Home   |   Expediente   |   Publicidade   |   Cadastre-se   |   Fale Conosco             

Política

04 de Novembro de 2019 as 04:11:45



REFORMA ADMINISTRATIVA - Futuros Concursados não terão Estabilidade, diz Bolsonaro



Reforma administrativa deve mudar estabilidade de novos servidores
 
O presidente Jair Bolsonaro disse no sábado, 02.11, que está quase tudo pronto para a apresentação da reforma administrativa ao Congresso e que o governo estuda mudar a estabilidade dos novos servidores públicos.
 
“A ideia é daqui para frente, para os futuros concursados não teria estabilidade, essa é a ideia que está sendo estudada”,
 
disse ao deixar o Palácio da Alvorada na manhã deste sábado.
 
De acordo com o presidente, para algumas carreiras típicas de Estado, entretanto, esse direito seria preservado.
 
“Eu não posso formar, por exemplo, um sargento ou um capitão das forças especiais e depois mandar ele embora. Tem que ter formação específica para aquela atividade, bem como outras dos servidores civis.”
 
Atualmente, os servidores públicos estatutários têm direito à estabilidade no cargo após três anos de atividade.
 
Neste semana Bolsonaro pretende ir ao Congresso entregar novos projetos para serem analisados pelos deputados e senadores. Ele não detalhou, entretanto, qual reforma será apresentada primeiro.
 
“A que for menos difícil tem que ir na frente. O [ministro da Economia] Paulo Guedes gostaria que as três [previdenciária, administrativa e tributária] já tivessem aprovadas”,
 
disse. Um novo pacto federativo com estados e municípios também é prioridade para o governo e deve ser proposto em breve.
 
As medidas do governo para simplificação da máquina pública e desregulamentação do ambiente de negócios, segundo Bolsonaro, objetivam o aquecimento da economia e a geração de empregos.
 
“Quem cria emprego é a iniciativa privada e, para tal, quem produz tem que ter menos burocracia. Temos que botar de forma mais competitiva nos portos produtos para exportação”,
 
disse.
 
A diminuição da carga tributária também está no radar do Ministério da Economia, segundo o presidente, mas não deve ser feita “de uma hora para outra”.
 
“Essa reforma tributária é muito importante. O que encarece no Brasil são os impostos. Vou apelar aos governadores, se for possível, sei que vivem apertados, [para que] diminuíssem essa média de 30% de ICMS [Imposto sobre Circulação de Mercadorias e Serviços] no combustível, cria mais emprego, se consome mais o que é nosso aqui dentro. Por isso que o etanol de fora é competitivo, lá fora quase não tem imposto”,
 
disse, lembrando que parte do etanol consumido no Brasil é importada.
 


Fonte: AGENCIA BRASIL





Indique a um amigo     Imprimir     Comentar notícia

>> Últimos comentários

NOTÍCIAS DA FRANQUEADORA E EMPRESAS DO SEGMENTO


  Outras notícias.
01/04/2014
O GOLPE DE 64 - Depoimentos
 
31/03/2014
PETROBRAS - Inexistem indícios de suborno de funcionários, avalia Comissão Interna
 
27/03/2014
MENSALÃO MINEIRO - STF manda processo de volta para a 1ª instância da Justiça de Minas
 
27/03/2014
CÓDIGO DE DEFESA DO CONSUMIDOR - Comissão da Câmara aprova projetos de modernização
 
27/03/2014
INTERNET - Marco Civil aprovado na Câmara segue para o Senado
 
24/03/2014
TCU NA COPA - Recomendações do TCU geraram economia de R$ 700 milhões em obras da Copa
 
24/03/2014
A DIREITA NAS RUAS - Marchas em São Paulo terminam com seis detidos
 
23/03/2014
A DIREITA NAS RUAS - São Paulo tem marchas pró militares e antifascistas
 
23/03/2014
A DIREITA NAS RUAS - No Rio a Marcha da Família com Deus pela Liberdade pede intervenção militar
 
22/03/2014
ELEIÇÕES NO DF - Ex governador Arruda impossibilitado de candidatar-se em 2014
 
Escolha do Editor
Curtas & Palpites