Home   |   Expediente   |   Publicidade   |   Cadastre-se   |   Fale Conosco             

Investimentos

23 de Outubro de 2019 as 23:10:08



O MERCADO, 23.10: Ibovespa sobe a 107.543 pts. Dólar cai a R$ 4.032



Diário do Mercado na 4ª feira, 23.10.2019
 
Ibovespa esteve volátil, mas blue chips e exterior garantiram a alta
 
Comentário.
 
O índice brasileiro teve um pregão com trajetória indefinida, mas as evoluções das ações do setor financeiro e da Petrobras garantiram o término positivo, com pequena alta e novo recorde histórico de fechamento – ligeiramente acima do exterior. No final, terminou não distante das variações dos índices acionários de Nova York.
 
O dia também foi de ajustes de posicionamentos e assim tende a continuar à medida que forem sendo divulgados os balanços de empresas do terceiro trimestre. Vale lembrar que os resultados de Petrobras e Vale estão agendados para a próxima 5ª feira, 24.10, após os fechamentos dos mercados. Os agentes, após a aprovação da reforma da Previdência ter sido sacramentada, estão na expectativa da sequência de reformas que poderão ser encaminhadas pelo governo para aprovação no Congresso Nacional.
 
Externamente, também prosseguem as divulgações de resultados das companhias, que vão movimentando as bolsas e, no dia, a alta do petróleo deu um certo impulso aos mercados em Wall Street, que arrefeceram de tarde, mas findaram ainda com pequenos ganhos.
 
No Brasil, o dólar comercial fechou cotado a R$ 4,0320 (-1,06%). Os juros futuros recuaram progressivamente da ponta curta para a ponta longa, acompanhando a tendência do dólar.
 
Ibovespa.
 
O índice apresentou trajetória errática ao longo da sessão, se aproximando dos 108 mil pts pela manhã, em alta, e decaindo em campo negativo até próximo dos 107 mil pts no princípio da tarde. Depois, ficou oscilante, mas ainda findou com pequena elevação. Os papéis do setor de bancos e a Petrobras seguraram o fechamento positivo, mas a Vale encerrou em baixa.
 
O Ibovespa fechou aos 107.543 pts (+0,15%), acumulando +2,69% na semana, +2,67% no mês, +22,37% no ano e +26,08% em 12 meses. O giro financeiro preliminar da Bovespa foi de R$ 17,0 bilhões, sendo R$ 15,5 bilhões no mercado à vista.
 
Capitais Externos na Bolsa
 
No dia 17de outubro (último dado disponível), denotou ingresso líquido de capital estrangeiro de R$ 372,290 mil na Bovespa, apurando saída líquida de -R$ 11,117 bilhões no mês. Em 2019, o saldo negativo líquido acumulado situa-se em -R$ 31,921 bilhões.
 
Agenda Econômica.
 
No Brasil, o IPC-S apresentou deflação de -0,07% na terceira quadrissemana de outubro. Cinco das oito classes que compõe o indicador registraram decréscimo em suas taxas, com destaque para o grupo de Habitação, que variou de -0,14% para -0,32%, refletindo a queda da tarifa de eletricidade residencial (-1,70% para -2,63%). Outros grupos que também apresentaram decréscimos foram: Alimentação (-0,37% para -0,35%); Comunicação (+0,22% para +0,11%); Educação, Leitura e Recreação (+0,15% para +0,06%) e Vestuário (+0,26% para +0,18%).  
 
Câmbio e CDS.
 
O dólar encerrou cotado em queda ante ao real, em congruência ao otimismo doméstico após a aprovação final da reforma da Previdência.
 
A divisa fechou a R$ 4,0320 (-1,06%), acumulando -2,09% na semana, -2,96% no mês, +4,05% no ano e +8,94% em 12 meses.
 
Risco País
 
O risco-país medido pelo CDS Brasil 5 anos cedeu a 125 pts de 127 ontem.   
 
Juros.
 
