Home   |   Expediente   |   Publicidade   |   Cadastre-se   |   Fale Conosco             

Investimentos

Quinta-Feira, Dia 17 de Dezembro de 2020 as 02:12:45



CAMIL - Início de Cobertura com Recomendação de Compra



CAMIL
 
Início de cobertura com recomendação de Compra e preço-alvo para CAML3 de R$15,50
 
Tese de Investimentos
 
 A demanda por arroz e feijão foi significativamente impulsionada no período da pandemia, dado o maior consumo de alimentos dentro de casa.
 
Adicionalmente, maiores exportações e menor área plantada resultaram na redução da oferta de arroz e, consequentemente, no aumento dos preços do grão.
 
Apesar de acreditarmos na redução dos preços para 2021, eles ainda devem ficar acima da média histórica, motivo pelo qual estimamos margens sólidas perto de dois dígitos para a Camil nos próximos anos. 
 
Assim, considerando essa manutenção da rentabilidade e nossa visão construtiva em relação a sua tese de investimentos, iniciamos a cobertura da Camil com recomendação de Compra e preço-alvo para Dez-21 de R$ 15,5/ação, o que implica em um potencial de valorização de 33%.
 
► A tese de investimentos da Camil é baseada na: 
 
(i)  posição de liderança da companhia, que suporta uma estratégia de precificação bem-sucedida; 
(ii)  diversificação geográfica e ampla plataforma de distribuição, que garante flexibilidade para atender o maior número de clientes em diferentes propostas de valor; 
(ii) no potencial de crescimento via aquisições, tendo em vista o mercado fragmentado; e 
(iv) em seu histórico de integrações bemsucedida.
 
Valuation e riscos
 
Valuation: Nosso preço-alvo de R$ 15,50 deriva do método de desconto de fluxo de caixa de 10 anos, assumindo, em termos nominais: 
 
(i)     custo ponderado de capital (WACC) de 10,6%; 
(ii)    crescimento de 5,0% na perpetuidade; 
(iii)  expansão de receita líquida consolidada considerando apenas crescimento orgânico, principalmente em 2020, devido aos maiores volumes de venda e aumento de preços; 
(iv)  ganho de eficiência resultado de esforços da empresa em controlar custos e despesas que suportam rentabilidade; e 
(v)   um nível confortável de alavancagem financeira, suportando sua estratégia de crescimento.
 
 Principais riscos
 
(i)   aspectos climáticos com impacto adverso na oferta de grãos e dinâmica de preços; 
(ii)  deterioração econômica afetando de forma negativa o consumo; 
(iii) novos entrantes que possam gerar um ambiente competitivo mais acirrado; 
(iv)  dificuldades na integração de ativos que venham a afetar de forma significativa rentabilidade e nível de alavancagem da empresa; e 
(v)   diminuição de benefício fiscal devido a reformas tributárias.
 
3 VALUATION
 
Preço-alvo de R$15,50 para CAML3, com recomendação de Compra | Nosso preço-alvo deriva do método de desconto de fluxo de caixa (DFC) de 10 anos, assumindo WACC de 10,6% e crescimento de 5,0% na perpetuidade.
 
4 Tese de Investimentos – Principais Drivers
 
Posição de Liderança
 
► A Camil é uma das maiores empresas de alimentos da América Latina que agrega valor processando, adicionando marca e distribuindo arroz, feijão, açúcar, embalados e pescados enlatados. Sua posição de liderança e marcas reconhecidas, com preferência do consumidor, favorecem a estratégia de precificação da empresa, que alcança prêmios acima dos preços médios nos mercados de arroz e açúcar.
 
► Vale ainda destacar que sua capacidade de armazenagem permite maior poder de barganha junto a fornecedores, já que a empresa negocia preço somente quanto tiver estabelecido contrato de venda com seu cliente (varejistas e atacadistas), possibilitando assim uma margem bruta mais estável.
 
Distribuição
 
► A plataforma de distribuição da Camil está estrategicamente bem posicionada, ficando os centros de distribuição e unidades fabris próximas aos principais polos de consumo e canais de importação e exportação no Brasil, Uruguai, Chile e Peru.
 
► Assim, a empresa comercializa seus produtos para mais de 20 mil clientes de forma direta, estando presentes em mais de 235 mil pontos de venda de forma indireta (dados Nielsen), além de exportar para mais de 60 países.
 
► Tal capilaridade se torna um diferencial, permitindo maior flexibilidade e eficiência à empresa que, combinados com o amplo portfólio de produtos, proporciona diferentes propostas de valor para os clientes.
 
