Home   |   Expediente   |   Publicidade   |   Cadastre-se   |   Fale Conosco             

Internacional

04 de Junho de 2022 as 11:06:13



TSUNAMI DE IMPORTAÇÕES afunda o PIB dos EUA no 1º Trimestre


 
Tsunami de Importações afunda o PIB dos EUA no 1o Trimestre
Fabricação dos EUA continua encolhendo à medida que as importações aumentam
 
Por David  P. Goldman
 
O Produto Interno Bruto real dos EUA encolheu a uma taxa anual de 1,5% durante o primeiro trimestre/2022, mais do que a estimativa preliminar de -1,3%, informou o Departamento de Comércio em 26 de maio. Nada como isso aconteceu antes.
 
O consumo pessoal cresceu à taxa anual de 3,1%, mas a demanda adicional foi mais do que atendida pelo aumento das importações.
 
O déficit comercial dos EUA em bens disparou para US$ 128 bilhões em março, ou uma taxa anual de US$ 1,54 trilhão, enquanto as vendas dos fabricantes americanos caíram após o ajuste pela inflação. Em termos reais, as vendas de fábricas nos EUA caíram quase 10% desde 2018 e quase 20% desde 2007. Os consumidores gastaram a maior parte do estímulo COVID de US$ 6 trilhões em importações. Essa é outra novidade: a fabricação dos EUA nunca contraiu no passado após um grande aumento na demanda.
 
As exportações líquidas tiraram 3,2% do crescimento do PIB apenas uma vez antes, em 1982, mas isso aconteceu enquanto o PIB estava crescendo. Os americanos normalmente importam mais quando a economia se expande e importam menos quando ela se contrai, simplesmente porque há menos demanda geral em uma economia em contração.
 
Esta é a primeira vez que as exportações líquidas foram acentuadamente negativas enquanto o PIB estava caindo, e a primeira vez que as exportações líquidas negativas causaram uma queda no PIB.
 
O maior aumento nas importações dos EUA veio da China, que embarcou 55% a mais para os EUA em abril de 2022 (em dólares ajustados sazonalmente) do que em agosto de 2019, quando o presidente Trump impôs tarifas de 25% sobre a maioria das importações chinesas.
 
Existem várias razões para a implosão da fabricação americana no curso da epidemia de COVID.
 
Primeiro, o estímulo de US$ 6 trilhões tirou milhões de americanos da força de trabalho, levando a uma escassez de mão de obra.
 
Em segundo lugar, choques de oferta, incluindo a escassez de semicondutores e gargalos de transporte, restringiram a atividade fabril.
 
Em terceiro, as fortes cadeias de suprimentos da China e o robusto ecossistema de fabricação atraíram mais investimentos estrangeiros do que nunca de empresas americanas como a Tesla, acelerando a mudança da fabricação onshore.
 
Esses fatores ressaltam as causas da inflação nos EUA, oficialmente relatada em cerca de 8%, mas mais próxima de 12% quando a subcontagem da inflação de abrigos é levada em consideração.
 
Os preços estão subindo devido a restrições na oferta: trabalhadores insuficientes, transporte insuficiente, investimento industrial insuficiente e restrições à produção de hidrocarbonetos impostas pelo governo Biden.
 
Aumentar as taxas de juros não terá muito impacto sobre a inflação, a menos que o Federal Reserve aumente as taxas o suficiente para lançar os EUA em recessão. Então os americanos comprarão menos e alguns preços cairão. Mas uma recessão só agravaria as causas subjacentes da inflação nos EUA: investimento de capital inadequado, infraestrutura inadequada e treinamento inadequado para empregos qualificados nas fábricas.
 
Confira em ASIA TIMES a íntegra da matéria.


Fonte: ASIA TIMES David Goldman. Tradução e copidescagem: Redação JF





Indique a um amigo     Imprimir     Comentar notícia

>> Últimos comentários

NOTÍCIAS DA FRANQUEADORA E EMPRESAS DO SEGMENTO


  Outras notícias.
COVID-19 na CHINA - Panorama na 1ª Semana de Julho/2022 06/07/2022
COVID-19 na CHINA - Panorama na 1ª Semana de Julho/2022
 
COVID-19 nos EUA - O Panorama na 1ª Semana de Julho/2022 05/07/2022
COVID-19 nos EUA - O Panorama na 1ª Semana de Julho/2022
 
EUA saqueia Petróleo do Iemen, política de estado já aplicada na Síria, afirma ministro 04/07/2022
EUA saqueia Petróleo do Iemen, política de estado já aplicada na Síria, afirma ministro
 
DELENDA PEQUIM - OTAN posiciona-se como instrumento dos EUA contra a CHINA 03/07/2022
DELENDA PEQUIM - OTAN posiciona-se como instrumento dos EUA contra a CHINA
 
UNIDADE DA OTAN, Disfarce de sua Crise Existencial 29/06/2022
UNIDADE DA OTAN, Disfarce de sua Crise Existencial
 
CÚPULA DO G7 na Alemanha: A Resposta ao Conflito na Ucrânia 29/06/2022
CÚPULA DO G7 na Alemanha: A Resposta ao Conflito na Ucrânia
 
Os EUA estão balançando outra cenoura para atacar a China? 28/06/2022
Os EUA estão balançando outra cenoura para atacar a China?
 
GHISLAINE MAXWELL, Pena de 20 anos de Prisão por Tráfico Sexual Teen 28/06/2022
GHISLAINE MAXWELL, Pena de 20 anos de Prisão por Tráfico Sexual Teen
 
OTAN - Encontro na Espanha irá Redefinir Estratégia, desta 3ª à 5ª feira 28/06/2022
OTAN - Encontro na Espanha irá Redefinir Estratégia, desta 3ª à 5ª feira
 
VLADIMIR PUTIN afirma que Mundo Unipolar Chegou ao Fim 27/06/2022
VLADIMIR PUTIN afirma que Mundo Unipolar Chegou ao Fim
 
Escolha do Editor
Curtas & Palpites