Home   |   Expediente   |   Publicidade   |   Cadastre-se   |   Fale Conosco             

Economia e Finanças

Segunda-Feira, Dia 02 de Dezembro de 2019 as 11:12:44



DÓLAR fecha novembro com valorização de 5,77%



B3 encerrou mês com pequena alta de 0,95%
 
Depois de uma queda em 28.11, a moeda norte-americana voltou a subir nesta sexta-feira (29). O dólar comercial encerrou o dia vendido a R$ 4,241, com alta de R$ 0,025 (+0,58%). Em valores nominais, desconsiderando a inflação, a cotação está no segundo maior nível desde a criação do real.
 
Com a alta de hoje, o dólar fechou novembro com alta de 5,77%. Apenas nesta semana, a divisa acumulou valorização de 1,14%. Em três sessões, na 2ª, 25.11, na terça, 26.22, e na 4ª feira, 27.11, a moeda bateu recordes nominais seguidos.
 
Diferentemente dos últimos dias, o Banco Central (BC) não interveio no câmbio. O órgão, no entanto, anunciou a venda de até US$ 500 milhões das reservas internacionais no mercado à vista na 2ª feira, 02.11.
 
No mercado de ações, o dia foi de oscilações. O índice Ibovespa, da B3, chegou a operar em alta durante a manhã, mas fechou o dia em baixa de 0,05%, aos 108.239 pontos. O indicador, que chegou a bater recorde no último dia 7 e aproximou-se dos 110 mil pontos, encerrou novembro com alta de 0,95%.
 
Além de tensões políticas no Brasil, o mercado financeiro foi influenciado por vários fatores em novembro. A venda pelos lances mínimos dos barris excedentes da cessão onerosa de dois campos do pré-sal e a não venda de outros dois campos fez o dólar subir e a bolsa cair no início do mês. Nas semanas seguintes, o agravamento da turbulência política na América Latina e a indefinição sobre o fechamento de um acordo comercial entre EUA e China pressionaram o dólar em todo o planeta.
 
Nesta semana, a divulgação de indicadores positivos no mercado de trabalho norte-americano reduziu as perspectivas de cortes de juros pelo Federal Reserve (Fed), Banco Central dos EUA. Juros mais altos nas economias avançadas desencadeiam a fuga de capitais de países emergentes, como o Brasil.


Fonte: AGENCIA BRASIL





Indique a um amigo     Imprimir     Comentar notícia

>> Últimos comentários

NOTÍCIAS DA FRANQUEADORA E EMPRESAS DO SEGMENTO


  Outras notícias.
COMMODITIES - No Brasil poucos ganham com a explosão de preços. Veja as exceções. 10/09/2012
COMMODITIES - No Brasil poucos ganham com a explosão de preços. Veja as exceções.
 
TRIBUTOS - Planejamento tributário e os impactos negativos da carga tributária sobre as empresa 10/09/2012
TRIBUTOS - Planejamento tributário e os impactos negativos da carga tributária sobre as empresa
 
10/09/2012
PROGEREN - Linha de Capital de Giro do BNDES, record na liberação de recursos pelo BB: R$2,3 bilhões em ago/2012
 
BANCO DO BRASIL reduz em mais de 30% os juros do pagamento parcelado de faturas Ourocard 06/09/2012
BANCO DO BRASIL reduz em mais de 30% os juros do pagamento parcelado de faturas Ourocard
 
06/09/2012
COMPRA DE TERRAS POR ESTRANGEIROS - Limites trazidos por projeto de lei já aprovado
 
05/09/2012
NORDESTE - Óleo e gás estimulam crescimento da Região
 
FISCO - Certificado digital agora vale por cinco anos 05/09/2012
FISCO - Certificado digital agora vale por cinco anos
 
PIB do Brasil chega a R$1,1 trilhão no 2º trim/2012 02/09/2012
PIB do Brasil chega a R$1,1 trilhão no 2º trim/2012
 
BB reduz taxas de juros após nova queda da SELIC 31/08/2012
BB reduz taxas de juros após nova queda da SELIC
 
CAIXA - 31/08/2012
CAIXA - "Plano Agressivo de Expansão"
 
Escolha do Editor
Curtas & Palpites