Home   |   Expediente   |   Publicidade   |   Cadastre-se   |   Fale Conosco             

Internacional

15 de Maio de 2020 as 01:05:14



TRUMP: "Cortaremos todo o relacionamento com a China"



Em entrevista à FoxNews, Donald Trump lança ataques à China, ao ponto de aventar rompimento de relações, para fortalecer-se junto ao seu eleitorado, com olhos nas eleições presidenciais de novembro próximo, em busca de atenuar os impactos negativos do negacionismo e inoperância face à pandemia e do desemprego crescente que está, em números oficiais, em 14%, mas que extraoficialmente poderá já estar superando 25%.
 
O presidente Donald Trump acusou o governo chinês de manipulação, no caso da pandemina do Coronavirus. A ameaça de Trump de "cortar todo o relacionamento" com a China é consistente com uma nova política de linha dura de seu governo.
 
"Estou muito decepcionado com a China"
 
Trump disse durante uma entrevista à Fox Business Network nesta 5ª feira, 14.05. 
 
"Pedimos que repassássemos e eles disseram que não", 
 
continuou ele, referindo-se à oferta de assistência dos Centros para Controle e Prevenção de Doenças de fevereiro à cidade de Wuhan, atingida pelo vírus.
 
“Eles não queriam nossa ajuda. E achei que tudo bem, porque eles devem saber o que estão fazendo. Então era estupidez, incompetência ou deliberação ".
 
Quando perguntado sobre qual ação ele tomaria contra a China, Trump respondeu: 
 
"Há muitas coisas que poderíamos fazer. Poderíamos interromper todo o relacionamento". 
 
Citando o déficit comercial dos EUA com a China, Trump disse que o rompimento dos laços diplomáticos com Pequim "economizaria US$ 500 bilhões".
 
O Partido Republicano está apostando em culpar a China pelo surto de coronavírus. De acordo com um memorando de estratégia divulgado no mês passado, as campanhas do Partido Republicano nos EUA deveriam "atacar a China" e pintar seus rivais democratas como "fracos" na superpotência do leste asiático. Como tal, as mensagens de Trump são perfeitamente de marca e lembram seus frequentes ataques à China durante sua campanha de 2016.
 
No entanto, dois dias antes do presidente falar sobre a Fox, os importadores chineses compraram quase 250.000 toneladas de soja nos EUA, nos termos de um acordo comercial da Fase Um assinado em janeiro. Pelo acordo, a China prometeu comprar pelo menos US$ 200 bilhões em produtos norte-americanos nos próximos dois anos, em troca de um relaxamento das tarifas das exportações chinesas para os EUA.
 
Quando o acordo foi assinado, Trump elogiou esses compromissos de compra como "uma vitória sólida para nossos agricultores e fabricantes".
 
Diante da circunstância de as autoridades chinesas considerarem desistir do acordo e negociar um novo, Trump reiterou na 5ª feira que não renegociaria o acordo.
 
Apesar de difícil, o relacionamento, ainda deve permanecer por enquanto.
 
Mas a última declaração de Trump é um dos muitos sinais de que as tensões entre Washington e Pequim podem não diminuir por algum tempo ainda. Um projeto de lei apresentado pela senadora republicana Lindsey Graham nesta semana exigirá que a China cumpra as investigações norte-americanas e internacionais sobre a origem do coronavírus e autorizaria sanções se Pequim recusasse. Isso está no topo de uma série de ações contra a China movidas por legisladores republicanos e procuradores-gerais.
 
Além disso, o governo Trump nesta semana cortou os laços de investimento entre fundos federais de aposentadoria e ações chinesas, chamando o envolvimento dos EUA em ações chinesas um risco à segurança nacional.
 
Na frente diplomática, o secretário de Estado Mike Pompeo insistiu que os EUA têm "evidências significativas" de que o vírus se originou em um laboratório de Wuhan. Pompeo não forneceu a "enorme evidência" que ele afirma possuir, mas Trump está pelo menos entretendo a teoria.
 
"Temos muita informação, e isso não é bom. Se veio do laboratório ou dos morcegos, tudo veio da China e eles deveriam ter parado. Eles poderiam ter parado na fonte",
 
ele disse durante a entrevista da Fox.
 
A China, por sua vez, rejeitou a retórica rígida vinda de Washington. Respondendo aos processos republicanos, o Global Times alertou na quinta-feira que Pequim retaliará com "contramedidas que podem fazê-los sentir a dor".
 


Fonte: WWW.RT.COM - Tradução e Subtítulo da Redação JF





Indique a um amigo     Imprimir     Comentar notícia

>> Últimos comentários

NOTÍCIAS DA FRANQUEADORA E EMPRESAS DO SEGMENTO


  Outras notícias.
TRUMP: 06/06/2020
TRUMP: "Se tivessemos feito [como o Brasil] teríamos perdido .. até 2 milhões de vidas"
 
ROGER WALTERS pede Protestos Pacíficos: 02/06/2020
ROGER WALTERS pede Protestos Pacíficos: "Motins apenas ajudam Trump"
 
VENEZUELA anuncia chegada do 5º e Último Petroleiro com gasolina do Irã 01/06/2020
VENEZUELA anuncia chegada do 5º e Último Petroleiro com gasolina do Irã
 
NOVA IORQUE sob Toque de Recolher para Coibir Manifestações contra Racismo 01/06/2020
NOVA IORQUE sob Toque de Recolher para Coibir Manifestações contra Racismo
 
EUA Trump diz a Governadores para 'Dominar' os Manifestantes 01/06/2020
EUA Trump diz a Governadores para 'Dominar' os Manifestantes
 
CRISE INEVITÁVEL: Economia dos EUA em Queda Livre 31/05/2020
CRISE INEVITÁVEL: Economia dos EUA em Queda Livre
 
EUA solicitam Guarda Nacional para conter protestos em Minneapolis 31/05/2020
EUA solicitam Guarda Nacional para conter protestos em Minneapolis"
 
ESPANHA defende Regras Comuns para Circulação de Pessoas pela UE 27/05/2020
ESPANHA defende Regras Comuns para Circulação de Pessoas pela UE
 
ESPANHA amplia relaxamento e quer volta de turistas em julho 25/05/2020
ESPANHA amplia relaxamento e quer volta de turistas em julho
 
EUA têm 98 mil mortos por COVID-19 26/05/2020
EUA têm 98 mil mortos por COVID-19
 
Escolha do Editor
Curtas & Palpites