Home   |   Expediente   |   Publicidade   |   Cadastre-se   |   Fale Conosco             

Economia e Finanças

Quinta-Feira, Dia 02 de Dezembro de 2021 as 15:12:33



CNI: 7 em cada 10 Indústrias têm Dificuldades para Comprar Insumo



88% das indústrias dizem que a normalização de insumos só virá em 2022
 
As dificuldades de abastecimento de insumos e de matérias-primas afetaram em média 68% das empresas das indústrias extrativa e de construção, em outubro de 2021, de acordo com pesquisa da Confederação Nacional da Indústria (CNI), divulgada nesta 5ª feira, 02.11.
 
O percentual é menor do que o de fevereiro deste ano, quando 73% das empresas relataram o problema.
 
“Apesar da ligeira queda, a situação está bastante complicada e mais da metade das indústrias avalia que esse desajuste só terá fim a partir de abril de 2022”,
 
informou a CNI.
 
Segundo a pesquisa, em 18 dos 25 setores da indústria de transformação consultados, mais de dois terços das empresas afirmaram que, mesmo em negociações com o valor acima do habitual, está mais difícil obter os insumos no mercado doméstico. 
 
Esse problema atinge 90% do setor de calçados; 88% das indústrias de couro, 85% dos fabricantes de móveis; 79% da indústria química; 78% do vestuário e 78% das madeireiras, além de 77% das indústrias de equipamentos de informática e produtos eletrônicos e 76% do setor de bebidas, por exemplo.
 
Insumos importados
 
Entre os setores que dependem de insumos importados, 18 deles também relataram o mesmo problema: a dificuldade de comprar a mercadoria, mesmo que se decida pagar a mais por ela. Os setores mais afetados foram: farmacêuticos (88%), máquinas e materiais elétricos (86%), vestuário (85%), material plástico (84%), limpeza e perfumaria (82%), têxteis (81%) e móveis (80%).
 
De acordo com o gerente de Análise Econômica da CNI, Marcelo Azevedo, há, pelo menos, três explicações para a falta de insumos gerada pela crise provocada pela pandemia de covid-19.
 
“Há um buraco na produção industrial que ainda não foi resolvido. A [pesquisa] Sondagem Industrial de outubro mostrou ajuste nos estoques, é uma condição importante, necessária para resolver o problema, mas é um primeiro passo. E esse ajuste ainda precisa se completar para uma série de setores”,
 
explicou o economista, em nota. 
 
“Além disso, temos a expansão da demanda global de uma série de produtos, com os países voltando da crise. Esses fatores seguem provocando estresse nas linhas produtivas e a escassez de diversos insumos”,
 
completou.
 
Segundo Marcelo Azevedo, há ainda um outro agravante composto pelo elevado custo da logística, alto preço e baixa qualidade dos contêineres.
 
“Alguns países estão buscando alternativas para esse problema dos insumos, como desenvolver fornecedores locais, mas não é algo que se faça rapidamente nem depende só da ação da vontade, e envolve custos”,
 
afirmou.
 
Construção civil
 
De acordo com a CNI, na construção civil o problema se agravou entre fevereiro e outubro deste ano. O percentual de construtores que disse ter dificuldade para obter insumo e matéria-prima passou de 72% para 75%.
 
Diante disso, a expectativa de um cenário de normalização da oferta de insumos é um pouco mais pessimista, em comparação com a indústria geral: 88% acreditam que a normalização de insumos só ocorrerá em 2022 e 9% das empresas esperam que haja normalização apenas em 2023. Nesse segmento, dos 27% que importam insumos, 80% deles sinalizaram dificuldades de acessar matérias-primas importadas.


Fonte: AGENCIA BRASIL.





Indique a um amigo     Imprimir     Comentar notícia

>> Últimos comentários

NOTÍCIAS DA FRANQUEADORA E EMPRESAS DO SEGMENTO


  Outras notícias.
AUXÍLIO BRASIL  começa a ser pago nesta terça-feira 18/01/2022
AUXÍLIO BRASIL começa a ser pago nesta terça-feira
 
CIRCUITO DE NEGÓCIOS AGRO BB oferece Crédito Itinerante a Pequenos Produtores 18/01/2022
CIRCUITO DE NEGÓCIOS AGRO BB oferece Crédito Itinerante a Pequenos Produtores
 
DÓLAR pressionado pela Fuga de Capitais. IBOVESPA sobe a 106.668 pts 18/01/2022
DÓLAR pressionado pela Fuga de Capitais. IBOVESPA sobe a 106.668 pts
 
RIO: Veja impactos da Variante Ômicron sobre Transportes e Serviços 17/01/2022
RIO: Veja impactos da Variante Ômicron sobre Transportes e Serviços
 
PRÉ-SAL - Petrobras atingiu Recorde de Produção no pré-sal em 2021 17/01/2022
PRÉ-SAL - Petrobras atingiu Recorde de Produção no pré-sal em 2021
 
DÓLAR subiu a R$ 5,527: IBOVESPA caiu a 106.374  em 17.01 17/01/2022
DÓLAR subiu a R$ 5,527: IBOVESPA caiu a 106.374 em 17.01
 
OFAM: Pandemia fez um Novo Bilionário a cada 26 horas 17/01/2022
OFAM: Pandemia fez um Novo Bilionário a cada 26 horas
 
IBC-BR - Atividade Econômica cresceu 0,69% em novembro, diz o BC 17/01/2022
IBC-BR - Atividade Econômica cresceu 0,69% em novembro, diz o BC
 
DÓLAR cai a R$ 5,51 e IBOVESPA sobe pois as Ações estavam baratas demais 15/01/2022
DÓLAR cai a R$ 5,51 e IBOVESPA sobe pois as Ações estavam baratas demais
 
EUA recomendam que População use 16/01/2022
EUA recomendam que População use "Máscara Mais Protetora Possível"
 
Escolha do Editor
Curtas & Palpites