Home   |   Expediente   |   Publicidade   |   Cadastre-se   |   Fale Conosco             

Investimentos

02 de Junho de 2020 as 22:06:44



EMBRAER Resultado no 1º trimestre/2020 Queda nas Entregas, Desafios



EMBRAER - Resultado no 1º trimestre/2020
 
Queda nas entregas e aumento de provisões sinalizam os desafios à frente
 
A Embraer apresentou resultado fraco no 1T20.  Em função dos esforços de separação da divisão de aviação comercial da parceria com a Boeing, posteriormente cancelada, o volume de entregas foi impactado no primeiro mês do ano em que não houve entregas.
 
Com efeito, foram entregues apenas cinco aeronaves comerciais neste trimestre, ante onze no 1T19, enquanto no segmento de aviação executiva foram entregues nove jatos (cinco jatos leves e quatro jatos grandes), ante onze no 1T19 (oito jatos leves e três jatos grandes).
 
Vale ressaltar que o primeiro trimestre do ano é o período mais fraco em comparação aos demais trimestres, o que corroborou para a apresentação de um resultado negativo.
 
Com isso, a receita líquida apresentou queda de 8% a/a em reais e de 23% a/a em dólares. A carteira de pedidos firmes da Embraer encerrou o 1T20 em US$ 15,9 bilhões, ante US$ 16,8 bilhões no 4T19.
 
Ainda que o volume de entregas tenha sido fraco, o mix de entregas no segmento de jatos executivos foi mais favorável, em função da maior quantidade de jatos grandes, contribuindo para uma receita de US$ 130 milhões neste trimestre (+11,1% a/a).
 
Por outro lado, a receita na divisão de aviação comercial apresentou uma queda de 50,2% a/a e atingiu US$ 140 milhões, enquanto o segmento de defesa e segurança reportou receita líquida de US$ 149 milhões (-16,8% a/a) e a divisão de serviços e suporte uma receita de US$ 213 milhões (-12,7% a/a).  
 
Em função dos impactos da crise do Covid-19, foram realizados os seguintes ajustes contábeis:
 
(i)   marcação a mercado nas ações da Republic Airways Holdings no valor de R$ 108,6 milhões e
(ii)  R$ 163,1 milhões em provisão para devedores duvidosos (PDD).
 
Com efeito, o EBIT no 1T20 veio negativo em R$ 209,1 milhões (ante R$ -53,7 milhões no 1T19) com a margem EBIT em -7,3%.
 
Desconsiderando os itens não recorrentes, o EBIT ajustado foi de R$ 62,6 milhões, correspondendo a 2,2% de margem.
 
No 1T20, a Embraer apresentou prejuízo líquido de R$ 1,2 bilhão, com impacto relevante em impostos diferidos e itens especiais. Excluídos os esses impactos, o prejuízo ajustado atingiu R$ 433,6 milhões, enquanto o prejuízo líquido ajustado no 1T19 foi de R$ 229,9.
 
Devido ao menor resultado líquido do período, combinado aos investimentos adicionais em capital de giro, a dívida líquida aumentou em R$ 2,6 bilhões na comparação anual, atingindo R$ 6,9 bilhões no 1T20, ante R$ 4,3 bilhões no 1T19.
 
A dívida total da Embraer, por sua vez, aumentou R$ 6,2 bilhões em relação ao 4T19 e totalizou R$ 19,9 bilhões, sendo R$ 16,4 bilhões de longo prazo. Com relação ao perfil de endividamento, a Embraer encerrou o 1T20 com alavancagem de 19,3x dívida líquida sobre o EBITDA versus 4,5x no 1T19.
 
Perspectivas.
 
Ainda que uma possível proposta de parceria possa evoluir nos próximos meses, em nossa opinião, a Embraer vai enfrentar desafios com possíveis postergações e/ou cancelamentos de pedidos de seus clientes, considerando o cenário da indústria aérea mundial frente a crise do Covid-19.
 
Dessa forma, permanecemos sem visibilidade na retomada da carteira de pedidos (Backlog) nos próximos trimestres, e mantivemos nossa recomendação como Neutra e alteramos o preço alvo para o final de 2020 de R$ 22,50 para R$14,00.
 
Confira no anexo a íntegra do relatório de análise do desempenho da EMBRAER no 1º trimestre/2020, elaborado por RENATO HALLGREN, CNPI, Analista, integrante do BB Investimentos

Clique aqui para acessar o aquivo PDF

Fonte: RENATO HALLGREN, CNPI, Analista, integrante do BB Investimentos





Indique a um amigo     Imprimir     Comentar notícia

>> Últimos comentários

NOTÍCIAS DA FRANQUEADORA E EMPRESAS DO SEGMENTO


  Outras notícias.
O MERCADO, 03.07: IBOVESPA sobe 0,55% a 96.875 pontos  DÓLAR, a R$ 5,3159 04/07/2020
O MERCADO, 03.07: IBOVESPA sobe 0,55% a 96.875 pontos DÓLAR, a R$ 5,3159
 
GUIA DE AÇÕES, 02.07: VEJA AQUI AS COTAÇÕES Avalie se convém investir 03/07/2020
GUIA DE AÇÕES, 02.07: VEJA AQUI AS COTAÇÕES Avalie se convém investir
 
O MERCADO, 02.07: IBOVESPA estável em 96.234 pontos; DÓLAR sobe a R$ 5,3488 03/07/2020
O MERCADO, 02.07: IBOVESPA estável em 96.234 pontos; DÓLAR sobe a R$ 5,3488
 
BB emprestará R$ 3,7 bi a Pequenas Empresas afetadas por Pandemia 02/07/2020
BB emprestará R$ 3,7 bi a Pequenas Empresas afetadas por Pandemia
 
O MERCADO, 01.07: IBOVESPA sobe 1,21% a 96.203 pts; DÓLAR cai a R$ 5,3105 02/07/2020
O MERCADO, 01.07: IBOVESPA sobe 1,21% a 96.203 pts; DÓLAR cai a R$ 5,3105
 
GUIA DE AÇÕES, 29.06: VEJA AQUI AS COTAÇÕES Avalie se convém investir 29/06/2020
GUIA DE AÇÕES, 29.06: VEJA AQUI AS COTAÇÕES Avalie se convém investir
 
O MERCADO, 29.06: IBOVESPA acompanhou alta em NY; DÓLAR caiu a R$ 5,426 29/06/2020
O MERCADO, 29.06: IBOVESPA acompanhou alta em NY; DÓLAR caiu a R$ 5,426
 
MARKET UPDATE SEMANAL Índice de Reabertura Econômica e Índices: 20 a 26.06 27/06/2020
MARKET UPDATE SEMANAL Índice de Reabertura Econômica e Índices: 20 a 26.06
 
GUIA DE AÇÕES, 26.06: VEJA AQUI AS COTAÇÕES Avalie se convém investir 26/06/2020
GUIA DE AÇÕES, 26.06: VEJA AQUI AS COTAÇÕES Avalie se convém investir
 
O MERCADO, 26.06: IBOVESPA cai 2,24% a 93.834 pts. DÓLAR sobe a R$ 5,460 26/06/2020
O MERCADO, 26.06: IBOVESPA cai 2,24% a 93.834 pts. DÓLAR sobe a R$ 5,460
 
Escolha do Editor
Curtas & Palpites