Home   |   Expediente   |   Publicidade   |   Cadastre-se   |   Fale Conosco             

Investimentos

01 de Novembro de 2019 as 21:11:59



O MERCADO, 01.11: Ibovespa sobe 0,91% a 108.195 pts. Dólar cai a R$ 3,994



Diário do Mercado na 6ª feira, 01.11.2019
 
Ibovespa inicia o último bimestre em alta e com volume
 
Comentário.
 
O índice brasileiro denotou firme avanço. Com agenda interna esvaziada, foi contagiado positivamente pela menor aversão ao risco global, que também deu impulso aos mercados acionários pelo mundo.
 
Os índices S&P500 e Nasdaq bateram recordes históricos de fechamento. Externamente, o comportamento no dia foi influenciado pela percepção dos agentes que está cada vez mais próximo um acerto comercial entre EUA e China e com indicadores norte-americanos e chineses considerados melhores do que o esperado.
 
O Ibovespa somente não subiu mais por conta da perda de força da alta das ações da Petrobras, com rumores de mercado sobre sua participação no leilão da cessão onerosa - marcado para próxima quarta-feira, apesar da subida do petróleo no mercado internacional.
 
No Brasil, o dólar comercial fechou a R$ 3,9940 (-0,37%). Os juros futuros decaíram como um todo em sua curva de estrutura a termo, gradativamente da ponta curta para a longa.
 
Ibovespa.
 
O índice principiou em rápida ascensão e após meia hora de negócios passou a oscilar já ao redor da pontuação de fechamento com pequenas variações, com maior volatilidade do meio da tarde em diante por conta da trajetória errática da Petrobras.
 
O Ibovespa fechou aos 108.195 pts (+0,91%), acumulando +0,77% na semana, +0,59% no mês, +23,11% no ano e +22,37% em 12 meses. O robusto giro financeiro preliminar da Bovespa foi de R$ 20,8 bilhões, sendo R$ 18,9 bilhões no mercado à vista.
 
Capitais Externos na Bolsa
 
No dia 30 de outubro (último dado disponível), o ingresso líquido de capital estrangeiro foi de R$ 493,618 milhões na Bovespa, reduzindo a saída líquida no mês a -R$ 8,326 bilhões. Em 2019, o saldo negativo líquido acumulado situa-se em -R$ 29,129 bilhões.
 
Agenda Econômica.
 
No Brasil, a produção industrial variou +0,3% em setembro, com ajuste sazonal, ante a +1,2% em agosto (revisto de +0,8) - abaixo do consenso de +0,9%. Em relação a setembro de 2018, oscilou +1,1%. O indicador passou a acumular -1,4% tanto no ano, como em 12 meses. O PMI industrial cedeu a 52,2 em outubro versus 53,4 em setembro.  A balança comercial apresentou superávit de US$ 1,206 bilhões em outubro frente a US$ 2,246 bilhões em setembro, com exportações de US$18,231 bilhões e importações de US$ 17,025 bilhões. O saldo positivo acumulado em 2019 situa-se em US$ 34,823 bilhões.
 
Nos EUA, o Payroll (criação de vagas na economia) mostrou geração de 128 mil postos de trabalho em outubro contra 180 mil em setembro (revisto de 136 mil), vindo acima do consenso de mercado, de mais 85 mil vagas.
 
Câmbio e CDS.
 
A divisa norte-americana encerrou em queda ante ao real, refletindo o bom resultado do Payroll norte-americano.
 
A moeda fechou cotada a R$ 3,9940 (-0,37%), acumulando -0,35% na semana, -0,45% no mês, +3,07% no ano e +8,03% em 12 meses.
 
Risco País
 
O risco-país medido pelo CDS Brasil 5 anos passou a 118 pts ante 120 pts anterior. 
 
Juros.
 
Os juros futuros, com exceção do curtíssimo prazo, findaram a sessão regular em  progressiva baixa da ponta curta para a longa. O recuo do dólar, a produção industrial aquém do consenso e uma menor aversão ao risco no exterior induziram o comportamento no dia.
 
