Home   |   Expediente   |   Publicidade   |   Cadastre-se   |   Fale Conosco             

Economia e Finanças

28 de Janeiro de 2020 as 16:01:01



DÍVIDA PÚBLICA cresce quase 10% no 1º ano de Bolsonaro



Ao contrário do propalado controle financeiro e gestão competente da economia pelo 'posto ipiranga', a Dívida Pública cresceu como em nenhum momento nos últimos 20 anos 
 
A Dívida Pública Federal – que inclui o endividamento interno e externo do Brasil – fechou 2019 em R$ 4,249 trilhões, informou a STN Secretaria do Tesouro Nacional, do Ministério da Economia, nesta 3ª feira, 28.01.
 
O valor representou aumento de 9,59% em relação a 2018, quando a dívida era de R$ 3,877 trilhões.
 
Apesar do aumento, foi cumprido o Plano Anual de Financiamento (PAF) de 2019, que estabelece que a dívida pública poderia fechar o ano passado entre R$ 4,1 trilhões e R$ 4,3 trilhões.
 
A Dívida Pública Mobiliária Federal interna (DPMFi), que é a parte da dívida pública no mercado interno, teve o estoque ampliado em 1,22% em dezembro, passando de R$ 4,034 trilhões para R$ 4,083 trilhões.
 
Esse crescimento da dívida ocorreu por causa da apropriação positiva de juros, no valor de R$ 30,26 bilhões (quando os juros da dívida são incorporados ao total mês a mês), e pela emissão líquida de R$ 19,07 bilhões (quando o Tesouro emitiu mais títulos do que resgatou).
 
O estoque da Dívida Pública Federal Externa (DPFe), captada do mercado internacional, caiu 3,4%, encerrando dezembro em R$ 165,68 bilhões, ou US$ 41,10 bilhões, sendo R$ 150,37 bilhões (US$ 41,1 bilhões) referentes à dívida mobiliária (em títulos no mercado internacional) e R$ 15,31 bilhões (US$ 3,8 bilhões), à dívida contratual (com bancos e organismos internacionais).
 
A variação do endividamento do Tesouro pode ocorrer por meio da oferta de títulos públicos em leilões pela internet (Tesouro Direto) ou pela emissão direta. Além disso, pode ocorrer assinatura de contratos de empréstimo para o Tesouro, tomado de uma instituição ou de um banco de fomento, destinado a financiar o desenvolvimento de uma determinada região. A redução do endividamento se dá, por exemplo, pelo resgate de títulos.
 
Em dezembro, os maiores detentores da dívida pública eram os fundos de investimentos (26,68%). O estoque desse grupo passou de R$ 1,065 trilhão para R$ 1,089 trilhão de novembro para dezembro.
 
Em seguida, estão os fundos de Previdência, com uma fatia de 24,89%; as instituições financeiras, com 24,69%; os investidores estrangeiros (10,43%); o governo (3,97%); as seguradoras (3,94%) e outros (5,41%).


Fonte: AGENCIA BRASIL. Chamada de Capa e subtítulo da Redação JF

 
Indique a um amigo     Imprimir     Comentar notícia

>> Últimos comentários

NOTÍCIAS DA FRANQUEADORA E EMPRESAS DO SEGMENTO


  Outras notícias.
CARNAVAL - Bancos fecham na 2ª e 3ª feira de Carnaval 21/02/2020
CARNAVAL - Bancos fecham na 2ª e 3ª feira de Carnaval
 
CONTAS EXTERNAS - Déficit de US$ 11,8 bi em janeiro, segundo o BC 21/02/2020
CONTAS EXTERNAS - Déficit de US$ 11,8 bi em janeiro, segundo o BC
 
OURO bate recorde diante do medo do Coronavírus 21/02/2020
OURO bate recorde diante do medo do Coronavírus
 
MEGA-SENA acumula e próximo concurso deve pagar R$ 190 MI 20/02/2020
MEGA-SENA acumula e próximo concurso deve pagar R$ 190 MI
 
BACEN testa Novo Sistema de Pagamentos Instantâneo entre bancos diferentes 21/02/2020
BACEN testa Novo Sistema de Pagamentos Instantâneo entre bancos diferentes
 
VALE tem Prejuízo de US$ 1,6 bi em 2019 21/02/2020
VALE tem Prejuízo de US$ 1,6 bi em 2019
 
IMPOSTO DE RENDA Aposentados podem acessar extrato no Portal Meu INSS 19/02/2020
IMPOSTO DE RENDA Aposentados podem acessar extrato no Portal Meu INSS
 
O MERCADO, 18.02: IBOVESPA cai 0,29% a 114.997 pts DÓLAR sobe a R$ 4,357 18/02/2020
O MERCADO, 18.02: IBOVESPA cai 0,29% a 114.997 pts DÓLAR sobe a R$ 4,357
 
RECEITA paga Restituição do Lote Residual do IRPF de 2008 a 2019 17/02/2020
RECEITA paga Restituição do Lote Residual do IRPF de 2008 a 2019
 
DESVALORIZAÇÃO DO REAL põe em Risco Competitividade da Argentina 16/02/2020
DESVALORIZAÇÃO DO REAL põe em Risco Competitividade da Argentina
 
Escolha do Editor
Curtas & Palpites