Home   |   Expediente   |   Publicidade   |   Cadastre-se   |   Fale Conosco             

Investimentos

06 de Novembro de 2020 as 00:11:27



OS MERCADOS FECHAMENTO em 05.11.2020: Euforia de Olho no Eleição Americana



CONEXÃO MERCADO – FECHAMENTO em 05.11.2020
 
Roger Marçal – Gerente
Eduardo Toneto do Livramento
Elifrancis Braga Almeida
do BB DIMEF Cenários Financeiros
MERCADO EXTERNO
 
Mercados terminam mais um dia em euforia de olho na eleição americana e FOMC dovish
 
►  No exterior, os mercados fecharam o dia em forte apetite por ativos de risco, seguindo o panorama eleitoral americano e sinais de que o Fed pode conceder mais estímulos no futuro próximo.
 
►  Em relação à eleição americana, após vencer em Michigan e Wisconsin, Joe Biden está mais perto de se tornar o 46º presidente dos EUA, faltando apenas 6 delegados para alcançar os 270 necessários. Estados como Nevada, Geórgia, Carolina do Norte, Pensilvânia e Arizona ainda seguem sem definição.
 
►  Powell afirmou que alguns setores terão dificuldades de se recuperar até que uma vacina esteja pronta, mas ressaltou que o Fed está fortemente comprometido em utilizar todas as suas ferramentas para fortalecer a economia americana, inclusive com novos afrouxamentos quantitativos. No mais, destacou que o Fed não irá financiar diretamente a expansão fiscal do governo, mas ressaltou a importância do apoio fiscal que, segundo ele, pode fazer o que a política monetária não consegue, como substituir a renda perdida.
 
►  FOMC decidiu manter a atual estratégia de política monetária inalterada, com juros na faixa entre 0,0% e 0,25%. Em seu comunicado, destacou que os juros continuarão acomodatícios até que o mercado de trabalho se aproxime do pleno emprego e a inflação caminhe para ficar moderadamente acima de 2% por algum tempo para que se atinja a média de 2%.
 
►  Bolsas: As bolsas em NY deram continuação ao rally de alta, acompanhando as eleições americanas e a possibilidade de mais estímulos tanto fiscais quanto monetários, como defendidos por Powell.
 
►  Juros: As yields dos treasuries terminaram mistos, relativamente estáveis, com investidores digerindo o posicionamento do FOMC, falas de Powell e os fortes movimentos desta semana.
 
►  Câmbio: Dólar cedeu perante seus pares principais, diante do posicionamento dovish do Fed e Powell, além da expectativa de que uma eventual vitória de Biden signifique maiores gastos fiscais.
 
MERCADO INTERNO
 
Mercados operaram embalados pelo bom humor externo, com foco ainda nas eleições americanas, sem perder de vista as questões locais.
 
► No Brasil, os mercados operaram embalados pelo bom humor externo, com foco
ainda nas eleições americanas, Fed dovish, discurso de Powell por mais apoio fiscal e monetário, sem perder de vista as discussões em torno da agenda econômica.
 
► Guedes se reuniu hoje com os líderes do governo para traçar um esforço concentrado no Congresso, após o 1º turno das eleições municipais. A ideia é avançar com a agenda econômica e retomar projetos de corte de gastos, como as PEC Emergencial e o Pacto Federativo. Outros projetos também entraram na lista de prioridades como a autonomia do Banco Central (BC), já aprovada no Senado, o marco regulatório do gás, a lei de falências e de cabotagem. Já as reformas administrativa e tributária  ficarão mesmo para 2021.
 
► Campos Neto, presidente do BC, comentou em evento virtual hoje que é preciso
manter o teto de gastos e a trajetória sustentável da dívida para sustentar o forward guidance. Salientou ainda que o projeto de autonomia do BC, aprovado no Senado, está bem encaminhado na Câmara.
 
► Dólar: fechou em queda firme frente ao real, ficando no patamar em torno de R$
5,55, em linha com o movimento das demais moedas emergentes (propensão ao
risco no exterior + Fed dovish) + desfazimento de posições de hedge cambial.
 
► Juros: devolveram prêmios de risco em todos os prazos, diante da queda do dólar + bom humor externo + leilão bem sucedido do Tesouro (volume maior de NTN-F longa).
 
► Ibovespa: fechou em alta acentuada, em linha com os pares globais, ficando no
nível dos 100 mil pts. Destaque para alta do setor financeiro, Petrobras, Vale, Eletrobrás e varejistas.
 
Confira no anexo a íntegra do relatório a respeito, elaborado por Roger Marçal,Gerente, Eduardo Toneto do Livramento e Elifrancis Braga Almeida, do BB DIMEF Cenários Financeiros

Clique aqui para acessar o aquivo PDF

Fonte: Roger Marçal,Gerente, Eduardo Toneto do Livramento e Elifrancis Braga Almeida, do BB DIMEF Cenários Financeiros





Indique a um amigo     Imprimir     Comentar notícia

>> Últimos comentários

NOTÍCIAS DA FRANQUEADORA E EMPRESAS DO SEGMENTO


  Outras notícias.
PETROBRAS obtém Lucro de mais de R$ 1 bilhão no 1º trimestre/2021 13/05/2021
PETROBRAS obtém Lucro de mais de R$ 1 bilhão no 1º trimestre/2021
 
JBS - Resultado no 1º Trimestre/2021  ROBUSTOS 13/05/2021
JBS - Resultado no 1º Trimestre/2021 ROBUSTOS
 
BR Distribuidora | ESG - Resultado no 1º trimestre/2021; Rentabilidade em Alta 13/05/2021
BR Distribuidora | ESG - Resultado no 1º trimestre/2021; Rentabilidade em Alta
 
BTG PACTUAL Resultado no 1º trimestre /2021: Crescimento com Rentabilidade 12/05/2021
BTG PACTUAL Resultado no 1º trimestre /2021: Crescimento com Rentabilidade
 
RAIA DROGASIL - Resultado no 1º Trimestre/2021:  POSITIVO 12/05/2021
RAIA DROGASIL - Resultado no 1º Trimestre/2021: POSITIVO
 
MARFRIG - Resultado no 1º trimestre/2021 - SÓLIDOS 12/05/2021
MARFRIG - Resultado no 1º trimestre/2021 - SÓLIDOS
 
KLABIN | ESG - Resultado no 1º Trimestre/2021: Crescimento. 12/05/2021
KLABIN | ESG - Resultado no 1º Trimestre/2021: Crescimento.
 
AMBEV - Resultado no 1º Trimestre/2021  Resultados Melhores 08/05/2021
AMBEV - Resultado no 1º Trimestre/2021 Resultados Melhores
 
AZUL - Resultado no 1º trimestre/2021:  NEUTRO 08/05/2021
AZUL - Resultado no 1º trimestre/2021: NEUTRO
 
BRADESCO | ESG - Resultado no 1º trimestre/2021: Lucro Líquido de R$ 6,5 BI 08/05/2021
BRADESCO | ESG - Resultado no 1º trimestre/2021: Lucro Líquido de R$ 6,5 BI
 
Escolha do Editor
Curtas & Palpites