Home   |   Expediente   |   Publicidade   |   Cadastre-se   |   Fale Conosco             

Investimentos

06 de Novembro de 2019 as 23:11:01



O MERCADO, 06.11: Ibovespa estável em 108.719. Dólar cai a R$ 3,993



Diário do Mercado na 4ª feira, 06.11.2019
 
Ibovespa: instável inicialmente e realizando lucros depois 
 
Comentário.
 
O índice brasileiro teve uma manhã volátil, por conta do leilão de cessão onerosa. Já na parte da tarde, sem novas notícias, começou acompanhando a trajetória dos índice S&P500, mas acabou sofrendo mais realizações nas duas horas finais de negociação.
 
Internamente, houve comentários no mercado que o leilão de cessão onerosa teria sido favorável para a Petrobras. Ademais, mesmo sem dois campos dos quatro oferecidos tendo ofertas, o leilão alcançou R$ 69,96 bilhões dos R$ 106,6 bilhões previstos. A participação estrangeira ficou aquém do que os agentes estimaram anteriormente, havendo entrada de duas companhias chinesas (CNOOC e CNODC) na casa dos R$ 6 bilhões, com a petroleira brasileira entrando com R$ 63,14 bilhões.
 
Externamente, os índices acionários de Nova York encerraram com sinais divergentes, não distantes da estabilidade, sem ímpeto para renovar os recentes recordes históricos, enquanto os agentes aguardam mais informações do acordo comercial entre Estados Unidos e China.
 
No Brasil, o dólar comercial fechou cotado a R$ 4,0820 (+2,23%). Os juros futuros curtos ficaram quase estáveis, mas subiram com firmeza dos vencimentos intermediários em diante. 
 
Ibovespa.
 
O índice, da mesma forma que na véspera, oscilou na abertura, mas, após às 13h não mais conseguiu se recuperar e seguiu operando e terminando em baixa. As blue chips do setor de bancos, a Petrobras e a Vale pesaram sobre o índice, com a JBS sendo a maior baixa do dia.
 
O Ibovespa fechou aos 108.360 pts (-0,33%), acumulando +0,15% na semana, +1,06% no mês, +23,29% no ano e +22,21% em 12 meses. O vigoroso giro financeiro preliminar da Bovespa foi de R$ 20,4 bilhões, sendo R$ 18,2 bilhões no mercado à vista.
 
Capitais Externos na B3
 
No dia 4 de novembro (último dado disponível), o ingresso líquido de capital estrangeiro foi de R$ 207,104 milhões na Bovespa, com a entrada líquida indo a R$ 366,744 milhões em novembro. Em 2019, o saldo negativo líquido acumulado passou -R$ 30,037 bilhões.
 
Agenda Econômica. 
 
No Brasil, a Anfavea divulgou dados de veículos. A produção subiu para 288.512 unidades (+16,6%) em outubro versus 247.455 em setembro. As vendas aumentaram para 253.361 unidades (+7,9%) ante 234.848 em setembro. As exportações recuaram para 29.964 unidades (-18,2%) frente a 36.640 em setembro.  
 
Nos EUA, na prévia do 3T19, a produtividade recuou -0,3% versus +2,5% (revisto de +92,3%) no 2T19 – superior ao consenso, em +0,9%. Já o custo de mão de obra 3T19 subiu +3,6% contra + 2,4% (revisado de +2,6%) no 2T19 – acima do consenso, em +2,2%.  
 
Câmbio e CDS.
 
A divisa norte-americana chegou a operar em baixa pela manhã. Todavia, após às 11h, com a percepção dos agentes que o leilão da cessão onerosa não traria os recursos estimados do exterior, avançou rapidamente.
 
A moeda fechou cotada a R$ 4,0820 (+2,23%), acumulando +2,20% na semana, +1,74% no mês, +5,34% no ano e +8,59% em 12 meses.
 
Risco País
 
O risco-país medido pelo CDS Brasil 5 anos subiu a 119 pts ante 116 na véspera.  
 
