Home   |   Expediente   |   Publicidade   |   Cadastre-se   |   Fale Conosco             

Política

12 de Janeiro de 2018 as 18:40:03



MEIRELLES minimiza rebaixamento da nota pela Standard & Poor’s


Henrique Meirelles, imagem de arquivo
 
 
Prometeu e não entregou a reforma da Previdência ao mercado,
mas quer ser poupado para possível candidatura à presidência da República
 
 
O ministro da Fazenda, Henrique Meirelles, disse nesta 6ª feira, 12.01,que o rebaixamento da nota do Brasil pela agência de classificação de risco Standard & Poor’s, anunciado na 5ª feira, 11.01, não pode se transformar em “um grande evento político” do país.
 
“A agência faz trabalho deles e nós fazemos o nosso. Não se deve dar um peso excessivo [ao rebaixamento], transformando isso em um movimento político. A questão de upgrade ou downgrade é pontual, um importante sinalizador, mas não é um grande evento político do país. Pelo contrário, [houve uma] observação de que eles vão aguardar a aprovação de todas medidas relevantes do ponto de vista fiscal. Nós temos nossa agenda de trabalho e na medida que isso vai funcionando, as agências vão reconhecendo no devido tempo”,
 
afirmou.
 
A S&P rebaixou a nota do Brasil para três níveis abaixo do grau de investimento por causa da demora do país para implementar as reformas que devem reduzir os riscos fiscais do país.
 
Segundo Meirelles, a avaliação da agência é “absolutamente normal” e a equipe econômica já possui um “histórico” de manifestar confiança na aprovação de medidas posteriormente confirmadas pelos parlamentares, como o caso do Teto de Gastos e da reforma trabalhista.
 
“Continuamos seguros e confiantes que as reformas serão aprovadas, medidas de ajuste, como [outras] já foram”.
 
Sobre a declaração do presidente da Câmara, Rodrigo Maia (LINK), de que a equipe econômica do governo não pode responsabilizar o Congresso pela não aprovação da reforma da Previdência no ano passado, Meirelles evitou polêmicas e disse que não se pode apontar culpados.
 
“Acredito que todos estamos trabalhando na mesma direção: Legislativo, Executivo, e já temos histórico comprovado de sucesso”,
 
afirmou. Segundo ele, as lideranças políticas do país vão continuar trabalhando juntas.
 
 
Eleição
 
Perguntado sobre sua saída do Ministério da Fazenda para disputar a Presidência da República na eleição de outubro, Meirelles voltou a afirmar que só definirá uma eventual candidatura em abril, prazo estabelecido pela Justiça Eleitoral para que candidatos deixem cargos públicos.
 
“Não tenho pensado e não vou pensar até o início de abril nessa questão de candidatura. Tenho dito que sou ministro da Fazenda em período integral, continuo sendo e esta candidatura será decidida ou não em abril. Naquele momento vou tomar a decisão”.


Fonte: AGENCIA BRASIL. Chamada de Capa e subtítulo da Redação JF





Indique a um amigo     Imprimir    Comentar notícia

>> Últimos comentários

NOTÍCIAS DA FRANQUEADORA E EMPRESAS DO SEGMENTO


 Outras notícias.
31/07/2014
LIXÕES - Governo descarta ampliar prazo extinção
 
28/07/2014
ELEIÇÕES - Eleitores que pediram transferência podem pegar título a partir de hoje
 
27/07/2014
ELEIÇÕES - Superficiais, os programas de governo dos partidos políticos
 
25/07/2014
ELEIÇÕES - Dilma defende novo ciclo de desenvolvimento
 
24/07/2014
ATIVISTAS - Desembargador concede habeas corpus para 23 ativistas no Rio
 
23/07/2014
REFINARIA DE PASADENA - TCU isenta Dilma Rousseff e responsabiliza diretores da Petrobras
 
22/07/2014
ELEIÇÕES - Dilma tem 38% das intenções de voto; Aécio, 22% e Campos, 8%, segundo IBOPE
 
20/07/2014
ELEIÇÕES - Pesquisa mostra Dilma com 31,6%, Aécio com 21,1% e Campos com 7,2%
 
18/07/2014
JADLOG - Franquia de encomenda expressa com investimento até R$ 30 mil
 
11/07/2014
ELEIÇÕES - Pendências em registros de candidatos à Presidência
 
Escolha do Editor
Curtas & Palpites
JORNAL FRANQUIA - Todos os direitos reservados 2009