Os juros futuros findaram a sessão regular em queda generalizada ao longo de toda a curva de estrutura a termo. A aprovação da reforma da Previdência contribuiu diretamente para o movimento de baixa nos juros, que acompanhou a tendência do dólar.
 
Em relação ao pregão anterior, assim fecharam os contratos: DI janeiro/2020 em 4,84% de 4,85%; DI janeiro/2021 em  4,50% de 4,54%; DI janeiro/2023 em 4,46% de 5,52%; DI janeiro/2025 6,13% em de 6,20%; DI janeiro/2027 em 6,49% de 6,56%.
 
Agenda.
 
Brasil: Confiança do Consumidor, Dados do setor externo, Dados de crédito;
 
EUA: Pedidos de bens duráveis, PMI Manuf., Índ. Conf. consumidor Univ. Michigan;
 
Alemanha e França: PMI Manuf.; zona do euro: PMI Manuf. e BCE (taxa de juros);
 
Japão: PMI Manuf.
 
Confira no anexo a íntegra do relatório de análise do comportamento do mercado na 4ª feira, 23.10.2019, elaborado por HAMILTON MOREIRA ALVES, CNPI-T, integrante do BB Investimentos. 

Clique aqui para acessar o aquivo PDF

Fonte: HAMILTON MOREIRA ALVES, CNPI-T, integrante do BB Investimentos.





Indique a um amigo     Imprimir     Comentar notícia

>> Últimos comentários

NOTÍCIAS DA FRANQUEADORA E EMPRESAS DO SEGMENTO


  Outras notícias.
O MERCADO, 12.11: Ibovespa cai 1,49% a 106.751 pts. Dólar sobe a R$ 4,116 13/11/2019
O MERCADO, 12.11: Ibovespa cai 1,49% a 106.751 pts. Dólar sobe a R$ 4,116
 
O MERCADO, 11.11: Ibovespa sobe 0,69% a 108.367 pts. Dólar cai a R$ 4,142 12/11/2019
O MERCADO, 11.11: Ibovespa sobe 0,69% a 108.367 pts. Dólar cai a R$ 4,142
 
SANTANDER BRASIL  Resultados no 3º trimestre/2019: NEGATIVOS 09/11/2019
SANTANDER BRASIL Resultados no 3º trimestre/2019: NEGATIVOS
 
BRF  Resutados no 3º trimestre de 2019: POSITIVOS 09/11/2019
BRF Resutados no 3º trimestre de 2019: POSITIVOS
 
O MERCADO, 07.11: Ibovespa sobe 1,13% a 109.580 pts. Dólar a R$ 4,0920 (+0,24%) 08/11/2019
O MERCADO, 07.11: Ibovespa sobe 1,13% a 109.580 pts. Dólar a R$ 4,0920 (+0,24%)
 
O MERCADO, 06.11: Ibovespa  estável em 108.719. Dólar cai a R$ 3,993 06/11/2019
O MERCADO, 06.11: Ibovespa estável em 108.719. Dólar cai a R$ 3,993
 
O MERCADO, 05.11: Ibovespa  estável em 108.719. Dólar cai a R$ 3,993 06/11/2019
O MERCADO, 05.11: Ibovespa estável em 108.719. Dólar cai a R$ 3,993
 
USIMINAS Resultado no 3º trimestre/2019: NEGATIVO. 05/11/2019
USIMINAS Resultado no 3º trimestre/2019: NEGATIVO.
 
O MERCADO, 04.11: Ibovespa sobe 0,54% a 108.779 pts. Dólar sobe a R$ 4,011 05/11/2019
O MERCADO, 04.11: Ibovespa sobe 0,54% a 108.779 pts. Dólar sobe a R$ 4,011
 
DIRECIONAL Resultados no 3º trimestre/2019: Positivos, novamente. 01/11/2019
DIRECIONAL Resultados no 3º trimestre/2019: Positivos, novamente.
 
Escolha do Editor
Curtas & Palpites