Poder de Precificação
 
► No ano de 2020, o carro chefe da empresa – o arroz – favoreceu seu resultado, em função da maior demanda, fruto do aumento do consumo dentro de casa, estimulado pelo isolamento social. Além disso, a desvalorização cambial impulsionou as exportações, que também contribuíram para o aumento de preços no mercado doméstico.
 
► A redução da área plantada observada nos últimos anos ainda deve resultar em uma menor oferta de arroz que, somada ao dólar mais forte, deve sustentar os preços no curto prazo, em nossa visão.
 
► Assim, acreditamos que a Camil ainda deve se beneficiar do cenário acima descrito, tendo em vista seu modelo de negócio baseado em um portfólio de marcas fortes, com uma sólida estrutura de distribuição, o que tem possibilitado repasse de custos.
 
Crescimento Inorgânico
 
► A empresa tem grande exposição a mercados ainda em consolidação, o que, em nossa visão, abre um leque de oportunidades para crescimento não apenas orgânico, mas também inorgânico. Nesse sentido, a Camil possui um histórico de aquisições bem sucedidas em termos de ganhos de escala e sinergias.
 
► Após as últimas aquisições, a Camil tem reduzido sua alavancagem, que fechou o 2T20 em 2x, abaixo de sua média histórica de 2,3x. Assim, com uma sólida estrutura financeira e um modelo de negócio mais resiliente, a empresa pode se beneficiar em transações de M&A (fusões e aquisições) no curto prazo, considerando empresas cujo valor de mercado esteja atrativo após a pandemia.
 
5. Tese de Investimentos - Risco
 
Os principais riscos estão relacionados a aspectos ambientais, que podem afetar diretamente a disponibilidade de matéria prima, e econômicos, com impacto no consumo.
 
Aspectos Climáticos
 
► Apesar de ser uma empresa de processamento e de perseguir o aumento de comercialização de produtos de maior valor agregado, a principal matéria prima da Camil é uma commodity, que pode sofrer oscilações de oferta e preço por conta de aspectos climáticos.
 
► Assim, a possível quebra de safra ocasionada por condições climáticas adversas, ou até a decisão dos produtores em diminuir área plantada, podem levar a oferta a uma redução maior do que a esperada, prejudicando a estratégia de crescimento e ganhos de market share (participação de mercado) da empresa no curto prazo.
 
Deterioração Econômica
 
► Aspectos macroeconômicos também podem impactar o desempenho da empresa. O aumento nas taxas de desemprego, a menor disponibilidade de renda, também impulsionada pela provável extinção do auxílio emergencial, e a diminuição da confiança do consumidor, podem afetar diretamente os volumes de venda da empresa.
 
► Além disso, a deterioração fiscal das contas públicas pode ser uma ameaça aos benefícios tributários aos quais a empresa tem direito, por comercializar itens da cesta básica. Nesse sentido, qualquer alteração nas regras que diminuam esses benefícios pode afetar a geração de caixa da empresa
 
Ambiente Competitivo
 
► O setor de alimentos na América do Sul, onde a Camil atua, é bastante fragmentado e, por isso, existe uma competição acirrada com competidores de diferentes portes.
 
► Como o mercado está em processo de consolidação, há chances de entrada de novos competidores, ou mesmo o aumento da competitividade pelos atuais.
 
► Devido à baixa especificidade do negócio, existem poucas barreiras de entrada. Assim, ainda que a Camil apresente certas vantagem competitivas, com portfólio de produtos com marcas fortes, bem como uma robusta estrutura de distribuição, ainda existe o risco de novos entrantes, o que poderia afetar de forma adversa os volumes de venda da empresa, bem como sua participação de mercado.
 
Aquisições Mal Sucedidas
 
A estratégia de expansão da Camil está baseada em crescimento orgânico e inorgânico. Ao longo de sua história, a empresa fez diversas aquisições, o que possibilitou alcançar um amplo portfolio de produtos de diferentes categorias, além da diversificação geográfica de sua indústria.
 
► Assim, elencamos como risco qualquer falha na integração de novos ativos, podendo causar maiores custos e despesas, prejudicando, assim, rentabilidade, geração de caixa e a alavancagem da empresa.
 
► A última aquisição anunciada pela Camil (ainda pendente de aprovação) foi a compra da Pet Food, no Chile, empresa focada em alimentos para animais de estimação.
 
5. Indústria de Arroz – Panorama Global e Brasil
 
A Ásia é a maior região produtora e consumidora de arroz do mundo, enquanto o Brasil segue logo atrás, ficando com o 7º lugar em produção e 8º em consumo. Produção e consumo de arroz são resilientes, o que beneficia o processador.
 
