Home   |   Expediente   |   Publicidade   |   Cadastre-se   |   Fale Conosco             

Economia e Finanças

18 de Dezembro de 2020 as 23:12:56



MARKET UPDATE da Semana de 12 a 18.12.2020: PIB, Contas Externas, Juros, Inflação e FED



MARKET UPDATE de 18.12.2020
Henrique Tomaz, CFA, e
Richardi Ferreira,
do BB Investimentos
CENÁRIO DOMÉSTICO
 
Atividade econômica
 
O Índice de Atividade Econômica do Banco Central (IBC-Br), considerado uma prévia do PIB, apresentou um crescimento de 0,86% em outubro. Esta foi a sexta alta consecutiva no indicador
 
     Prévia do PIB registra alta de 0,86% em outubro
 
 O Índice de Atividade Econômica do Banco Central (IBC-Br), considerado uma prévia do PIB, registrou um crescimento de 0,86% em outubro, na série com ajuste sazonal. Esta foi a sexta alta mensal consecutiva do indicador que, entre janeiro e outubro, acumula uma queda de 4,92% em relação ao mesmo período do ano passado.
 
 Apesar da forte recuperação que vem sendo registrada pela indústria e também pelo comércio varejista, o setor de serviços, que responde por quase dois terços do PIB, segue em um ritmo mais lento de recuperação refletindo as medidas de isolamento social que ainda afetam este segmento.
 
     Contas Externas
 
Em novembro, o Brasil registrou um superávit em conta corrente de US$ 202 milhões. Com este resultado, o déficit acumulado em 12 meses caiu para US$ 12,2 bilhões, ou cerca de 0,82% do PIB
 
         Transações correntes tem superávit de US$ 202 milhões em novembro
 
 A balança de transações correntes - que agrega os saldos da balança comercial, da balança de serviços e das transferências unilaterais – fechou o mês de novembro com saldo positivo de US$ 202 milhões. Com este resultado, o déficit acumulado nos últimos doze meses caiu de US$ 15,4 bilhões (1,02% do PIB) em outubro para US$ 12,2 bilhões (0,82% do PIB) em novembro. 
 
Desde o início da pandemia, a forte queda das importações vem contribuindo com o maior superávit da balança comercial. Os ingressos líquidos de Investimento Direto no País (IDP) registraram US$ 1,5 bilhão em novembro e, no acumulado de doze meses, caíram para cerca de US$ 36,3 bilhões (2,44% do PIB).
 
 Juros 
 
O Banco Central divulgou a Ata da última reunião do Copom. O documento detalha a conjuntura de fatores que levou à decisão de manter a Selic em 2,0% ao ano
 
 Projeções de inflação seguem ancoradas na meta
 
Apesar das últimas leituras de inflação virem acima do esperado, o Copom Comitê de Política Monetária do Banco Central manteve o diagnóstico de que os choques atuais são temporários. 
 
No cenário básico divulgado pelo Bacen, as projeções de inflação seguem abaixo da meta, considerando-se o horizonte relevante para a política monetária. Além disso, as projeções de inflação do mercado para o longo prazo seguem ancoradas e o atual regime fiscal não sofreu alteração. 
 
O comitê avaliou que tais condições permitem a manutenção da atual prescrição futura (forward guidance), mecanismo pelo qual o Bacen sinaliza que não pretende aumentar os juros. Apesar disso, dada a convergência das expectativas de inflação em direção à meta, os membros admitiram a possibilidade de retirada do forward guidance nas próximas reuniões.
 
PANORAMA EXTERNO
 
Fed
 
Reunião dos dirigentes decidiu manter inalterada a atual estratégia de política monetária nos EUA, com a taxa de juros no patamar mínimo, entre 0% e 0,25%
 
Fed mantem os juros próximos de zero
 
 Na última reunião do ano, os dirigentes do Federal Reserve, banco central americano, decidiram manter a taxa de juros (Fed Fund Rate) próxima de zero. Desde março deste ano, as taxas foram reduzidas para o intervalo entre 0% e 0,25% e a expectativa é de que permaneçam neste patamar por um longo período enquanto a economia americana se recupera da pandemia de Covid-19.
 
 No comunicado divulgado logo após a reunião, o Fed avaliou que a atividade econômica e os níveis de emprego seguem se recuperando, mas ainda estão bem abaixo dos patamares de antes da crise.
 
O documento também indicou que o programa de compra de ativos deve continuar nos níveis atuais pelo menos até os número de inflação e do mercado de trabalho sinalizem convergência para as respectivas metas.
 
Perspectivas
 
   ♦   Taxa de juros deve permanecer próxima de zero por um longo período;
   ♦   Economia vem se recuperando mas os indicadores seguem abaixo dos
      mesmos níveis do início do ano;
   ♦  Trajetória da economia americana dependendo da evolução da pandemia;
  ♦   Manutenção do compromisso de fornecer estímulos por meio do programa     
     de compra de títulos
 
Confira no anexo a íntegra do relatório de análise do relatório a respeito, elaborado por Henrique Tomaz, CFA, e Richardi Ferreira, do BB Investimentos

Clique aqui para acessar o aquivo PDF

Fonte: Henrique Tomaz, CFA, e Richardi Ferreira, do BB Investimentos





Indique a um amigo     Imprimir     Comentar notícia

>> Últimos comentários

NOTÍCIAS DA FRANQUEADORA E EMPRESAS DO SEGMENTO


  Outras notícias.
DÓLAR estável em R$ 5,304; IBOVESPA sobe a 121.242 pts. 18/01/2021
DÓLAR estável em R$ 5,304; IBOVESPA sobe a 121.242 pts.
 
GASOLINA sobe R$ 0,15 nas Refinarias da Petrobras 18/01/2021
GASOLINA sobe R$ 0,15 nas Refinarias da Petrobras
 
PRODUÇÃO DE AÇO caiu 4,9% em 2020 18/01/2021
PRODUÇÃO DE AÇO caiu 4,9% em 2020
 
INDÚSTRIA desacelera em novembro/2020 18/01/2021
INDÚSTRIA desacelera em novembro/2020
 
DPVAT - CAIXA assume Gestão dos Recursos e Pagamentos do seguro 18/01/2021
DPVAT - CAIXA assume Gestão dos Recursos e Pagamentos do seguro
 
INSS Benefícios acima de 01 Salário Mínimo têm reajuste de 5,45% 13/01/2021
INSS Benefícios acima de 01 Salário Mínimo têm reajuste de 5,45%
 
IBGE Setor de Serviços tem o 6º mês de crescimento contínuo 13/01/2021
IBGE Setor de Serviços tem o 6º mês de crescimento contínuo
 
PLANOS DE SAÚDE Reajustes suspensos em 2020 serão cobrados em Janeiro 13/01/2021
PLANOS DE SAÚDE Reajustes suspensos em 2020 serão cobrados em Janeiro
 
SAFRA DE GRÃOS recorde em 2021, poderá atingir 260,5 milhões de ton 13/01/2021
SAFRA DE GRÃOS recorde em 2021, poderá atingir 260,5 milhões de ton
 
DÓLAR cai a R$ 5,323 (-3,29%) e IBOVESPA sobe a 123.998 pts (+0,6%) 12/01/2021
DÓLAR cai a R$ 5,323 (-3,29%) e IBOVESPA sobe a 123.998 pts (+0,6%)
 
Escolha do Editor
Curtas & Palpites