestre positivo para o setor de transporte
 
Nesta semana, as empresas do setor de transporte começam a divulgar seus resultados do 3T19 com a Localiza no dia 23, após o fechamento do mercado.
 
As Rodovias devem apresentar resultados positivos no 3T19. Quanto à CCR, a empresa deve continuar a ter importantes contribuições de ativos de mobilidade urbana e aeroportos, bem como a recente aquisição da ViaSul. Neste trimestre, estimamos um aumento de 1,3% no tráfego na comparação anual, incluindo a rodovia ViaSul.
 
Em nossas projeções, desconsiderando o ViaSul, o fluxo de veículos teria diminuído 2,5% a/a, uma vez que o tráfego registrado no 3T18 era atípico após a greve dos caminhoneiros no 2T18.
 
O fluxo de notícias na CCR foi bastante positivo em outubro, depois que o conselho de administração da CCR aprovou o pagamento de dividendos intermediários no valor de R$ 940 milhões ou R$ 0,46 por ação ordinária. Além disso, o leilão da rodovia Piracicaba-Panorama (Pipa), no estado de São Paulo, ocorrerá no final de novembro e, como a CCR é a favorita para vencer a licitação, houve um momento auspicioso para a CCRO3.
 
Também estimamos um resultado positivo para a Ecorodovias como resultado de recentes aquisições de rodovias (ECO135 e ECO050), que contribuirão para um crescimento no fluxo de veículos acima de 15% a/a; no entanto, desconsiderando as novas aquisições, o tráfego teria caído 1% a/a, em nossas estimativas.
 
Além disso, acreditamos que o Ecoporto seja capaz de apresentar geração de caixa positiva, beneficiando-se da desativação do Terminal Portuário de Libra desde abril deste ano.
 
Em setembro, a Ecorodovias venceu uma oferta da BR-364/365 / GO / MG com um desconto de 33% sobre a tarifa de pedágio, implicando na necessidade de compromissos futuros de capital de aproximadamente R$ 350 milhões na assinatura do contrato e outros US$ 210 milhões dentro de 12 meses após a assinatura. De acordo com o aviso de concessão, o investimento total e o investimento operacional serão da ordem de R $ 4,5 bilhões ao longo dos 30 anos da concessão.
 
Dada a alavancagem atual da empresa de 3,3x da dívida líquida em relação ao EBITDA, um aumento de capital será importante para a Ecorodovias capturar novas oportunidades de investimentos no novo ciclo de crescimento da infraestrutura brasileira.
 
Companhias aéreas.
 
Neste mês, a Azul sediou seu dia de investidor com o objetivo de atualizar sua perspectiva sobre o setor de transporte aéreo brasileiro. A administração da empresa está muito otimista com os resultados alcançados nos últimos 10 anos de operação no Brasil, consolidando sua presença em mais de 100 cidades do país.
 
Segundo John Rodgerson (CEO), os próximos 5 anos serão ainda mais promissores, diante de uma melhor infraestrutura dos aeroportos regionais, o que permitirá à Azul desenvolver sua tese de investimento em atender mercados com menos concorrência e capturar uma nova ciclo de crescimento dos passageiros transportados no Brasil.
 
Nesse sentido, esperamos números positivos para o resultado da Azul no 3T19. Estimamos um EBIT de R$ 579,8 milhões com margem de 18,8%. Excluindo as despesas de variação cambial não monetária, estimamos um lucro líquido de R$ 358,7 milhões.
 
Da mesma forma, vemos resultados positivos no 3T19 para a GOL. Esperamos um lucro líquido antes das despesas de câmbio de R$ 227,7 milhões. Embora existam despesas com o Boeing 737-Max no balanço do 3T19, estimamos um EBIT de R$ 629,0 milhões com margem de 16,9%, alta de 10,2 p.p. a/a. Após a saída da Avianca do mercado, a GOL conseguiu capturar o crescimento das tarifas; portanto, estimamos um crescimento de rendimento de 14,2% a/a e um crescimento de RASK de 19,7% a/a.
 
Em nossa opinião, devido à valorização do dólar norte-americano em relação ao real em torno de 5,0% aa, a variação cambial deve compensar parcialmente os resultados operacionais positivos nos resultados das duas companhias aéreas no 3T19.
 
Locação de Veículos
 
Quanto ao setor de Rent-A-Car, deve trazer mais um trimestre com crescimento diário de volume na divisão de aluguel individual (RAC) e no segmento de gerenciamento de frota.
 
A divisão de carros usados ​​continua seu ritmo de recuperação com as locadoras, que oferecem crescimento de volume e preço de venda mais alto devido a um melhor mix de carros, resultando em receita líquida mais forte.
 
