Home   |   Expediente   |   Publicidade   |   Cadastre-se   |   Fale Conosco             

Internacional

08 de Outubro de 2021 as 02:10:23



GRUPO SECRETO DE MILITARES dos EUA atua em TAIWAN


Soldados de Taiwan em Treinamento em 2017
 
Pequeno contingente de forças especiais e fuzileiros navais dos EUA treinam forças taiwanesas no mais recente sinal de aumento das tensões EUA-China
 
por Julian Borger em Washington
e Helen Davidson em Taipei
 
Os EUA têm mantido secretamente um pequeno contingente de treinadores militares em Taiwan por pelo menos um ano, de acordo com um novo relatório, o mais recente sinal do aumento das apostas na rivalidade EUA-China.
 
Cerca de duas dúzias de soldados das forças especiais dos EUA e um número não especificado de fuzileiros estão agora treinando forças taiwanesas, informou o Wall Street Journal nesta 5ª feira, 07.10. Os treinadores foram enviados pela primeira vez a Taiwan pelo governo Trump, mas sua presença não havia sido relatada até agora.
 
O relatório veio quando a presidente Tsai Ing-wen disse na última 6ª feira que Taiwan "fará o que for preciso para defender sua liberdade e seu modo de vida democrático".
 
"Taiwan não busca confronto militar",
 
disse ela a um fórum de segurança em Taipei.
 
"Espera uma convivência pacífica, estável, previsível e mutuamente benéfica com seus vizinhos. Mas Taiwan também fará o que for preciso para defender sua liberdade e seu modo de vida democrático."
 
As tropas americanas não se baseiam permanentemente na ilha desde 1979, quando Washington estabeleceu relações diplomáticas com a República Popular da China.
 
Um porta-voz do Pentágono, John Supple, não quis comentar diretamente sobre o relatório, mas observou que "nosso apoio e relação de defesa com Taiwan permanece alinhado contra a ameaça atual" da China.
 
"É um passo importante, mas pretende-se principalmente não ser provocativo, mas que Melhore realmente a capacidade de defesa das forças de Taiwan",
 
disse Jacob Stokes, membro do programa de segurança indo-pacífico do Centro para uma Nova Segurança Americana.
 
"Há sempre esse equilíbrio entre simbolismo e substância; creio que fazendo isso silenciosamente é para ser mais substância."
 
A presença de fuzileiros navais dos EUA em Taiwan foi relatada anteriormente, e mais tarde foi confirmada pelo Comando da Marinha de Taiwan como um "treinamento de rotina de intercâmbio e cooperação militar Taiwan-EUA", de acordo com a mídia de defesa dos EUA e os meios de comunicação locais. Autoridades dos EUA afirmaram que os relatórios de novembro de 2020 eram "imprecisos"mas não os refizeram.
 
O Ministério das Relações Exteriores da China emitiu declaração pedindo aos EUA que parem a ajuda militar a Taiwan.
 
"A China tomará todas as medidas necessárias para proteger sua soberania e integridade territorial",
 
diz o comunicado.
 
A mídia estatal hawkish, o Global Times, disse na sexta-feira que o Conselho de Estado da China "se opôs fortemente a qualquer forma de conluio militar entre Taiwan e os EUA".
 
"Pedimos aos EUA que cumpram três comunicados sobre a questão de Taiwan e parem qualquer provocação. As autoridades do DPP trabalham com forças externas para buscar a "independência" e rejeitar a reunificação. Isso levou o povo de Taiwan ao desastre, e suas tentativas estão fadadas a falhar."
 
O relatório de uma presença militar dos EUA em Taiwan vem depois de uma série de sinais de escalada no Indo-Pacífico. A China voou cerca de 150 aviões militares, incluindo bombardeiros e caças, para a zona de defesa aérea de Taiwan, nos primeiros quatro dias de outubro.
 
Falando à BBC um dia após encontrar-se com o principal diplomata chinês Yang Jiechi, o conselheiro de segurança nacional dos EUA Jake Sullivan disse que os EUA estavam profundamente preocupados com o aumento das tensões na região.
 
"Vamos nos levantar e falar, tanto em particular quanto publicamente quando vemos os tipos de atividades que são fundamentalmente desestabilizadoras",
 
disse Sullivan à BBC.
 
Perguntado se os EUA estavam preparados para tomar medidas militares para defender Taiwan, Sullivan disse:
 
"Deixe-me dizer isso, vamos agir agora para tentar evitar que esse dia passe."
 