Em relação ao pregão anterior, assim fecharam os contratos: DI janeiro/2020 em 4,76%; DI janeiro/2021 em 4,47% de 4,49%; DI janeiro/2023 em 5,37% de 5,41%; DI janeiro/2025 em 5,98% de 6,03%; DI janeiro/2027 em 6,33% de 6,39%.
 
Agenda.
 
Brasil: Ata do COPOM, PMI Serviços e Composto, Dados de veículos Anfavea, IGP-DI, IPCA;
 
EUA: Pedidos de bens duráveis, Pedidos de fábrica, Produtividade, Custo da mão-de-obra, Crédito ao consumidor, Estoques e Vendas no atacado, Índ. confiança Univ. de Michigan;
 
Alemanha e França: PMI Manuf., Prod. Ind.;
 
Reino Unido: Taxa de juros (BoE); zona do euro: PMI Manuf.;
 
China: Reservas estrangeiras, Balança comercial, IPC, IPP.
 
Confira no anexo a íntegra do relatório de análise do comportamento do mercado na 6ª feira, 01.11.2019, elaborado por HAMILTON MOREIRA ALVES,CNPI-T, integrante do BB Investimentos

Clique aqui para acessar o aquivo PDF

Fonte: HAMILTON MOREIRA ALVES, do BB Investimentos





Indique a um amigo     Imprimir     Comentar notícia

>> Últimos comentários

NOTÍCIAS DA FRANQUEADORA E EMPRESAS DO SEGMENTO


  Outras notícias.
O MERCADO, 12.11: Ibovespa cai 1,49% a 106.751 pts. Dólar sobe a R$ 4,116 13/11/2019
O MERCADO, 12.11: Ibovespa cai 1,49% a 106.751 pts. Dólar sobe a R$ 4,116
 
O MERCADO, 11.11: Ibovespa sobe 0,69% a 108.367 pts. Dólar cai a R$ 4,142 12/11/2019
O MERCADO, 11.11: Ibovespa sobe 0,69% a 108.367 pts. Dólar cai a R$ 4,142
 
SANTANDER BRASIL  Resultados no 3º trimestre/2019: NEGATIVOS 09/11/2019
SANTANDER BRASIL Resultados no 3º trimestre/2019: NEGATIVOS
 
BRF  Resutados no 3º trimestre de 2019: POSITIVOS 09/11/2019
BRF Resutados no 3º trimestre de 2019: POSITIVOS
 
O MERCADO, 07.11: Ibovespa sobe 1,13% a 109.580 pts. Dólar a R$ 4,0920 (+0,24%) 08/11/2019
O MERCADO, 07.11: Ibovespa sobe 1,13% a 109.580 pts. Dólar a R$ 4,0920 (+0,24%)
 
O MERCADO, 06.11: Ibovespa  estável em 108.719. Dólar cai a R$ 3,993 06/11/2019
O MERCADO, 06.11: Ibovespa estável em 108.719. Dólar cai a R$ 3,993
 
O MERCADO, 05.11: Ibovespa  estável em 108.719. Dólar cai a R$ 3,993 06/11/2019
O MERCADO, 05.11: Ibovespa estável em 108.719. Dólar cai a R$ 3,993
 
USIMINAS Resultado no 3º trimestre/2019: NEGATIVO. 05/11/2019
USIMINAS Resultado no 3º trimestre/2019: NEGATIVO.
 
O MERCADO, 04.11: Ibovespa sobe 0,54% a 108.779 pts. Dólar sobe a R$ 4,011 05/11/2019
O MERCADO, 04.11: Ibovespa sobe 0,54% a 108.779 pts. Dólar sobe a R$ 4,011
 
DIRECIONAL Resultados no 3º trimestre/2019: Positivos, novamente. 01/11/2019
DIRECIONAL Resultados no 3º trimestre/2019: Positivos, novamente.
 
Escolha do Editor
Curtas & Palpites