Juros.
 
Os juros futuros curtos terminaram com sinais opostos, mas não distantes da estabilidade. Já dos contratos intermediários em diante, avançaram com firmeza, acompanhando a tendência de alta do dólar no dia.
 
Em relação ao pregão anterior, assim fecharam os contratos: DI janeiro/2020 em 4,75%; DI janeiro/2021 em 4,49%; DI janeiro/2022 em 5,04% de 5,00%; DI janeiro/2023 em 5,57% de 5,47%; DI janeiro/2025 em 6,14% de 6,02%; DI janeiro/2027 em 6,47% de 6,34%.
 
Agenda.
 
Brasil: IGP-DI, IPCA;
 
EUA: Crédito ao consumidor, Estoques e Vendas no atacado, Índice de confiança do consumidor da Univ. de Michigan;
 
Alemanha e França: Produção Industrial;
 
Reino Unido: Taxa de juros (BoE);
 
China: Reservas estrangeiras, Balança comercial, IPC, IPP.
 
Confira no anexo a íntegra do relatório sobre o comportamento do mercado em 06.11.2019, elaborado por HAMILTON MOREIRA ALVES, CNPI-T, integrante do BB Investimentos

Clique aqui para acessar o aquivo PDF

Fonte: HAMILTON MOREIRA ALVES, CNPI-T, integrante do BB Investimentos





Indique a um amigo     Imprimir     Comentar notícia

>> Últimos comentários

NOTÍCIAS DA FRANQUEADORA E EMPRESAS DO SEGMENTO


  Outras notícias.
O MERCADO, 12.11: Ibovespa cai 1,49% a 106.751 pts. Dólar sobe a R$ 4,116 13/11/2019
O MERCADO, 12.11: Ibovespa cai 1,49% a 106.751 pts. Dólar sobe a R$ 4,116
 
O MERCADO, 11.11: Ibovespa sobe 0,69% a 108.367 pts. Dólar cai a R$ 4,142 12/11/2019
O MERCADO, 11.11: Ibovespa sobe 0,69% a 108.367 pts. Dólar cai a R$ 4,142
 
SANTANDER BRASIL  Resultados no 3º trimestre/2019: NEGATIVOS 09/11/2019
SANTANDER BRASIL Resultados no 3º trimestre/2019: NEGATIVOS
 
BRF  Resutados no 3º trimestre de 2019: POSITIVOS 09/11/2019
BRF Resutados no 3º trimestre de 2019: POSITIVOS
 
O MERCADO, 07.11: Ibovespa sobe 1,13% a 109.580 pts. Dólar a R$ 4,0920 (+0,24%) 08/11/2019
O MERCADO, 07.11: Ibovespa sobe 1,13% a 109.580 pts. Dólar a R$ 4,0920 (+0,24%)
 
O MERCADO, 06.11: Ibovespa  estável em 108.719. Dólar cai a R$ 3,993 06/11/2019
O MERCADO, 06.11: Ibovespa estável em 108.719. Dólar cai a R$ 3,993
 
O MERCADO, 05.11: Ibovespa  estável em 108.719. Dólar cai a R$ 3,993 06/11/2019
O MERCADO, 05.11: Ibovespa estável em 108.719. Dólar cai a R$ 3,993
 
USIMINAS Resultado no 3º trimestre/2019: NEGATIVO. 05/11/2019
USIMINAS Resultado no 3º trimestre/2019: NEGATIVO.
 
O MERCADO, 04.11: Ibovespa sobe 0,54% a 108.779 pts. Dólar sobe a R$ 4,011 05/11/2019
O MERCADO, 04.11: Ibovespa sobe 0,54% a 108.779 pts. Dólar sobe a R$ 4,011
 
DIRECIONAL Resultados no 3º trimestre/2019: Positivos, novamente. 01/11/2019
DIRECIONAL Resultados no 3º trimestre/2019: Positivos, novamente.
 
Escolha do Editor
Curtas & Palpites