► O arroz é um dos principais produtos da dieta dos asiáticos e também dos brasileiros, sendo relevante para garantir o abastecimento e a segurança alimentar da população.
 
► De acordo com projeções da OECD-FAO, a produção mundial de arroz deve aumentar a uma taxa de crescimento anual composta (CAGR, sigla em inglês) de 1% entre 2019-2028. Assim, como o consumo de arroz também deve crescer, principalmente nos países emergentes, a uma taxa de 1,1%, os processadores e comercializadores devem manter sua capacidade de repassar variações de preços da matéria prima aos consumidores finais.
 
► A menor disponibilidade do grão e o aumento da demanda, principalmente na África, tem impulsionado os preços internacionais (índices de preço FAO), que aumentaram em 8% a/a em 2020. No Brasil, os mesmos motivos, somados à forte exportação e ao elevado consumo interno, também levaram preços (FAO) a um aumento de 14% a/a.
 
5. Indústria de Arroz – Panorama Peru, Chile e Uruguai
 
O Peru é o país que apresenta maior consumo per capita de arroz na América Latina e está entre os maiores produtores da região. O mercado de arroz no Chile e Uruguai, apesar se menos representativos, crescem de forma resiliente.
 
► Além do Brasil, outro país da América do Sul que se destaca no consumo de arroz é o Peru. Segundo dados da OECD, o consumo per capita no país alcançou 65,23 kg por ano em 2019, ficando à frente do Brasil, que registrou 37,19 kg, e bem próximo aos maiores consumidores Índia (68,87 kg) e China (77,20 kg). Além do consumo, o Peru também se destaca na produção de arroz, que atende a demanda interna.
 
► Existe, no mercado peruano de arroz, uma tendência de migração de venda de arroz a granel para empacotados, o que deve beneficiar os comercializadores e distribuidores da região.
 
► O mercado de arroz no Chile e Uruguai são menores, mas também apresentam boas perspectivas. A expectativa de aumento na demanda internacional pode beneficiar o mercado de arroz, especialmente no Uruguai, que tem sua produção voltada para a exportação.
 
5. Indústria de Feijão – Panorama Brasil
 
O mercado de feijão no Brasil também é bastante fragmentado, com perspectiva positiva de consolidação. No ano de 2020, a menor oferta do grão e maior demanda impulsionaram os preços.
 
► A produção de feijão no Brasil se concentra na região Centro-Sul do país, que, de acordo com a CONAB, é responsável por cerca de 74% do total estimado para safra 2019/2020.
 
► O mercado de feijão também é bastante fragmentado como o de arroz, porém com um diferencial, já que, devido a sua perecibilidade, os processadores conseguem repassar o aumento dos custos para os consumidores finais de forma mais rápida quando comprado ao arroz.
 
► Apesar de observarmos certa estabilidade na área plantada, a expectativa de menor oferta da cultura para safra 2020/21 (dados CONAB), somada à demanda consistente, tem impulsionado preços no Brasil. Assim, no acumulado do ano, o preço nacional médio para o feijão já avançou 22% a/a.
 
► Por ser um mercado ainda bastante pulverizado, existe bastante espaço para consolidação. Hoje, cerca de 32% do mercado está concentrado em grandes processadores.
 
5. Indústria de Açúcar  –  Panorama Global e Brasil
 
O Brasil figura entre os maiores produtores e consumidores de açúcar do mundo, além de ser o maior exportador da commodity. No país, o mercado de açúcar é bastante concentrado e apresenta crescimento consistente. 
 
► A produção de açúcar, que é fragmentada em várias partes do mundo, tem aumentado de forma consistente nos últimos 10 anos. No período, dados da OECD apontam para uma taxa de crescimento anual composta (CAGR) de 1,9%.
 
► O Brasil está entre os principais produtores, com 16% da produção mundial em 2019, de acordo com dados da OECD, e é responsável por 31% do total das exportações.
 
► O consumo mundial também aumentou em 1,6% (CAGR) na última década, e deve seguir uma trajetória ascendente, que será impulsionada pelo aumento da população e do poder aquisitivo dos consumidores, que se dará principalmente nos países emergentes, conforme dados da OECD.
 
► No Brasil, o consumo deve permanecer estável, e os preços devem oscilar de acordo com oferta global e o volume de cana-de-açúcar destinado à produção de etanol.
 
5. Indústria de Pescados – Panorama Brasil
 
O baixo consumo per capita de peixe no Brasil é uma oportunidade para a indústria de pescado no país. Assim, como omercado já é bastante consolidado, a expectativa é de crescimento orgânico para os grandes players.
 
