Home   |   Expediente   |   Publicidade   |   Cadastre-se   |   Fale Conosco             

Investimentos

Sábado, Dia 26 de Outubro de 2019 as 22:10:33



O MERCADO, 25.10: Ibovespa acumula 2,52% na semana. Dólar cai a R$ 4,008



Diário do Mercado na 6ª feira, 25.10.2019
 
Ibovespa fecha quase em recorde com resultados de empresas
 
Comentário.
 
O índice doméstico foi influenciado positivamente por resultados de empresas considerados favoráveis, com destaque para os balanços da Vale da Petrobras (também beneficiada pela alta do petróleo no dia), divulgados na noite de ontem, que agradaram os investidores. As ações destas duas companhias seguraram o fechamento em alta do Ibovespa.
 
Externamente, as bolsas avançaram com notícias de evolução das negociações comerciais entre EUA e China,com a sinalização que poderão assinar em meados de novembro próximo um acordo parcial.
 
Também, a grande maioria dos resultados da temporada de balanços de empresas tem sido considerada acima das expectativas, apesar de uma ou outra grande companhia não ter performado acima do esperado.
 
Os índices acionários em Nova York subiram e fecharam não distantes de suas máximas históricas. Vale lembrar que na próxima semana haverá decisões de juros pelo Banco Central brasileiro e pelo Fed, além de indicadores norte-americanos significativos.
   
No Brasil, o dólar comercial fechou cotado a R$ 4,0080 (-0,89%). Os juros futuros baixaram, com os agentes elevando suas apostas de queda de 50 pts-base na taxa Selic (30/out).
 
Ibovespa.
 
O índice principiou ascendente, chegando a testar os 108 mil pts (recorde). Depois, antes da primeira hora de negócios arrefeceu e passou a circundar com pequenas variações, sempre em campo positivo, a sua pontuação de fechamento.
 
O Ibovespa fechou aos 107.363 pts (+0,35%), acumulando +2,52% na semana, +2,50% no mês, +22,16% no ano e +27,69% em 12 meses. O vistoso giro financeiro preliminar da Bovespa foi de R$ 17,4 bilhões, sendo R$ 15,8 bilhões no mercado à vista.
 
No dia 23 de outubro (último dado disponível), houve ingresso líquido de capital estrangeiro de R$ 517,698 milhões na Bovespa, reduzindo a retirada líquida para -R$ 10,060 bilhões no mês. Em 2019, o saldo negativo líquido acumulado situa-se em -R$ 30,861 bilhões.
 
Agenda Econômica.
 
No Brasil,a taxa de inadimplência de empréstimos passou de 4,9% em agosto para 5,0% em setembro. 
 
Nos EUA, o índice de confiança do consumidor da universidade de Michigan subiu a 95,5 em outubro versus 93,2 em setembro. 
 
Câmbio e CDS.
 
O dólar chegou a vir abaixo de R$ 4,00 antes da primeira hora da tarde. Contudo, a partir daí, se manteve acima deste patamar. Vale lembrar que a perspectiva é de continuidade corte doméstico de juros, que parece conter, até o momento, a baixa da cotação da divisa.
 
A moeda fechou cotada a R$ 4,0080 (-0,89%), acumulando agora -2,67% na semana, -3,54% no mês, +3,43% no ano e +8,18% em 12 meses.
 
Risco País
 
O risco-país medido pelo CDS Brasil 5 anos cedeu a 119 pts de 123 ontem.
 
Juros.
 
Os juros futuros findaram em baixa generalizada, com maiores apostas de quedas futuras da taxa Selic, além daquela de 50 pts-base já precificada para a decisão do Copom na próxima quarta-feira (30). Também, o movimento foi induzido pela baixa do câmbio.
 
