Home   |   Expediente   |   Publicidade   |   Cadastre-se   |   Fale Conosco             

Investimentos

Quarta-Feira, Dia 10 de Abril de 2019 as 20:04:07



O MERCADO, 4ª feira: Ibovespa cai a 95.953 pts (-0,35%). Dólar cai a R$ 3,823



Diário do Mercado na 4ª feira, 10.04.2019
 
Ibovespa tomba junto com blue chips, se descolando do exterior
 
Comentário.
 
Ainda ponderando as perspectivas do trâmite da reforma da previdência, os investidores findaram seguindo o jargão de mercado no dia, “sobe no boato e realiza no fato”.
 
A sessão foi, basicamente, induzida pela Petrobras, com os agentes digerindo o aguardado ajuste entre o governo e a empresa, que foi anunciado na noite da véspera, sobre a questão da cessão onerosa.
 
Em suma, a petrolífera e a Vale, que haviam impulsionado recentemente o Ibovespa para cima, sofreram realizações de lucros e influenciaram para o recuo no dia, levando o índice brasileiro a operar descolado negativamente das bolsas de Nova York.
 
Externamente, o dado considerado mais fraco da inflação nos Estados Unidos compeliu para baixo a cotação do dólar no mercado internacional. Também, a ata do Fed terminou sendo considerada menos amena do que o esperado pelo mercado. 
 
No Brasil, o dólar comercial fechou em R$ R$ 3,8230 (-0,78%). Os juros futuros seguiram o comportamento do dólar e recuaram em toda a extensão de sua estrutura a termo, progressivamente da ponta mais curta para a mais longa.
 
Ibovespa.
 
O índice principiou ascendente, apoiado, inclusive, na notícia do acerto da cessão onerosa entre o governo e a Petrobras. Todavia, depois de pouco mais de meia hora de negócios passou a operar com pequena baixa, ao redor dos 96 mil pts.
 
Já a partir do meio da tarde, com os agentes inicialmente se agradando da ata do Fed, chegou a operar alguns momentos em campo positivo, mas este argumento não subsistiu e a pressão vendedora voltou dentro da hora final.
 
O Ibovespa encerrou aos 95.953 pts (-0,35%), acumulando agora -1,19% na semana, +0,56% no mês, +9,18% no ano e +13,54% em 12 meses. O preliminar giro financeiro da Bovespa foi de R$ 14,272 bilhões, sendo R$ 13,790 bilhões no mercado à vista.
 
 
Capitais Externos na Bolsa
 
No dia 6 de abril (último dado disponível), houve entrada líquida de capital estrangeiro de R$ 395,206 milhões, com montante de R$ 987,567 milhões no mês. Em 2019, passou a acumular saldo positivo de R$ 2,239 bilhões.
 
Agenda Econômica.
 
No Brasil, o IPCA (inflação oficial) de março ascendeu a +0,75% versus +0,43% em fevereiro, vindo acima do consenso de mercado, em +0,63%. O indicador passou a acumular variações de +1,51% no ano e de +4,58% em 12 meses – ficando acima da meta de inflação de 4,25% para este ano, mas por causa da oscilação de +1,26% de junho de 2018 - que foi “contaminada” pela greve de caminhoneiros.
 
No mês, as principais contribuições para a aceleração da inflação advieram do grupo alimentação e bebidas, que variou +1,37% (+0,78% em fevereiro); e do grupo transportes, que variou +1,44% em março (-0,34% em fevereiro). Ambos impactaram, respectivamente, com 0,34 p.p. e 0,26 p.p. no índice geral – ou seja, contribuíram com cerca de 80% do total da elevação de março. 
 
Nos EUA, a ata do Fed transpareceu que seus membros creem que o decorrer previsto da economia local deve manter a taxa de juros em seu atual patamar, no intervalo entre 2,25% e 2,50% ao longo de todo este ano; bem como estimam inflação próxima da meta de 2,0%. 
 
Câmbio e CDS.
 
A divisa norte-americana fechou em queda ante o real – o comportamento, seguiu o mercado internacional de moedas.
 
O dólar comercial (interbancário) fechou cotado a R$ 3,8230 (-0,78%), acumulando -2,37% no mês, -1,34% no ano e +12,14% em 12 meses.
 
Risco País
 
O risco-país medido pelo CDS Brasil cedeu a 169 pts versus 171 pts na véspera.
 
Juros.
 
Os juros futuros encerraram a sessão regular em queda nesta quarta-feira, com destaque para os vencimentos de longo prazo, em sintonia com o movimento de queda do dólar ante o real.
 
Em relação à véspera, assim finalizaram: o DI janeiro/2020 em 6,47% de 6,49%; o DI janeiro/2021 em 7,06% de 7,09%; o DI janeiro/2023 em 8,16% de 8,25%; o DI janeiro/2025 em 8,67% de 8,79%; e o DI janeiro/2027 em 8,99% de 9,11%. 
 
Para a semana
 
Brasil: Conf. consumidor; Volume setor de serviços e Atividade Econômica.
 
Alemanha e França: IPC.
 
Zona do Euro: Prod. industrial.
 
China: IPC; IPP e Bal. comercial.  
 
Confira no anexo a íntegra do relatório de análise do comportamento do mercado na 4ª feira, 10.04.2019, elaborado por HAMILTON ALVES, CNPI-T, do BB Investimentos    

Clique aqui para acessar o aquivo PDF

Fonte: Hamilton Alves, CNPI-T, do BB Investimentos

 
Indique a um amigo     Imprimir     Comentar notícia

>> Últimos comentários

NOTÍCIAS DA FRANQUEADORA E EMPRESAS DO SEGMENTO


  Outras notícias.
INVESTIMENTO - Comportamento do Mercado em 07.11 07/11/2014
INVESTIMENTO - Comportamento do Mercado em 07.11
 
INVESTIMENTOS - BTG PACTUAL - Resultados no 3º trimestre/2014. 07/11/2014
INVESTIMENTOS - BTG PACTUAL - Resultados no 3º trimestre/2014.
 
INVESTIMENTOS - IOCHPE-MAXION - Resultados do 3º trimestre/2014 07/11/2014
INVESTIMENTOS - IOCHPE-MAXION - Resultados do 3º trimestre/2014
 
INVESTIMENTOS - EMBRAER - Resultados do 3º trimestre/2014 07/11/2014
INVESTIMENTOS - EMBRAER - Resultados do 3º trimestre/2014
 
INVESTIMENTOS - Pré Mercado em 07.11.2014 07/11/2014
INVESTIMENTOS - Pré Mercado em 07.11.2014
 
INVESTIMENTOS - Comportamento do Mercado em 06.11.2014 07/11/2014
INVESTIMENTOS - Comportamento do Mercado em 06.11.2014
 
INVESTIMENTOS - Pré Mercado 06.11.2014 06/11/2014
INVESTIMENTOS - Pré Mercado 06.11.2014
 
INVESTIMENTOS - GERDAU - Resultados no 3º trimestre/2014 06/11/2014
INVESTIMENTOS - GERDAU - Resultados no 3º trimestre/2014
 
INVESTIMENTOS - Comportamento do Mercado em 05.11.2014 05/11/2014
INVESTIMENTOS - Comportamento do Mercado em 05.11.2014
 
INVESTIMENTOS - USIMINAS - Resultados do 3º trimestre/2014 05/11/2014
INVESTIMENTOS - USIMINAS - Resultados do 3º trimestre/2014
 
Escolha do Editor
Curtas & Palpites