Sullivan também disse que seria um "enorme erro" tirar conclusões sobre o compromisso dos EUA com seus aliados com base em sua recente retirada do Afeganistão.
 
Na 4ª feira, a CIA confirmou que criaria um novo "centro de missões" para priorizar a coleta de informações sobre a China.
 
Ao anunciar a reorganização, o diretor da agência, William Burns, chamou o governo chinês de "a ameaça geopolítica mais importante que enfrentamos no século 21".
 
"Ao longo de nossa história, a CIA intensificou-se para enfrentar quaisquer desafios que vierem em nosso caminho",
 
disse Burns.
 
"E agora enfrentando nosso teste geopolítico mais difícil em uma nova era de grande rivalidade de poder, a CIA estará na vanguarda deste esforço."
 
Centros de missão separados criados pela administração Trump sobre o Irã e a Coreia do Norte devem ser dissolvidos em seções regionais mais amplas.
 
O Departamento de Estado tomou medidas semelhantes, estabelecendo um escritório especializado ampliado, conhecido informalmente como China House,como parte do pivô mais amplo do governo Biden para a Ásia.
 
De acordo com a reportagem do Wall Street Journal, os treinadores em Taiwan movimentam-se para dentro e fora de Taiwan, por isso não representam presença permanente. Houve relatos de conselheiros militares dos EUA ao longo dos anos, mas Julian Khu, professor de direito na Universidade Hofstra, disse que o fator significativo no relatório de 5ª feira é a aparente confirmação por parte das autoridades dos EUA.
 
"É um segredo aberto que eles têm feito exercícios de treinamento aqui e ali, mas isso é um grande negócio para o reconhecer publicamente",
 
disse o professor Julian Khu.
 
"Eu não sei qual é o benefício disso. O governo chinês sabe o que está acontecendo. Não estamos dizendo a eles – estamos apenas dizendo ao público chinês, que então criará pressão sobre o governo para fazer algo."
 
CONFIRA em THE GUARDIAN a íntegra da matéria em inglês


Fonte: THE GUARDIAN. Tradução e copidescagem da Redação JF





Indique a um amigo     Imprimir     Comentar notícia

>> Últimos comentários

NOTÍCIAS DA FRANQUEADORA E EMPRESAS DO SEGMENTO


  Outras notícias.
DEU NO NYT - CPI do Senado suavizou acusações contra Bolsonaro 20/10/2021
DEU NO NYT - CPI do Senado suavizou acusações contra Bolsonaro
 
DEU NO THE GUARDIAN: 20/10/2021
DEU NO THE GUARDIAN: "Bolsonaro deve ser acusado de crimes contra a humanidade", diz inquérito de Covid
 
GÁS - Reservas europeias são as Mais Baixas da Década 19/10/2021
GÁS - Reservas europeias são as Mais Baixas da Década
 
EBOLA - 5 Novos Casos diagnosticados no CONGO, segundo a OMS 19/10/2021
EBOLA - 5 Novos Casos diagnosticados no CONGO, segundo a OMS
 
COLIN POWELL Grande General e Político dos EUA morre aos 84 anos de Complicações de Covid 18/10/2021
COLIN POWELL Grande General e Político dos EUA morre aos 84 anos de Complicações de Covid
 
PETRÓLEO - Petroleiras Estatais aumentam a produção; as Privadas, diminuem 18/10/2021
PETRÓLEO - Petroleiras Estatais aumentam a produção; as Privadas, diminuem
 
DEU NO NYT - Entenda a Nova Economia da CHINA 18/10/2021
DEU NO NYT - Entenda a Nova Economia da CHINA
 
PESTE SUÍNA confirmada nas Américas, às portas dos EUA, há 2 meses 18/10/2021
PESTE SUÍNA confirmada nas Américas, às portas dos EUA, há 2 meses
 
BILL CLINTON têm Alta do Hospital após tratamento de infecção 18/10/2021
BILL CLINTON têm Alta do Hospital após tratamento de infecção
 
CAPITÃO KIRK - Ator William Shatner faz Viagem Espacial nesta 2ª, pela Blue Origin 13/10/2021
CAPITÃO KIRK - Ator William Shatner faz Viagem Espacial nesta 2ª, pela Blue Origin
 
Escolha do Editor
Curtas & Palpites