► Impulsionada pela disposição dos consumidores em introduzir em suas dietas fontes alternativas de proteína com maior valor nutricional, a indústria de pescados no Brasil vem apresentando crescimento consistente nos últimos anos.
 
► Apesar de não estar entre os grandes produtores de peixe, a produção no Brasil cresceu a taxa anual composta (CAGR) de 1,2%, na última década, e deve seguir com crescimento consistente (CAGR 2019-2028e de 1,4%), segundo projeções da OECD.
 
► No entanto, apesar do avanço, o consumo per capita no Brasil ainda é baixo comparado a outros países, o que gera uma oportunidade maior de crescimento da indústria nos próximos anos. De acordo com projeções da OECD, o consumo de peixe deve crescer a taxa anual composta 2019-2028e de 1,9%, acima de outras proteínas.
 
► O mercado brasileiro de pescados em conserva é bastante centralizado, sendo que 90% das vendas no mercado de sardinha e atum enlatados está concentrada em duas principais empresas.
 
6 CAMIL
 
Visão Geral da Empresa
 
► Descrição da empresa
 
A Camil é uma das maiores empresas de alimentos da América Latina e inclui, em seu modelo de negócios, a industrialização, comercialização e distribuição de grãos (principalmente arroz e feijão), açúcar e pescados. Por meio de sua estratégia de crescimento orgânico e inorgânico, a empresa expandiu em categorias e geografias. Assim, possui dois principais segmentos: 
 
(i)   Brasil, onde concentra um portfolio com marcas conhecidas em todas as categorias de produtos; e 
(ii)  Internacional, atuando com plantas industriais no Uruguai, Chile e Peru, focadas principalmente em arroz. Adicionalmente, por meio de seus centros de distribuição, a companhia alcança mais de 14.000 pontos de vendas diretos e 300.000 indiretos no Brasil, bem como exporta para mais de 50 países.
 
6 CAMIL
 
A Camil possui 28 unidades de processamento distribuídas em quatro países, além de um amplo portfólio de produtos com diferentes propostas de valor e forte rede de distribuição.
 
► Participação de Mercado
 
   Posição de liderança 
 
A Camil lidera o mercado de alimentos nos principais segmentos onde atua, detendo marcas de preferência do consumidor e maiores preços comparado aos principais competidores.
 
► O portfólio da Camil é composto por marcas reconhecidas, o que permite à empresa ter uma posição de mercado relevante nos segmentos onde atua e vantagem em precificação, conforme apresentado no quadro ao lado
 
► O mercado de arroz é bastante pulverizado, sendo que os três maiores processadores e distribuidores concentram 22% do mercado no Brasil, dos quais 13% são da Camil, que lidera o segmento, seguida pelos principais concorrentes Tio João e Prato Fino.
 
► Da mesma forma, o mercado de feijão também é bastante fragmentado, com os três maiores competidores somando 24% do mercado.
 
► Já o mercado de açúcar é mais concentrado, com 73% do segmento centralizado nos três maiores fabricantes, sendo que a Camil lidera com participação de 38%, por meio da marca União.
 
► Apesar da concentração e forte concorrência da Gomes da Costa (#1), a Camil sustenta segunda posição no segmento de pescados no Brasil.
 
► Na frente internacional, a empresa lidera em todos os mercados onde atua, com forte participação também.
 
6 CAMIL – Modelo de Negócio
 
O modelo de negócios da Camil é baseado em diversificação geográfica e portfólio de marcas líderes em diversas categorias de produtos, fruto de seu crescimento orgânico e inorgânico.
 
6. CAMIL - ESG 
 
Embora a Companhia ainda não divulgue Relatório de Sustentabilidade, identificamos algumas iniciativas importantes, principalmente nos aspectos ambiental e social. 
 
   Ambiental
 
► No aspecto ambiental a empresa foca em dois temas principais, a saber: 
 
► Meio Ambiente. Dentre as ações que já estão em andamento destacamos:  
 
- 95% da energia utilizada pela Camil no Brasil vem de fontes renováveis, sendo que 45% desta é fornecida pela própria empresa, com a queima da casca do arroz;
 
Investimentos em P&D para o desenvolvimento de embalagens mais sustentáveis;
 
► Suprimentos. A Camil tem forte atuação em toda cadeia de valor, prestando assessoria a pequenos produtores, para que estejam de acordo com as regras ambientais.
 
