Home   |   Expediente   |   Publicidade   |   Cadastre-se   |   Fale Conosco             

Investimentos

24 de Junho de 2019 as 22:06:12



O MERCADO, 14.06: Ibovespa estavel a 102.062 pts. E, Dólar, a R$ 3,826



Diário do Mercado na 2ª feira, 14.06.2019
 
Cautela dos agentes mantém bolsa, juros e câmbio praticamente estáveis 
 
Comentário.
 
Os principais mercados se mantiveram em perfil de cautela ao longo do dia, no aguardo de importantes eventos da agenda desta semana, especialmente as negociações entre EUA e China na reunião do G-20 e a votação do parecer sobre a reforma da previdência, na comissão especial da Câmara dos Deputados.
 
Além disso, são aguardadas também para os próximos dias as publicações da ata do Copom, do IPCA-15 e do Relatório Trimestral de Inflação. Como resultado, os investidores levaram Bolsa, juros futuros e câmbio a oscilarem em torno dos fechamentos da 6ª feira, com menor liquidez, mas com discreta realização de lucros na Bolsa e calibragem de yields na curva de juros, após as sucessivas quedas observadas na semana passada.
 
No câmbio e nos títulos do Tesouro norte-americano, os agentes globais se posicionam cautelosos, em face das recentes tensões entre EUA e Irã e dos próximos discursos de dirigentes do FED.
 
Ibovespa.
 
Após abrir em ligeira valorização, o índice alternou altas e baixas no comportamento intradiário, sem definição clara de tendência. Mas a superação do patamar dos 100 mil pontos e a sua configuração gráfica posicionam o Ibovespa em campo da alta, ou seja, a antiga resistência dos 100 mil pontos passou a representar um suporte.
 
O setor imobiliário se destacou em alta, após o pronunciamento do presidente da Caixa Econômica, assim como a Embraer, repercutindo encomendas na Paris Air Show.
 
O Ibovespa encerrou em 102.062 pts (+0,05%), acumulando +5,19% no mês, +16,13% no ano e +44,48% em 12 meses. O giro financeiro preliminar da Bovespa foi de R$ 12,4 bilhões, sendo R$ 12,1 bilhões no mercado à vista.
 
Capitais Externos na Bolsa
 
No dia 19 de junho (último dado disponível), houve ingresso líquido de capital estrangeiro em R$ 175,2 milhões na Bolsa, deixando o saldo no mês positivo em R$ 299,1 milhões. Em 2019, o saldo acumulado está negativo em R$ 3,355 bilhões.
 
Câmbio e CDS.
 
A divisa norte-americana encerrou de lado nesta segunda-feira, frente ao real, acompanhando expectativas dos investidores com o processo da reforma da Previdência.
 
O dólar comercial (interbancário) fechou cotado a R$ 3,8260 (+0,05%), acumulando -2,52% no mês, -1,26% no ano e +1,22% em 12 meses.
 
Risco País
 
O risco-país medido pelo CDS Brasil passou de 150 pts para 151 pts.
 
Juros.
 
Os juros futuros findaram a sessão regular estáveis com leve viés de alta na maioria dos vencimentos, num movimento alinhado com o dólar.
 
Em relação à sessão anterior, assim findaram: DI janeiro/2020 em 5,96% de 5,98%; DI janeiro/2021 em 5,86% de 5,85%; DI janeiro/2023 em 6,69% de 6,67%; DI janeiro/2025 em 7,23% de 7,20; e DI janeiro/2027 em 7,59% de 7,58%.
 
Agenda Econômica
 
O Brasil apresentou superávit em conta corrente de US$ 662 milhões em maio, acima dos US$ 400 milhões estimados pelo Banco Central. Contudo, no ano o saldo ficou deficitário em US$ -7,576 bi e US$ -13,9 bi, em 12 meses. 
 
