Home   |   Expediente   |   Publicidade   |   Cadastre-se   |   Fale Conosco             

Investimentos

Sábado, Dia 12 de Janeiro de 2019 as 23:01:10



O MERCADO 6ª feira: Cautela: Shutdown nos EUA, Conflito EUA-China, Piora na Área do Euro



Diário do Mercado na 6ª feira, 11.01.2018
 
Cautela elevada induziu ligeira correção nos ativos domésticos
 
Comentário.
 
Sinais de desaceleração do crescimento global elevaram a aversão ao risco dos investidores nesta sexta-feira. Novamente, indicadores apontaram piora em países da zona do euro.
 
A cautela no exterior também se apresenta em razão da falta de informações mais acuradas sobre a negociação entre China e EUA sobre a guerra comercial, além do prolongado shutdown norte-americano – a paralisação do governo começa a levantar questões sobre efeitos negativos na economia do país.
 
Influenciados pela cautela externa, os ativos domésticos sofreram leves realizações enquanto os investidores aguardam mais informações e avanços da Reforma da Previdência – estrangeiros idem.
 
Não obstante, o Ibovespa fechou a 3ª semana consecutiva de ganhos com avanço de 2%. 
 
Ibovespa.
 
Mesmo com abertura em alta, o principal índice doméstico passou ao terreno negativo ainda nos primeiros minutos de pregão, mas com perdas apenas moderadas ainda que na mínima, puxadas pelo dia de realizações no exterior.
 
Entre as altas, destaque para Ambev, B3 e Embraer, que recebeu aval da presidência para prosseguimento das negociações com a Boeing. Na ponta oposta, Petrobras, Cielo e Vale registraram firmes recuos.
 
O Ibovespa fechou aos 93.658 pts (-0,16%), acumulando alta de 6,57% no mês e no ano e de 18,01% em 12 meses. O giro financeiro preliminar da Bovespa foi de R$ 15,1 bilhões, sendo R$ 14,6 bilhões no mercado à vista.
 
Capitais Externos na Bolsa
 
No dia 09 de janeiro (último dado disponível), houve ingresso líquido de capital estrangeiro em R$ 64 milhões, o saldo negativo de janeiro passou a R$ 1,1 bilhão. 
 
Agenda Econômica.
 
No Brasil, o IPCA para o mês de dezembro apresentou alta de 0,15%, registrando a menor variação para o mês desde 1994. O grupo Alimentação e Bebidas foi a maior contribuição para a aceleração do índice ao registrar avanço de 0,44%.
 
Com o resultado, a inflação oficial encerrou 2018 em 3,75%, abaixo do centro da meta de 4,5%. Os maiores impactos individuais no mês foram os itens passagem aérea (29,12%) e combustíveis (-4,25%), 0,12 p.p. e -0,25 p.p, respectivamente.
 
Nos EUA, o IPC de dezembro registrou recuo de 0,1% na comparação mensal e uma aceleração de 1,9% anualmente – em linha com o consenso. O núcleo do IPC marcou um avanço de 0,2% em dezembro ante novembro e alta de 2,2% na comparação anual.
 
Câmbio e CDS.
 
O dólar apresentou comportamento misto no exterior e trajetória volátil domesticamente, navegando na maior parte da sessão em terreno de alta.
 
O dólar comercial (interbancário) encerrou em R$ 3,7130 (+0,16%), acumulando uma queda de -4,18% no mês e uma alta de 15,49% em 12 meses.
 
Risco País
 
O risco medido pelo CDS Brasil de 5 anos subiu a 185 pontos ante 183 pontos da última sessão.
 
Juros.
 
Os juros futuros fecharam a sessão regular de lado ou com viés de baixa, em dia sem grandes direcionadores para os ativos domésticos, dada divulgação do IPCA de dezembro com variação praticamente em linha com o consenso e reiterando dinâmica positiva da inflação.
 
Os agentes aguardam novidades sobre a reforma da previdência para reposicionamentos. O DI para janeiro de 2020 terminou em 6,63% ante 6,65% da véspera. Já o DI para janeiro de 2023 ficou estável em 8,48%. O DI para janeiro de 2025 ficou em 8,95% ante 8,94% de ontem. 
 
Para semana que vem.
 
No Brasil: Confiança do consumidor CNI, Vendas no varejo, IGP-10, Volume do setor de serviços e Atividade econômica (IBC-Br).
 
Nos EUA: Livro Bege, Pedido de bens duráveis e Produção manufatureira (SIC).
 
Alemanha e França: IPC.
 
 
Confira no anexo a íntegra do relatório de análise do comportamento do mercado na 6ª feira, 11.01.2018, elaborado por RICARDO VIEITES, CNPI, e RAFAEL REIS, CNPI-P, ambos integrantes do BB Investimentos.
 

Clique aqui para acessar o aquivo PDF

Fonte: BB INVESTIMENTOS. Chamada de Capa e imagem da Redação.





Indique a um amigo     Imprimir     Comentar notícia

>> Últimos comentários

NOTÍCIAS DA FRANQUEADORA E EMPRESAS DO SEGMENTO


  Outras notícias.
O MERCADO, 17.10: Realização de Lucros na B3. Dólar a R$ 4,169 17/10/2019
O MERCADO, 17.10: Realização de Lucros na B3. Dólar a R$ 4,169
 
GUIA DE AÇÕES Conheça aqui as cotações de 17.10 Avalie se convém Investir 17/10/2019
GUIA DE AÇÕES Conheça aqui as cotações de 17.10 Avalie se convém Investir
 
RENDA FIXA  DEBÊNTURES - Mercado Secundário em 14.10.2019 15/10/2019
RENDA FIXA DEBÊNTURES - Mercado Secundário em 14.10.2019
 
O MERCADO, 15.10: Ibovespa sobe puxado por NY. Dólar sobe a R$ 4.164 15/10/2019
O MERCADO, 15.10: Ibovespa sobe puxado por NY. Dólar sobe a R$ 4.164
 
O MERCADO, 14.10: Ibovespa fecha em alta, mas liquidez reduzida. Dólar sobe a R$ 4,128 14/10/2019
O MERCADO, 14.10: Ibovespa fecha em alta, mas liquidez reduzida. Dólar sobe a R$ 4,128
 
O MERCADO, 11.10: Ibovespa sobe 1,98% a 103.831 pts. Dólar cai a R$ 4,093 12/10/2019
O MERCADO, 11.10: Ibovespa sobe 1,98% a 103.831 pts. Dólar cai a R$ 4,093
 
VALE Tour de Analistas e Investidores - Novo Preço-Alvo 2020e da Ação 12/10/2019
VALE Tour de Analistas e Investidores - Novo Preço-Alvo 2020e da Ação
 
RENDA FIXA Mercado Secundário de Debêntures: CRA e CRI 05/10/2019
RENDA FIXA Mercado Secundário de Debêntures: CRA e CRI
 
O MERCADO, 07.10: Ibovespa cai 1,93% a 100.572 pts. Dólar sobe a R$ 4,104 07/10/2019
O MERCADO, 07.10: Ibovespa cai 1,93% a 100.572 pts. Dólar sobe a R$ 4,104
 
O MERCADO, 08.10: Ibovespa cai 0,59% a 99.981 pts. Dólar cai a R$ 4,091 08/10/2019
O MERCADO, 08.10: Ibovespa cai 0,59% a 99.981 pts. Dólar cai a R$ 4,091
 
Escolha do Editor
Curtas & Palpites