Home   |   Expediente   |   Publicidade   |   Cadastre-se   |   Fale Conosco             

Investimentos

01 de Novembro de 2019 as 01:11:35



O MERCADO, 31.10: Ibovespa cai 1,1% a 107.219 pts. Dólar sobe a R$ 4,009



Diário do Mercado na 5ª feira, 31.10.2019
 
Ibovespa tem pregão de realizações após recorde na véspera
 
Comentário.
 
O índice brasileiro denotou queda no pregão – pode-se dizer até que foi um movimento natural perante o fechamento em recorde histórico da véspera. Mesmo assim, encerrou com alta de +2,36% em outubro, além de performar recordes históricos de fechamento desde a semana passada.
 
Internamente, tem-se como favorável o sinalizado corte de mais 50 pts-base na taxa Selic pelo Banco Central em sua última decisão do ano, em dezembro próximo.
 
Todavia, no exterior, parte dos agentes já estão formando opinião que o Fed não deverá mais cortar os juros ainda este ano nos EUA, devendo postergar esta redução para o início do próximo ano. Com esta percepção, os índices acionários de Nova York recuaram e influenciaram o comportamento do índice doméstico.
 
No Brasil, o dólar comercial fechou cotado a R$ 4,0090 (+0,55%). Os juros futuros curtos e médios subiram, com destaque de alta para os contratos intermediários.
 
Ibovespa.
 
O índice abriu cadente e logo após a primeira hora de negócios passou a rondar os 106.500 pts, em um movimento de realização após o recorde da véspera. Na parte da tarde, foi gradualmente reagindo e recuperou os 107.000 pts na hora final do pregão, mas ainda findou em baixa. As ações da Petrobras encerraram positivas, mas os papéis do setor de bancos e a Vale pesaram no dia.
 
O Ibovespa fechou aos 107.219 pts (-1,10%), acumulando -0,13% na semana, +2,36% no mês, +22,00% no ano e +22,64% em 12 meses. O giro financeiro preliminar da Bovespa foi de R$ 19,5 bilhões, sendo R$ 17,7 bilhões no mercado à vista.
 
Capitais Externos na B3
 
No dia 29 de outubro (último dado disponível), o ingresso líquido de capital estrangeiro foi de R$ 642,22 milhões na Bovespa, baixando a saída líquida no mês a -R$ 8,819 bilhões. Em 2019, o saldo negativo líquido acumulado situa-se em -R$ 29,623 bilhões.
 
Agenda Econômica.
 
No Brasil, a taxa de desemprego encerrou o terceiro trimestre em +11,8% em sua média móvel trimestral, de julho a setembro, ante os +12,0% registrados entre abril a junho, divulgou o IBGE. O resultado veio acima do 11,6% esperado pelo mercado.
 
Já o setor público consolidado encerrou setembro com déficit primário de -R$ 20,5 bilhões ante -R$13,4 bi de agosto. No ano, o governo apresenta um déficit de -R$ 42,491 bi e de -R$ 91,4 em 12 meses, equivalente a +1,29% do PIB.
 
Nos EUA, o núcleo do PCE (Personal Consumption Expenditures Price Index), que é a variação de preços monitorada pelo Fed, cedeu a 1,7% (A/A) em setembro versus 1,8% em agosto, em linha com o consenso de mercado.
 
Câmbio e CDS.
 
A divisa norte-americana findou cotada em alta frente ao real, acompanhando a alta do dólar no exterior, devido a algumas incertezas elencadas sobre as negociações comerciais entre EUA e China.
 
A moeda fechou cotada a R$ 4,0090 (+0,55%), acumulando +0,02% na semana, -3,51% no mês, +3,46% no ano e +7,54% em 12 meses.
 
Risco País
 
O risco-país medido pelo CDS Brasil 5 anos passou a 120 pts de 118 pts anterior.
 
Juros
 
Os juros futuros encerraram a sessão regular em alta nos contratos de curto e médio prazo – com destaque positivo para os vencimentos intermediários – mas, com viés de baixa para os vértices de mais longo prazo. Refletindo os ajustes do mercado perante o comunicado do Copom da véspera, houve reajustes de posicionamentos e realizações de lucros das recentes baixas.
 
Em relação ao pregão anterior, assim fecharam os contratos: DI janeiro/2020 em 4,76% de 4,74%; DI janeiro/2021 em 4,49% de 4,35%; DI janeiro/2023 em 5,41% de 5,35%; DI janeiro/2025 em 6,03% de 6,03%; DI janeiro/2027 em 6,39% de 6,43%.
 
Agenda.
 
Brasil: Produção industrial, PMI Manufatura, Balança comercial mensal;
 
EUA: Payroll, Taxa de desemprego, PMI Manufatura, Manufaturados ISM.
 
Confira no anex a íntegra do relatório sobre o comportamento do mercado na 5ª feira, 31.10.2019, elaborado por HAMILTON MOREIRAL ALVES CNPI-T, integrante do BB Investimentos    

Clique aqui para acessar o aquivo PDF

Fonte: HAMILTON MOREIRA ALVES, do BB Investimentos





Indique a um amigo     Imprimir     Comentar notícia

>> Últimos comentários

NOTÍCIAS DA FRANQUEADORA E EMPRESAS DO SEGMENTO


  Outras notícias.
O MERCADO, 12.11: Ibovespa cai 1,49% a 106.751 pts. Dólar sobe a R$ 4,116 13/11/2019
O MERCADO, 12.11: Ibovespa cai 1,49% a 106.751 pts. Dólar sobe a R$ 4,116
 
O MERCADO, 11.11: Ibovespa sobe 0,69% a 108.367 pts. Dólar cai a R$ 4,142 12/11/2019
O MERCADO, 11.11: Ibovespa sobe 0,69% a 108.367 pts. Dólar cai a R$ 4,142
 
SANTANDER BRASIL  Resultados no 3º trimestre/2019: NEGATIVOS 09/11/2019
SANTANDER BRASIL Resultados no 3º trimestre/2019: NEGATIVOS
 
BRF  Resutados no 3º trimestre de 2019: POSITIVOS 09/11/2019
BRF Resutados no 3º trimestre de 2019: POSITIVOS
 
O MERCADO, 07.11: Ibovespa sobe 1,13% a 109.580 pts. Dólar a R$ 4,0920 (+0,24%) 08/11/2019
O MERCADO, 07.11: Ibovespa sobe 1,13% a 109.580 pts. Dólar a R$ 4,0920 (+0,24%)
 
O MERCADO, 06.11: Ibovespa  estável em 108.719. Dólar cai a R$ 3,993 06/11/2019
O MERCADO, 06.11: Ibovespa estável em 108.719. Dólar cai a R$ 3,993
 
O MERCADO, 05.11: Ibovespa  estável em 108.719. Dólar cai a R$ 3,993 06/11/2019
O MERCADO, 05.11: Ibovespa estável em 108.719. Dólar cai a R$ 3,993
 
USIMINAS Resultado no 3º trimestre/2019: NEGATIVO. 05/11/2019
USIMINAS Resultado no 3º trimestre/2019: NEGATIVO.
 
O MERCADO, 04.11: Ibovespa sobe 0,54% a 108.779 pts. Dólar sobe a R$ 4,011 05/11/2019
O MERCADO, 04.11: Ibovespa sobe 0,54% a 108.779 pts. Dólar sobe a R$ 4,011
 
DIRECIONAL Resultados no 3º trimestre/2019: Positivos, novamente. 01/11/2019
DIRECIONAL Resultados no 3º trimestre/2019: Positivos, novamente.
 
Escolha do Editor
Curtas & Palpites