Os investimentos estrangeiros diretos na economia brasileira somaram US$ 7,070 bilhões em maio (em 2019 foram investidos US$ 35,137 bi). A arrecadação de impostos registrou alta real (em série atualizada pela inflação) de +1,92% em maio, comparado com o mesmo mês do ano passado (R$ 111,139 bi), para R$ 113,278 bi. O valor é o melhor resultado para o período em 5 anos, segundo a Receita Federal.
 
Para a semana.
 
Brasil: CAGED; Ata do Copom; IPCA-15; Resultado primário do Governo Central; Total da dívida federal; Taxa de desemprego nacional e Coeficiente da dívida/ PIB.
 
EUA: Vendas de casas novas; Vendas de casas pendentes; PIB e Deflator do PIB.
 
Alemanha, França e Zona do Euro: Confiança do consumidor.
 
Reino Unido: PIB.
 
Japão: Taxa de desemprego e Produção industrial.
 
Conifira no anexo a íntegra do relatório preparado por RENATO ODO, CNPI-P, e HENRIQUE TOMAZ, CFA, CNPI, ambos integrantes do BB Investimentos.

Clique aqui para acessar o aquivo PDF

Fonte: RENATO ODO, CNPI-P, e HENRIQUE TOMAZ, CFA, CNPI, ambos integrantes do BB Investimentos.

 
Indique a um amigo     Imprimir     Comentar notícia

>> Últimos comentários

NOTÍCIAS DA FRANQUEADORA E EMPRESAS DO SEGMENTO


  Outras notícias.
GUIA DE AÇÕES Conheça aqui as cotações de 20.09 Avalie se convém Investir 20/09/2019
GUIA DE AÇÕES Conheça aqui as cotações de 20.09 Avalie se convém Investir
 
O MERCADO, 20.09: Ibovespa sobe 0,46% a 104.817. Dólar cai a R$ 4,153 20/09/2019
O MERCADO, 20.09: Ibovespa sobe 0,46% a 104.817. Dólar cai a R$ 4,153
 
RENDA FIXA Mercado Secundário de Debêntures em 19.09.2019 20/09/2019
RENDA FIXA Mercado Secundário de Debêntures em 19.09.2019
 
PAPEL E CELULOSE  Análise Setorial do Desempenho na Bolsa - Setembro/2019 20/09/2019
PAPEL E CELULOSE Análise Setorial do Desempenho na Bolsa - Setembro/2019
 
GUIA DE AÇÕES Conheça aqui as cotações de 19.09 Avalie se convém Investir 19/09/2019
GUIA DE AÇÕES Conheça aqui as cotações de 19.09 Avalie se convém Investir
 
LOJAS AMERICANAS e B2W DIGITAL Parceria Ame e Linx - Análise: BB Investimentos 19/09/2019
LOJAS AMERICANAS e B2W DIGITAL Parceria Ame e Linx - Análise: BB Investimentos
 
O MERCADO, 19.09: Ibovespa cai a 104.339 pts. Dólar sobe a R$ 4,162 19/09/2019
O MERCADO, 19.09: Ibovespa cai a 104.339 pts. Dólar sobe a R$ 4,162
 
O MERCADO, 18.09: Ibovespa estável em 104.531 pts. Dólar sobe a R$ 4,103 18/09/2019
O MERCADO, 18.09: Ibovespa estável em 104.531 pts. Dólar sobe a R$ 4,103
 
GUIA DE AÇÕES Conheça aqui as cotações de 17.09 Avalie se convém Investir 17/09/2019
GUIA DE AÇÕES Conheça aqui as cotações de 17.09 Avalie se convém Investir
 
O MERCADO, 17.09: Ibovespa sobe 0,90% a 104.616 pts. Dólar cai a R$ 4,077 17/09/2019
O MERCADO, 17.09: Ibovespa sobe 0,90% a 104.616 pts. Dólar cai a R$ 4,077
 
Escolha do Editor
Curtas & Palpites