Em relação ao pregão anterior, assim fecharam os contratos: DI janeiro/2020 em 4,78% de 4,82%; DI janeiro/2021 em 4,40% de 4,46%; DI janeiro/2023 em 5,41% de 5,48%; DI janeiro/2025 em 6,07% de 6,15%; DI janeiro/2027 em 6,45% de 6,53%.: DI janeiro/2020 em 4,82% de 4,84%; DI janeiro/2021 em 4,46%  de 4,50%; DI janeiro/2023 em 5,48% de 5,46%; DI janeiro/2025 em 6,15% de 6,13%; DI janeiro/2027 em 6,53% de 6,49%.
 
Agenda.
 
Brasil: IGP-M, Taxa Selic, Taxa de desemprego, Resultados primário e nominal do setor público, Produção industrial, PMI Manufatura, Balança comercial mensal;
 
EUA: ADP empregos privados, PIB, Consumo pessoal, Decisão de juros - FOMC , Payroll, Taxa de desemprego, PMI Manufatura, Manufaturados ISM;
 
Alemanha: PMI Manufatura , IPC;
 
França: PIB; zona do euro: PIB;
 
Japão: PMI Manuf, Produção ind., Taxa de juros – BoJ.
 
Confira no anexo a íntegra do relatório sobre o comportamento do mercado na 6ª feira, 25.10.2019, elaborado por HAMILTON MOREIRA ALVES, CNPI-T, integrante do BB Investimentos. 

Clique aqui para acessar o aquivo PDF

Fonte: HAMILTON MOREIRA ALVES, do BB Investimentos





Indique a um amigo     Imprimir     Comentar notícia

>> Últimos comentários

NOTÍCIAS DA FRANQUEADORA E EMPRESAS DO SEGMENTO


  Outras notícias.
O MERCADO, 12.11: Ibovespa cai 1,49% a 106.751 pts. Dólar sobe a R$ 4,116 13/11/2019
O MERCADO, 12.11: Ibovespa cai 1,49% a 106.751 pts. Dólar sobe a R$ 4,116
 
O MERCADO, 11.11: Ibovespa sobe 0,69% a 108.367 pts. Dólar cai a R$ 4,142 12/11/2019
O MERCADO, 11.11: Ibovespa sobe 0,69% a 108.367 pts. Dólar cai a R$ 4,142
 
SANTANDER BRASIL  Resultados no 3º trimestre/2019: NEGATIVOS 09/11/2019
SANTANDER BRASIL Resultados no 3º trimestre/2019: NEGATIVOS
 
BRF  Resutados no 3º trimestre de 2019: POSITIVOS 09/11/2019
BRF Resutados no 3º trimestre de 2019: POSITIVOS
 
O MERCADO, 07.11: Ibovespa sobe 1,13% a 109.580 pts. Dólar a R$ 4,0920 (+0,24%) 08/11/2019
O MERCADO, 07.11: Ibovespa sobe 1,13% a 109.580 pts. Dólar a R$ 4,0920 (+0,24%)
 
O MERCADO, 06.11: Ibovespa  estável em 108.719. Dólar cai a R$ 3,993 06/11/2019
O MERCADO, 06.11: Ibovespa estável em 108.719. Dólar cai a R$ 3,993
 
O MERCADO, 05.11: Ibovespa  estável em 108.719. Dólar cai a R$ 3,993 06/11/2019
O MERCADO, 05.11: Ibovespa estável em 108.719. Dólar cai a R$ 3,993
 
USIMINAS Resultado no 3º trimestre/2019: NEGATIVO. 05/11/2019
USIMINAS Resultado no 3º trimestre/2019: NEGATIVO.
 
O MERCADO, 04.11: Ibovespa sobe 0,54% a 108.779 pts. Dólar sobe a R$ 4,011 05/11/2019
O MERCADO, 04.11: Ibovespa sobe 0,54% a 108.779 pts. Dólar sobe a R$ 4,011
 
DIRECIONAL Resultados no 3º trimestre/2019: Positivos, novamente. 01/11/2019
DIRECIONAL Resultados no 3º trimestre/2019: Positivos, novamente.
 
Escolha do Editor
Curtas & Palpites