Localiza. Esperamos outro trimestre de crescimento de volume nas divisões RAC e Fleet. Estimamos um EBIT de R$ 372,2 milhões no 3T19, que representa um crescimento de 23,8% a/a e um lucro líquido de R$ 208,1 milhões, +30,2% a/a e + 9,5% a/a.
 
Unidas. A Unidas deve reportar mais um trimestre dos números fortes na divisão RAC devido às sinergias capturadas nas recentes fusões realizadas. Estimamos a receita em RAC de R$ 232,5 milhões (+38,81 a/a) e R$ 306,0 milhões (+8,1% a/a) na gestão de frotas. Na divisão de carros usados, nossa estimativa atinge R$ 624,6 milhões (+47,5% a/a). A receita consolidada esperada é de R$ 1.160 milhões (+29,4% a/a. A linha inferior deve encerrar o trimestre positivo em R$ 90,5 milhões (+31,3% a/a).
 
Movida. Os resultados da Movida devem trazer um recorde histórico de lucro líquido de R$ 57,2 milhões em nossas estimativas, um aumento de 38,5% a/a e +37,8% a/a. Os números recordes devem ser apoiados pelo crescimento do volume diário de RAC acima de 15% e, no gerenciamento de frota, o crescimento de volume deve estar acima de 30% a/a.
 
JSL. Esperamos um resultado positivo para a JSL, com a receita líquida crescendo 19,5% a/a. Em nossas estimativas, o EBIT deve crescer 29,6% a/a com uma melhoria de margem de +1,0 p.p. O resultado final é estimado em R$ 84,0 milhões, um aumento de 55,5% a/a. Esses resultados positivos são sustentados pelo perfil de aluguel de negócios da JSL de (i) Movida, (ii) Vamos e (iii) CS Brasil, que oferece um modelo de negócios resiliente e diversificado.
 
Confira no anexo a íntegra do relatório de análise do desempenho do setor de Transportes, no 3º trimestre/2019, elaborado por RENATO HALLGREN, Analista senior do BB Investimentos

Clique aqui para acessar o aquivo PDF

Fonte: RENATO HALLGREN, Analista senior do BB Investimentos





Indique a um amigo     Imprimir     Comentar notícia

>> Últimos comentários

NOTÍCIAS DA FRANQUEADORA E EMPRESAS DO SEGMENTO


  Outras notícias.
EMBRAER - Resultado no 3º trimestre de 2019: NEUTRO 13/11/2019
EMBRAER - Resultado no 3º trimestre de 2019: NEUTRO
 
O MERCADO, 12.11: Ibovespa cai 1,49% a 106.751 pts. Dólar sobe a R$ 4,116 13/11/2019
O MERCADO, 12.11: Ibovespa cai 1,49% a 106.751 pts. Dólar sobe a R$ 4,116
 
O MERCADO, 11.11: Ibovespa sobe 0,69% a 108.367 pts. Dólar cai a R$ 4,142 12/11/2019
O MERCADO, 11.11: Ibovespa sobe 0,69% a 108.367 pts. Dólar cai a R$ 4,142
 
SANTANDER BRASIL  Resultados no 3º trimestre/2019: NEGATIVOS 09/11/2019
SANTANDER BRASIL Resultados no 3º trimestre/2019: NEGATIVOS
 
BRF  Resutados no 3º trimestre de 2019: POSITIVOS 09/11/2019
BRF Resutados no 3º trimestre de 2019: POSITIVOS
 
O MERCADO, 07.11: Ibovespa sobe 1,13% a 109.580 pts. Dólar a R$ 4,0920 (+0,24%) 08/11/2019
O MERCADO, 07.11: Ibovespa sobe 1,13% a 109.580 pts. Dólar a R$ 4,0920 (+0,24%)
 
O MERCADO, 06.11: Ibovespa  estável em 108.719. Dólar cai a R$ 3,993 06/11/2019
O MERCADO, 06.11: Ibovespa estável em 108.719. Dólar cai a R$ 3,993
 
O MERCADO, 05.11: Ibovespa  estável em 108.719. Dólar cai a R$ 3,993 06/11/2019
O MERCADO, 05.11: Ibovespa estável em 108.719. Dólar cai a R$ 3,993
 
USIMINAS Resultado no 3º trimestre/2019: NEGATIVO. 05/11/2019
USIMINAS Resultado no 3º trimestre/2019: NEGATIVO.
 
O MERCADO, 04.11: Ibovespa sobe 0,54% a 108.779 pts. Dólar sobe a R$ 4,011 05/11/2019
O MERCADO, 04.11: Ibovespa sobe 0,54% a 108.779 pts. Dólar sobe a R$ 4,011
 
Escolha do Editor
Curtas & Palpites