Social 
 
► A Camil divide o tema em alguns grandes grupos, dos quais destacamos:
 
► Investimento Social. A empresa já pratica há algum tempo doações de alimentos para regiões próximas às suas plantas. Nesse sentido, no ano de 2020, com a pandemia, já foram doados aproximadamente 250 mil toneladas de alimentos e mais de R$ 1,0 milhão em produtos hospitalares. Destacamos ainda outros projetos, tais como: Camil Vida Saudável; Natal sem fome; e Empreendedores da favela.
 
► Diversidade e inclusão: frente de conscientização que inclui palestras com profissionais renomados.
 
Governança 
 
► A Camil está listada no segmento Novo Mercado, que possui o maior nível de governança na B3, contando apenas com ações ordinárias.
 
► O conselho de administração é composto por membros independentes, que hoje representam 57% do quadro total de conselheiros.
 
► Dentre os comitês existentes, destacamos o Comitê de Ética, que também está responsável pelos assuntos relacionados ao tema ESG
 
Controversias
 
► Não observamos controvérsias relevantes envolvendo a Camil, que pudessem alterar nossa percepção da companhia em relação ao assunto.
 
7. Principais Projeções Financeiras
 
Apesar da estratégia de expansão da empresa englobar outras categorias de produtos e outros países, acreditamos que, devido à sua posição de liderança, a categoria de arroz e a região Brasil ainda devem ser as mais representativas
 
O cenário favorável de demanda aquecida e preços mais altos deve impulsionar o EBITDA em 2020. Como resultado, estimamos alavancagem reduzindo para 1,44x de 2,34x, ao final de 2019. 
 
Confira no anexo a íntegra do estudo preparado por LUCIANA CARVALHO,
analista senior do BB Investimentos

Clique aqui para acessar o aquivo PDF

Fonte: LUCIANA CARVALHO, analista senior do BB Investimentos





Indique a um amigo     Imprimir     Comentar notícia

>> Últimos comentários

NOTÍCIAS DA FRANQUEADORA E EMPRESAS DO SEGMENTO


  Outras notícias.
DÓLAR sobiu a R$ 5,304; IBOVESPA caiu 2,54% a 120.349 pts 15/01/2021
DÓLAR sobiu a R$ 5,304; IBOVESPA caiu 2,54% a 120.349 pts
 
GUIA DE AÇÕES 13.01.2020: VEJA AQUI AS COTAÇÕES. Avalie se convém investir 14/01/2021
GUIA DE AÇÕES 13.01.2020: VEJA AQUI AS COTAÇÕES. Avalie se convém investir
 
GUIA DE AÇÕES 12.01.2020: VEJA AQUI AS COTAÇÕES. Avalie se convém investir 13/01/2021
GUIA DE AÇÕES 12.01.2020: VEJA AQUI AS COTAÇÕES. Avalie se convém investir
 
DÓLAR no menor nível do ano, R$ 5,20; IBOVESPA sobe 1,27% a 123.480 pts 14/01/2021
DÓLAR no menor nível do ano, R$ 5,20; IBOVESPA sobe 1,27% a 123.480 pts
 
GUIA DE AÇÕES 11.01.2020: VEJA AQUI AS COTAÇÕES. Avalie se convém investir 12/01/2021
GUIA DE AÇÕES 11.01.2020: VEJA AQUI AS COTAÇÕES. Avalie se convém investir
 
GUIA DE AÇÕES, 08.01.2020: VEJA AQUI AS COTAÇÕES. Avalie se convém investir 11/01/2021
GUIA DE AÇÕES, 08.01.2020: VEJA AQUI AS COTAÇÕES. Avalie se convém investir
 
GUIA DE AÇÕES, 07.01.2020: VEJA AQUI AS COTAÇÕES. Avalie se convém investir 11/01/2021
GUIA DE AÇÕES, 07.01.2020: VEJA AQUI AS COTAÇÕES. Avalie se convém investir
 
GUIA DE AÇÕES, 06.01.2020: VEJA AQUI AS COTAÇÕES. Avalie se convém investir 07/01/2021
GUIA DE AÇÕES, 06.01.2020: VEJA AQUI AS COTAÇÕES. Avalie se convém investir
 
GUIA DE AÇÕES, 05.01.2020: VEJA AQUI AS COTAÇÕES. Avalie se convém investir 06/01/2021
GUIA DE AÇÕES, 05.01.2020: VEJA AQUI AS COTAÇÕES. Avalie se convém investir
 
DÓLAR sobe a R$ 5,30, IBOVESPA cai a 119.100 pontos 06/01/2021
DÓLAR sobe a R$ 5,30, IBOVESPA cai a 119.100 pontos
 
Escolha do Editor
Curtas & Palpites