Home   |   Expediente   |   Publicidade   |   Cadastre-se   |   Fale Conosco             

Economia

Sexta-Feira, Dia 08 de Junho de 2018 as 00:06:13



DÓLAR dispara e BC anuncia injeção de US$20 BI Extras na economia



BC anuncia injeção extra de US$ 20 bilhões para segurar dólar
 
 
O presidente do Banco Central, Ilan Goldfajn, anunciou nesta 5ª feira 07.06, maior intervenção no mercado cambial para conter o dólar, que fechou o pregão em alta de 2,3%, cotado a R$ 3,926, o maior valor desde 1º de março de 2016.
 
Até o final da semana que vem, serão realizados leilões adicionais de contrato de swap cambial, equivalente à venda de dólares no mercado futuro, no valor total de US$ 20 bilhões.      
 
Goldfajn atribuiu a desvalorização do real ao cenário externo "mais difícil", em que a elevação da taxa de juros dos Estados Unidos reverte o fluxo de capital das economias emergentes para os países avançados. Ele garantiu que a atuação do BC será coordenada com o Tesouro Nacional para prover liquidez ao mercado. "O BC e o Tesouro vão continuar oferecendo, de forma coordenada, liquidez continuada, seja ao mercado de câmbio, seja no mercado de juros, enquanto for necessário", afirmou.
 
Por meio das operações de swap cambial, o Banco Central vende contratos de venda futura da moeda norte-americana, mas sem transferir o recurso de fato. Ao fim do contrato, o BC garante ao investidor o pagamento da variação do dólar no período e o investidor restitui a variação da taxa de juros no período. Se a taxa de juros for superior, o investidor embolsa os rendimentos. Se a moeda subir mais do que os juros no período, é o BC que sai ganhando. Esse contrato faz com que os investidores diminuam o apetite pela moeda norte-americana e o seu valor frente ao real seja reduzido no mercado de câmbio.
 
O presidente do BC não descartou adotar outras medidas de intervenção no câmbio, como o uso das reservas internacionais de US$ 380 bilhões do país para injetar dólar no mercado, ou a venda dos chamados contratos de linha. "Não temos nenhum preconceito em usar qualquer instrumento. Estou me referindo a swaps, reservas ou leilões de linha. Até hoje, vimos necessidade apenas na parte de swaps".
 
Goldfajn defendeu o regime de câmbio flutuante e ressaltou que a política monetária está separada da política cambial e que o BC não vai usar a taxa básica de juros da economia para interferir no câmbio, mas apenas para controlar a inflação.  
 
Fundamentos
 
O presidente do BC destacou também os "fundamentos sólidos" da economia brasileira, como o baixo déficit na balança de pagamentos, de 0,4%, e o fluxo de IEDs no país, de 3,4% do PIB Produto Interno Bruto,
 
"O outro fundamento relevante é que temos uma inflação corrente baixa, até menor que a meta nos últimos 12 meses",
 
acrescentou.
 
Ele defendeu ainda as medidas econômicas adotadas pelo governo, como a emenda constitucional do teto dos gastos (novo regime fiscal), e negou especulações de que ele poderia pedir demissão do cargo antes do fim da atual gestão.
 
"Vou ficar até o final, trabalhando com todo afinco".


Fonte: AGENCIA BRASIL. Chamada de capa da Redação JF





Indique a um amigo     Imprimir    Comentar notícia

>> Últimos comentários

NOTÍCIAS DA FRANQUEADORA E EMPRESAS DO SEGMENTO


 Outras notícias.
CÂMBIO Dólar fecha em R$ 3,70 Queda de 4,39% na semana 03/08/2018
CÂMBIO Dólar fecha em R$ 3,70 Queda de 4,39% na semana
 
PRE SAL Edital do leilão amplia para 36 meses o Prazo de Produção 02/08/2018
PRE SAL Edital do leilão amplia para 36 meses o Prazo de Produção
 
DÍVIDA PÚBLICA FEDERAL- Juros da Dívida custaram R$ 462 bilhões em 2017 01/08/2018
DÍVIDA PÚBLICA FEDERAL- Juros da Dívida custaram R$ 462 bilhões em 2017
 
CONTAS PÚBLICAS - Déficit Primário de R$ 13,5 BI em junho 31/07/2018
CONTAS PÚBLICAS - Déficit Primário de R$ 13,5 BI em junho
 
FLIP gerou R$ 47 milhões em impacto econômico ao País 31/07/2018
FLIP gerou R$ 47 milhões em impacto econômico ao País
 
CÂMBIO Dólar em alta de 0,33% encerra 2ª feira em R$ 3,73 31/07/2018
CÂMBIO Dólar em alta de 0,33% encerra 2ª feira em R$ 3,73
 
INDUSTRIA DA PESCA  Produção de peixes no Brasil cresce 8% em 2017 31/07/2018
INDUSTRIA DA PESCA Produção de peixes no Brasil cresce 8% em 2017
 
ELEIÇÕES & CENÁRIO EXTERNO, Fatores de Incerteza na Economia, revela FGV 31/07/2018
ELEIÇÕES & CENÁRIO EXTERNO, Fatores de Incerteza na Economia, revela FGV
 
BOLETIM FOCUS Mercado prevê manutenção da SELIC e PIB a 1,5% em 2018 31/07/2018
BOLETIM FOCUS Mercado prevê manutenção da SELIC e PIB a 1,5% em 2018
 
TURBULÊNCIA FINANCEIRA - Pior fase já passou, diz Ministro da Fazenda 27/07/2018
TURBULÊNCIA FINANCEIRA - Pior fase já passou, diz Ministro da Fazenda
 
Escolha do Editor
Curtas & Palpites
JORNAL FRANQUIA - Todos os direitos reservados 2009